//ACN recebe novos pedidos de ajuda emergencial para a Síria

ACN recebe novos pedidos de ajuda emergencial para a Síria

2018-03-13T17:21:07+00:00agosto 22nd, 2016|Projetos|

A Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) aprovou mais uma série projetos para os próximos meses que dão continuidade ao auxílio às famílias mais carentes nas diversas cidades da Síria. Um foco especial desta ajuda é Alepo, que está atualmente na linha de frente da batalha entre exército do governo e grupos rebeldes, que ainda controlam o fornecimento de água e eletricidade da cidade. Ao mesmo tempo a ACN prometeu renovar o apoio às famílias dos refugiados internos da Síria, em cidades como Damasco e Tartus.

O número de cristãos na zona de conflito caiu ainda mais nos últimos meses, ao passo que o número de famílias que precisam de ajuda para sua sobrevivência básica tem crescido muito rapidamente. A maior parte do apoio prometido é para a continuação dos programas de ajuda de emergência já estabelecidos, com a diferença de que o número de pessoas que necessitam de suporte aumentou bastante, resultado do agravamento da situação em quase todas as partes do país.

Apoio da ACN

A ACN continuará sua ajuda para 2.817 famílias em Alepo e Al Hassakeh, onde há mais de cinco anos as pessoas têm enfrentado todo tipo de dificuldade, sofrimento e medo. Os voluntários que organizam a ajuda que chega às famílias nos escreveram dizendo:

“Por causa da sua ajuda somos capazes de ficar ao lado do nosso povo e de ajudá-los, fazendo com que seu fardo fique mais leve. Continuamos a trabalhar em conjunto e, com o seu apoio, estamos tentando manter um número cada vez maior de famílias, tanto quanto possível, naquilo que elas necessitem para viver com dignidade. Precisamos apoiá-las no seu cotidiano, especialmente as que têm filhos e idosos, porque são os mais vulneráveis. A vida tornou-se muito pesada e árdua. Nossas famílias lutam entre o medo e a ansiedade sobre o futuro. A pergunta que elas se fazem a todo tempo é se vão conseguir permanecer ali, e qual será o futuro.”

O fornecimento de leite e fraldas para cerca de 650 crianças de até dois anos em Tartus e em outros locais da diocese de Latakia faz parte do auxílio prometido para os próximos meses. Graças à generosidade dos benfeitores, tal ação foi capaz de ajudar cerca de 200 bebês no início deste ano. Juntamente com o pedido de ajuda adicional, a ACN recebeu uma mensagem do responsável pelo projeto local, descrevendo como “os pais estão encantados por sentir que não estão abandonados por Deus.” E ainda: “Vocês têm sido a imagem visível do Deus invisível. O auxílio de vocês alivia e impulsiona as famílias em crise, que se não tivessem sua ajuda poderiam sentir que ter um bebê é um fardo, quando na verdade é pura felicidade.”

Eles ainda precisam de você

De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), três a cada quatro sírios estão vivendo em extrema pobreza atualmente, incapazes de manter as necessidades mais básicas e alimentos para a sobrevivência. Nos últimos 18 meses, o custo do combustível mais do que duplicou. A farinha de trigo aumentou de preço em cerca de 300% e o arroz em cerca de 650% em comparação com os preços anteriores a guerra.

A ACN quer ampliar a ajuda às famílias deslocadas de Alepo, Hama e Idlib, cuja maioria foi realocada em Tartus e Latakia e agora precisam de auxílio para pagarem o aluguel. Até alguns meses atrás, havia ali 100 famílias que recebiam apoio, mas os violentos confrontos em Alepo e em outras partes do país resultaram no aumento das famílias deslocadas para 450, todas elas em grande necessidade. Além disso, 507 famílias que fugiram de Damasco também esperam por ajuda para com moradia, tratamento médico, roupas, educação e alimentação.

Estes são apenas alguns exemplos de ajuda de emergência que a ACN tem dado e que pretende continuar dando, para auxiliar o povo e a Igreja local na Síria. Ao todo, a ACN se empenha para arrecadar mais de 4,5 milhões de reais, a fim de aliviar os sofrimentos do povo sírio ao longo dos próximos meses.

28 Comments

  1. tiago oliveira rodovalho de alencar rolim 22 de agosto de 2016 at 21:42 - Reply

    Boa noite. existe uma conta para doação específica para este projeto, de preferência no Banco do Brasil?

  2. Gabriele 29 de novembro de 2016 at 04:34 - Reply

    Tenho um quarto em minha casa e posso abrigar refugiados.
    Do sexo feminino com até 1 criança. Obrigada
    Sou professora e posso tb dar aula de portugues

  3. Emanuelle Perazzo 15 de dezembro de 2016 at 14:30 - Reply

    Ola. Sei da situação de milhares de famílias. Recentemente vi a matéria a respeito de algumas crianças em um abrigo. Quero saber a respeito de adoção. Grata.

  4. simone neto 19 de dezembro de 2016 at 00:26 - Reply

    tenho interesse em receber uma familia de refugiados na minha casa…me sentiria honrada em proporcionar a uma família um natal feliz…podem ter cças adolescentes…

  5. Rafaela Ferreira Madokoro 19 de dezembro de 2016 at 01:42 - Reply

    Boa noite, tenho interesse em adotar crianças órfãs da Síria, pode ser irmãos!!! E gostaria de fazer doação as ongs, gostaria de mais informações. Obrigada

  6. CLAUDIO 25 de dezembro de 2016 at 23:14 - Reply

    OI NAO TENHO COMO ADOTAR CRIANCAS POS NAO TENHO TEMPO…. MAIS QUERO MUITO PODE AJUDAR REFUGIADOS MESMO QUE SEJA ADULTOS…DE PREFERENCIA ADULTOS OU JOVENS QUE QUEIRA OPORTUNIDADE DE TRABALHAR OU APRENDER

  7. Sandra Helena de Lima Moraes Vasconcellos 27 de dezembro de 2016 at 19:28 - Reply

    Ola. Sei da situação de milhares de famílias. Recentemente vi a matéria a respeito de algumas crianças em um abrigo. Quero saber a respeito de adoção. Grata.

  8. Milena Gonçalves Costa 30 de dezembro de 2016 at 16:47 - Reply

    Como faço para ser voluntaria?

  9. José cliceu calux 9 de janeiro de 2017 at 23:10 - Reply

    Tenho interesse em dar morada para refugiada da Síria. Moro em Pitanga Paraná. E-mail cliceucalux@bol.com.br
    Fone 42 999082560

  10. Acirene Gomes de Araujo( apelido: Cici 11 de janeiro de 2017 at 02:04 - Reply

    Ola,moro em Recife e sou professors primaria aposentada,mas continuo trabalhando,dando aulas particulares de Portugues para estrangeiros e gostaria muito de ajudar os sirios,dando aulas gratuitas de Portugues.

  11. Lucia Maria 11 de janeiro de 2017 at 23:51 - Reply

    Olá. sou professora de LP, moro em Novo Gama/GO (Cidade do entorno de Brasília)e gostaria de ajudar. Quero saber como seria o processo de adoção de crianças ou acolhida.

  12. GLEICIANE VIANA 1 de fevereiro de 2017 at 01:05 - Reply

    Sou mãe de uma menina e me interesso sobre a adoção.

  13. Erika Duarte 1 de fevereiro de 2017 at 23:27 - Reply

    boa noite. Gostaria de me oferecer para ser o lar temporário para uma criança refugiada. Me coloco a disposição para informar os dados necessários que precisem para isso. segue meu email erikaduarte0@gmail.com
    Obrigada!

  14. Iandra 8 de fevereiro de 2017 at 14:59 - Reply

    Tenho interesse em ajudar acolhendo um refugiado da Siria.
    iandrafigueiredo@hotmail.com

  15. Paula 8 de fevereiro de 2017 at 19:55 - Reply

    Boa tarde. Conheci um moço que veio da Síria. Ele conseguiu vir para o Brasil e arrumou emprego e casa para trazer a família para cá mas eles estão encontrando muita dificuldade. Não estão conseguindo resolver a papelada para a viagem pois não tem dinheiro e como se locomover. Eles conseguiram ir para Beirute mas estão sofrendo muito com a separação da família . Assim como muitos que estão nessa situação lá. Vocês teriam algum Modo de ajudá -los? Com ajuda burocrática, orientação, transporte. Qualquer coisa séria muito bom para eles pois estão em grande sofrimento. Obrigada.

  16. Ediméris Pacobello Perri 10 de fevereiro de 2017 at 15:57 - Reply

    Boa tarde tenho interesse em adotar criança que perderam seus pais e familiares, estou a disposição para maiores esclarecimentos e-mail: edimeris@ig.com.br

  17. Ana Clara Caetano 13 de março de 2017 at 13:30 - Reply

    Óla ACN,

    Eu sou Ana Clara e estou fazendo um projeto de conclusão de curso sobre refugiados.
    Eu estudo Arquitetura & Urbanismo do UniCEUB, em Brasília.
    Gostaria de conhecer melhor o trabalho de vocês para com as famílias de refugiados que chegam aqui.
    Att, Ana

  18. Luciana Ferreira Pacheco 11 de abril de 2017 at 07:06 - Reply

    Estou disposta a receber refugiados mulheres e adolescentes pois em casa somos somente mulheres, estou adisposição de dar um lar a refugiados de guerra pode ser adolescentes meninas tenho um 1quarto e instrução de grau superior quero ajudar somente isso ajudar

  19. Moussa faye 15 de maio de 2017 at 06:35 - Reply

    ola boa tarde sou um refugiado mora em senegal.Tenho 2 anos aqui em Brasil Chapecó sc minha família são em senegal eu sustento mais 5 pessoas e meu salário nao e suficiente para fechar tudo.To fazendo curso eletromecanica para melhora minha situação mas o curso vai demoro 2anos meio.Preciso um ajuda muito de vocês meu numero e 4998119657

  20. Beto Nazario 1 de junho de 2017 at 03:48 - Reply

    Sou de Natal, Rio grande do Norte, funcionário publico temos dois filhos, eu e minha esposa nos propomos a adotar uma criança refugiada e a ajudar refugiados. Como podemos fazer para ajudar esses irmãos? Aguardamos respostas. email para contato betonazario@yahoo.com.br

  21. MARCOS DE SOUZA COSTA 1 de junho de 2017 at 11:21 - Reply

    Sou casado e não tenho filhos. Se houver crianças de até um ano de idade, eu e minha esposa gostaríamos de adotar até duas crianças. Sou funcionário público do Tribunal de Justiça/SP e minha esposa é Professora de Educação Infantil da rede municipal de ensino. Estamos cadastrados para adoção da Vara da Infancia e Juventude de Guarulhos.

  22. Genilson 12 de junho de 2017 at 05:55 - Reply

    Olá, bom dia. Minha família e eu temos interesse em ajudar refugiados de alguma maneira, e podemos dar moradia para uma pessoa, aqui em casahá um quarto pequeno. Moro em Salvador, Bahia. E-mail genilsonparanhos@gmail.com
    Whatsapp/Tel +5571992533192

  23. Luiz Claudio 22 de junho de 2017 at 10:15 - Reply

    Olá, bom dia. Minha família e eu temos interesse em ajudar refugiados de alguma maneira, e podemos dar moradia para uma pessoa, (adolescente) aqui em casa há um quarto pequeno. Moro em Fortaleza.
    Ceará.

  24. Pedro Antonio Souza Leal 21 de julho de 2017 at 03:11 - Reply

    O Brasil está cheio de pessoas desempregadas, não podemos aceitar mais refugiados em nossos país tomando o empregos de nossos filhos, principalmente aqueles que tem uma religião do ódio e não do amor, e prega a destruição dos Cristãos e Judeus, fora religiosos éticos contra as pessoas do bem.

  25. Elaine Freitas 31 de julho de 2017 at 11:46 - Reply

    Ola bom dia! Minha familia e eu tambem queremos ajudar! Podemos ficar com uma menina refugiada, sou casada e ja tenho dois filhos, nossa casa da para acolher mais uma pessoa. Moro em Salvador-BA

  26. ROMEU MARCELINO 15 de agosto de 2017 at 17:21 - Reply

    Gostaria de ajudar algum refugiado buscando recomeçar uma nova vida no brasil. Moramos em São Paulo, meu marido e eu. Meu email é romeumarelino@hotmail.com. Tel 11 982598902

  27. ADRIANO THEODORO 7 de outubro de 2017 at 02:50 - Reply

    tenho apartamento mobiliado que nao moro e empregos para uma familia de 4 pessoas em ribeirao preto! nao faço doaçoes em dinheiro whats up 98829-9798 sem mais!

  28. ADRIANO THEODORO 7 de outubro de 2017 at 02:59 - Reply

    como disse eu posso ajudar com emprego e ate 4 pessoas com pessoas de bem para trazer ao meu lar ajudo financeiramente casa, alimentação , ajudo com tramites legais jurídicos e com uma vida estável em um lugar excelente em ribeirão preto – sp vida de qualidade e que DEUS NOS AJUDE para que esse MUNDO NÃO SE PERCA, BOAS AÇÕES ! devem ser feitas por HOMENS !
    o Apóstolo Paulo escreveu a Igreja de Corinto em 1 Coríntios 13:11, lemos “Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino”. Observamos uma comparação realizada por Paulo: Coisas de menino X Coisas de homem. Assim entendemos que quando somos meninos temos atitudes que uma criança tem, no entanto quando crescemos e nos tornamos homens, deixamos para trás tais atitudes, pois com a idade vem também a maturidade, maturidade essa que nos faz discernir nossas atitudes e palavras. QUE TODO SER HUMANO SEJA DIGNO E QUE FAÇAM AS BOAS AÇÕES E ALEGRIAS DO SEU CORAÇÃO O ESTENDER DE SUA MÃO DIREITA!

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!