Polônia

LIBERDADE RELIGIOSA NO MUNDO RELATÓRIO 2021

POPULAÇÃO

37.942.231

ÁREA

312.679 km2

PIB PER CAPITA

27.216 US$

ÍNDICE GINI

29.7

POPULAÇÃO

37.942.231

ÁREA

312.679 km2

PIB PER CAPITA

27.216 US$

ÍNDICE GINI

29.7

RELIGIÕES

versão para impressão

DISPOSIÇÕES LEGAIS EM RELAÇÃO À LIBERDADE RELIGIOSA E APLICAÇÃO EFETIVA

As relações entre a República da Polônia e as Igrejas baseiam-se num modelo de cooperação, que se encontra expresso no artigo 25.º (n.º 3) da Constituição de 1997,1 afirmando: “As relações entre o Estado e as Igrejas e outras organizações religiosas basear-se-ão no princípio do respeito pela sua autonomia e independência mútua de cada uma na sua própria esfera, bem como no princípio da cooperação para o bem individual e comum”.

O artigo 25.º (n.º 2) garante a igualdade jurídica de todas as Igrejas e organizações religiosas e observa que “as autoridades públicas da República da Polônia serão imparciais em matéria de convicção pessoal, quer religiosa ou filosófica, quer em relação às perspectivas de vida, e assegurarão a sua liberdade de expressão na vida pública”.

O artigo 25.º (n.º 4 e 5) estipula que o Estado regulamenta as suas relações com a Igreja Católica e outras organizações religiosas através de acordos bilaterais. As relações entre o Estado e a Igreja Católica são formalmente regulamentadas numa concordata assinada em 1993.2

O preâmbulo da Constituição menciona explicitamente Deus e a herança cristã do país, incluindo, ao mesmo tempo, aqueles que não acreditam em Deus, mas respeitam os valores universais da verdade, justiça, bem e beleza.

O artigo 53.º (n.º 1 e 2) garante a todos a liberdade de consciência e de religião, que inclui, entre outras coisas, a “liberdade de professar ou aceitar uma religião por escolha pessoal, bem como de manifestar tal religião, quer individual ou coletivamente, pública ou privadamente, através do culto, da oração, da participação em cerimônias, da celebração de ritos ou do ensino”.

Nos termos do artigo 53.º (n.º 3): “Os pais têm o direito de assegurar aos seus filhos uma educação moral e religiosa e um ensino de acordo com as suas convicções”. O artigo 53.º (n.º 5) declara que “a liberdade de expressão pública da religião só pode ser limitada através de estatuto e apenas quando tal for necessário para a defesa da segurança do Estado, da ordem pública, da saúde, da moral ou das liberdades e direitos de outrem”.

O artigo 196.º do Código Penal protege os fiéis de ofensas contra os seus sentimentos religiosos.3

A Comunidade Polaco-Lituana foi o primeiro Estado na Europa a conceder tolerância religiosa numa lei conhecida como a Confederação ou Pacto de Varsóvia de 1573.4 Em 2019, o Governo polaco juntou-se a outros países para estabelecer o Dia Internacional em Comemoração das Vítimas de Atos de Violência Baseados na Religião ou Crença sob a égide das Nações Unidas.5

INCIDENTES E EVOLUÇÃO

Segundo o Gabinete Central de Estatística da Polônia, mais de nove em cada 10 residentes da Polônia com 16 anos ou mais declararam ser membros de uma religião. A religião majoritária é o Cristianismo, na sua maioria da Igreja Católica (92%). Cerca de 6% da população não pertence a nenhuma religião ou não respondeu. Existem comunidades cristãs menores: ortodoxos, protestantes e outros. Os fiéis de outras religiões são poucos, mas alguns têm uma longa ligação histórica com o país, como os judeus polacos e os tártaros muçulmanos polacos.6 Por esta razão, os incidentes descritos abaixo dizem respeito principalmente à Igreja Católica e aos seus membros.

Durante o período em análise, a Polônia assistiu a um aumento dos crimes de ódio com um preconceito religioso. Os últimos dados do Gabinete das Instituições Democráticas e Direitos Humanos (ODIHR) da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa registraram 972 crimes de ódio na Polônia em 2019 (432 foram processados e 597 condenados), 1.117 em 2018 (397 foram processados e 315 condenados), em comparação com 886 casos em 2017 e apenas 251 casos em 2010.7

No que diz respeito à motivação do preconceito, a base de dados do ODIHR para 2019 registrou 136 casos contra judeus e interesses judeus, 37 contra muçulmanos e 70 contra outros (incluindo 59 contra cristãos).8 Em 2018, houve 197 crimes de ódio envolvendo judeus e interesses judaicos, 62 contra muçulmanos e 20 contra outros (incluindo um número não especificado de cristãos).9 Outras fontes relataram 39 casos especificados contra cristãos (35 ataques a bens e quatro agressões físicas).10

Os dados acima mencionados baseiam-se em estatísticas policiais. O Laboratório da Liberdade Religiosa registrou até 72 casos, dos quais 54 foram classificados como delitos graves.11 Outras fontes, incluindo relatórios dos meios de comunicação social, confirmam a tendência de crimes de ódio contra cristãos.12

Houve oito casos de agressões físicas, incluindo um caso em janeiro de 2019 em que um sacerdote foi espancado e assaltado em Sandomierz.13 Em abril, um homem idoso confundido com um sacerdote foi assassinado na paróquia de Santo Agostinho em Varsóvia, enquanto a vítima pretendida foi ferida ao tentar ajudá-lo.14 Em junho, um homem que empunhava um machado atacou o altar de uma igreja na cidade de Rypin durante a missa.15 Também em junho, um homem apunhalou um sacerdote na Igreja Nossa Senhora de Ostrów Tumski em Wrocław. A vítima foi hospitalizada e sobreviveu apesar de muitas feridas.16 No final de julho, três homens insultaram e atacaram fisicamente um sacerdote e dois empregados da igreja na Basílica de S. João Batista de Szczecin.17 Em julho, quatro vândalos atacaram um sacerdote no gabinete paroquial da Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Turek. O sacerdote foi insultado e espancado. Os criminosos só abandonaram o gabinete paroquial depois de a polícia ter intervindo.18 Em setembro, um sacerdote que ia visitar os doentes com o Santíssimo Sacramento em Częstochowa foi insultado e atingido na cara. Transeuntes vieram em seu auxílio e chamaram a polícia.19 Em novembro, três jovens de 14 anos atacaram um sacerdote que saía da Igreja de São Nicolau, em Mosin, após a missa do fim do dia.20

Em 2019, os danos e profanação de edifícios e símbolos religiosos foram outra fonte de preocupação. Em maio, alguém atirou tinta sobre um monumento em homenagem ao Papa João Paulo II e ao Presidente dos EUA Ronald Reagan em Gdańsk, no Parque Ronald Reagan.21 Também em maio, um desconhecido invadiu uma igreja em Kwidzyń e espezinhou a cruz.22 Em julho, uma mulher partiu uma janela de vidro na entrada da igreja em Suchy Las e danificou objetos sagrados, incluindo o altar.23 Em setembro, houve um ataque incendiário contra uma igreja evangélica do século XIV em Biskupiec.24 Em dezembro, alguém partiu a porta de entrada da igreja em Jenin no dia de Natal, destruindo cruzes e tentando incendiar o edifício.25

Em 2019, relatórios da comunicação social evidenciaram um recrudescimento de crimes de ódio em que grupos de apoiantes LGBT perturbaram as celebrações religiosas, atacaram bens e ofenderam os sentimentos religiosos. Em abril de 2019, ativistas em Płock perturbaram uma missa,26 enquanto em setembro manifestantes interromperam uma missa em Świdnica Catedral gritando slogans e agitando uma bandeira arco-íris.27 Durante os eventos do Orgulho Gay, um grupo LGBT parodiou publicamente a Procissão do Corpo de Cristo (Gdansk, maio de 2019)28 e a Missa Católica (Varsóvia, junho de 2019).29 Em agosto, durante os concursos Ms. Lesbian Poland e Mr. Gay Poland de 2019, uma drag queen simulou cortar a garganta de um boneco insuflável com uma máscara do arcebispo Marek Jędraszewski de Cracóvia.30

Os cristãos não foram o único grupo religioso a sofrer crimes de ódio baseados nas suas crenças religiosas. Em julho de 2019, um desconhecido pintou slogans antissemitas nas paredes do antigo cemitério judeu de Tarnów.31 Em outubro, foi pintada uma suástica e foram rabiscados slogans antissemitas na parede do antigo gueto judeu de Cracóvia.32 O Centro Simon Wiesenthal, embora mencionando casos de discurso de ódio33 na sua avaliação de 2019, não relatou quaisquer casos de ataques violentos contra judeus na Polônia. O Rabino-Chefe da Polônia, Michael Schudrich, reconheceu que ocorreram alguns incidentes, mas notou que a Polônia proporciona um ambiente não violento para os judeus. Ainda assim, acrescentou que as redes sociais são agora “um intensificador do ódio” contra as minorias.34

Houve poucos incidentes contra muçulmanos em 2019. Em agosto, uma mulher muçulmana com um hijab que passeava um bebê foi insultada e ameaçada em Rzeszów.35 Em outubro, homens desconhecidos tentaram tirar o véu islâmica a uma mulher muçulmana num elétrico de Cracóvia.36 Em novembro, a Agência de Segurança Interna deteve duas pessoas suspeitas de planejarem ataques contra muçulmanos que viviam na Polônia.37

A Igreja Católica celebra um Dia do Islã juntamente com o Conselho Conjunto de Católicos e Muçulmanos, bem como um Dia do Judaísmo com o Conselho Polaco de Cristãos e Judeus. Em outubro de 2019 foi organizada uma oração inter-religiosa pela paz por iniciativa da Igreja Católica.38

Até 15 de outubro de 2020, o número de crimes de ódio contra cristãos aumentou até uma centena, como relatado por várias organizações.39 Em janeiro, um sacerdote foi atacado em Brodnica com um taco de basebol e foram-lhe roubados 20 euros.40 Em março, um sacerdote foi atacado em Górne Wymiary, espancado e roubaram-lhe 300 euros, um portátil e um telefone.41 Também em março, um sacerdote em Brenna foi espancado, amarrado e roubado.42 Em outubro, um sacerdote de 70 anos, vítima de tentativa de assalto na estação ferroviária de Nysa, foi atingido na cabeça, rosto e pescoço.43

Foram relatados outros sete ataques violentos. Em janeiro, alguém disparou contra quatro sacerdotes e acólitos da paróquia da Sagrada Família em Rzeszów, durante a tradicional bênção de Natal das casas dos paroquianos. Ninguém ficou ferido.44 Em fevereiro, um homem de 32 anos espancou e pontapeou gravemente um sacerdote na Igreja Paroquial de St. Ursula em Łódź.45 Em abril, dois homens atacaram um sacerdote durante confissões na Igreja de Nossa Senhora de Kobibór, espancando-o no rosto e no corpo.46

Em maio, um homem com uma faca entrou no presbitério da Basílica do Santo Sepulcro em Miechów e, durante o incidente, ameaçou matar dois sacerdotes, exigiu dinheiro e destruiu decorações de parede. Em três incidentes anteriores, perturbou a missa, gritando insultos tanto ao sacerdote como à congregação.47 Também em maio, um homem interrompeu um serviço religioso em várias ocasiões, profanando a Igreja de Nossa Senhora do Escapulário em Dąbrowa Tarnowska. Também insultou o sacerdote, seguindo-o para o presbitério e gritando-lhe “pedófilo”.48 Em outubro, um sacerdote foi severamente espancado no presbitério de uma igreja em Działoszyn. Um homem que tentou defendê-lo também sofreu ferimentos.49

Os ataques têm também vindo de vários grupos organizados. No dia 22 de outubro de 2020, o Tribunal Constitucional polaco declarou inconstitucional a lei sobre o aborto em caso de defeitos no feto.50 Esta decisão desencadeou uma série de ataques contra igrejas e cristãos por parte de apoiantes do aborto, apesar de a Igreja não ter participado no processo.

A reação à decisão assumiu formas violentas, incluindo insultos, ataques a igrejas, vandalismo, profanações e perturbações maliciosas dos serviços religiosos em toda a Polônia.51 Em outubro, os participantes nos protestos em Szczecinek a favor do aborto sem restrições cercaram, insultaram e detiveram durante algum tempo um sacerdote que ia com o Santíssimo Sacramento para visitar uma pessoa doente. Em outubro, os apoiantes do aborto atacaram, insultaram e espancaram um sacerdote em Myślibórz.52 No mesmo mês, militantes pró-aborto atacaram com tacos um grupo de católicos que rezava em torno da estátua de João Paulo II em Wołomin. Algumas das vítimas sofreram ferimentos na cabeça e outras ferimentos graves.53

Em 2020, apoiantes dos direitos LGBT também estiveram envolvidos em ataques contra os cristãos. Em março, congregantes foram agredidos durante a missa na Igreja de São Padre Pio em Varsóvia;54 em julho, uma bandeira arco-íris foi exposta na escultura de Jesus na Igreja da Santa Cruz em Varsóvia;55 em outubro, a Igreja da Santa Cruz foi novamente vandalizada com slogans e um arco-íris pintado na fachada.56

Em 2020 foram relatados muito poucos incidentes deste tipo relativos a judeus (exceto em certos casos de grafites antissemitas) e praticamente nenhum envolvendo muçulmanos.

PERSPECTIVAS PARA A LIBERDADE RELIGIOSA

Não se esperam grandes alterações na legislação sobre liberdade religiosa nos próximos anos (as próximas eleições parlamentares na Polônia estão agendadas para 2023). Apesar das preocupações com um aumento dos crimes de ódio, as perspectivas para a liberdade religiosa continuam positivas.

NOTAS

1 Poland 1997 (rev. 2009), Constitute Project, https://constituteproject.org/constitution/Poland_2009?lang=en (acesso em 28 de fevereiro de 2021).
2 “Concordato fra la Santa Sede e la Repubblica di Polonia”, Bilateral Treaties of the Holy See, https://www.iuscangreg.it/accordi_santa_sede.php?lang=EN (acesso em 28 de fevereiro de 2021).
3 “The Penal Code”, Legislation Online, 6 de junho de 1997, https://www.legislationline.org/download/id/7354/file/Poland_CC_1997_en.pdf (acesso em 30 de outubro de 2020)
4 “The Confederation of Warsaw of 28 of de janeiro de 1573: Religious tolerance guaranteed”, UNESCO, http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/flagship-project-activities/memory-of-the-world/register/full-list-of-registered-heritage/registered-heritage-page-8/the-confederation-of-warsaw-of-28th-of-january-1573-religious-tolerance-guaranteed/ (acesso em 30 de outubro de 2020); “Poland: Confederation of Warsaw 1573”, Portal de Arquivos da Europa, https://www.archivesportaleurope.net/featured-document/-/fed/pk/44018#sthash.Zv111vcu.dpbsl; “Compact of Warsaw”, Britannica, https://www.britannica.com/event/Compact-of-Warsaw (acesso em 28 de fevereiro de 2021).
5 “International Day Commemorating the Victims of Acts of Violence Based on Religion or Belief”, Resolução adoptada pela Assembleia Geral a 28 de maio de 2019, Nações Unidas, https://undocs.org/en/A/RES/73/296 (acesso em 30 de outubro de 2020).
6 “Życie religijne w Polsce – Wyniki Badania spójności społecznej 2018”, GUS, 18 de dezembro de 2018, https://stat.gov.pl/obszary-tematyczne/inne-opracowania/wyznania-religijne/zycie-religijne-w-polsce-wyniki-badania-spojnosci-spolecznej-2018,8,1.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
7 “Tolerance and Non-Discrimination Department”, 2019, OSCE – Gabinete das Instituições Democráticas e dos Direitos Humanos (ODIHR), https://hatecrime.osce.org/poland; Cf. O Ministério Público Nacional informou que em 2018 os procuradores investigaram 429 incidentes de motivação religiosa, Gabinete para a Liberdade Religiosa Internacional, “Poland”, 2019 Report on International Religious Freedom, Departamento de Estado Norte-Americano, https://www.state.gov/reports/2019-report-on-international-religious-freedom/poland/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
8 “Tolerance and Non-Discrimination Department”, 2019, op. cit.
9 “Tolerance and Non-Discrimination Department”, 2018, OSCE – Gabinete das Instituições Democráticas e dos Direitos Humanos (ODIHR), https://hatecrime.osce.org/poland?year=2018 (acesso em 28 de fevereiro de 2021).
10 Ibid.; Cf. Elen Fantini, Polônia – Incidentes de intolerância e discriminação contra cristãos na Europa – 2018, Intolerance against Christians, https://www.intoleranceagainstchristians.eu/fileadmin/user_upload/publications/files/Report2019_final.pdf (acesso em 30 de outubro de 2020).
11 Mapa Interactivo 2019, The Religious Freedom Laboratory, https://laboratoriumwolnosci.pl/interaktywna-mapa/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
12 Soeren Kern, “Europe: Anti-Christian Attacks Reach All-Time High in 2019”, Gatestone Institute, 1 de janeiro de 2020, https://www.gatestoneinstitute.org/15366/europe-anti-christian-attacks; Submissão da recolha de dados ao Gabinete das Instituições Democráticas e dos Direitos Humanos (ODIHR), 2019 Annual Report on Hate Crimes, Ordo Iuris, de março de 2020, https://ordoiuris.pl/sites/default/files/inline-files/Report_2019_Ordo_Iuris_Institute.pdf (acesso em 30 de outubro de 2020).
13 “Ksiądz z Sandomierza ofiarą rozboju. Został pobity i okradziony”, Tlen, 8 de janeiro de 2019, https://www.o2.pl/artykul/ksiadz-z-sandomierza-ofiara-rozboju-zostal-pobity-i-okradziony-6336309076227713a (acesso em 30 de outubro de 2020).
14 Kamil Siałkowski, “Zabił mężczyznę w kościele na Muranowie. Nie odpowie przed sądem za ten atak”, Wyborcza, 14 de janeiro de 2020, https://warszawa.wyborcza.pl/warszawa/7,54420,25597409,zabil-mezczyzne-w-kosciele-na-muranowie-nie-odpowie-przed-sadem.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
15 Magdalena Walczak-Grudzka, “Atak wandala na porannej mszy w Rypinie. Wtargnął do kościoła z siekierą i niszczył”, Gazeta Pomorska, 10 de junho de 2019, https://pomorska.pl/atak-wandala-na-porannej-mszy-w-rypinie-wtargnal-do-kosciola-z-siekiera-i-niszczyl-zdjecia/ar/c1-14198191 (acesso em 30 de outubro de 2020).
16 “Chciał zabić księdza. Rozpoczyna się proces nożownika z Wrocławia”, TVP Info, 23 de novembro de 2019, https://www.tvp.info/45465611/chcial-zabic-ksiedza-rozpoczyna-sie-proces-nozownika-z-wroclawia (acesso em 30 de outubro de 2020).
17 “Kulisy brutalnego ataku na księdza. Napastnik chciał… „odprawiać niby-mszę”! Ruszył proces”, Niezależna, 13 de janeiro de 2020, https://niezalezna.pl/305863-kulisy-brutalnego-ataku-na-ksiedza-napastnik-chcial-odprawiac-niby-msze-ruszyl-proces (acesso em 30 de outubro de 2020).
18 “Sprawca ataku na księdza w Turku wyszedł na wolność”, TVP3 Poznań, 23 de agosto de 2019, https://poznan.tvp.pl/44063034/sprawca-ataku-na-ksiedza-w-turku-wyszedl-na-wolnosc (acesso em 30 de outubro de 2020).
19 “Zaatakowano księdza z Najświętszym Sakramentem!”, Niedziela, 15 de setembro de 2019, https://www.niedziela.pl/artykul/45273/Zaatakowano-ksiedza-z-Najswietszym (acesso em 30 de outubro de 2020).
20 “Ksiądz z Mosiny pobity w Kościele”, Radio Maryja, 4 de novembro de 2019, https://www.radiomaryja.pl/informacje/wielkopolskie-ksiadz-z-mosiny-pobity-w-kosciele/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
21 “Pomnik Jana Pawła II i Reagana w Gdańsku zniszczony”, Radio Szczecin, 17 de maio de 2019, https://radioszczecin.pl/6,388916,pomnik-jana-pawla-ii-i-reagana-w-gdansku-zniszcz; (acesso em 30 de outubro de 2020).
22 Łukasz Sianożęcki, “Kwidzyn. Profanacja krzyża w katedrze”, Gość Niedzielny, 6 de maio de 2019, https://elblag.gosc.pl/doc/5537715.Kwidzyn-Profanacja-krzyza-w-katedrze (acesso em 30 de outubro de 2020).
23 “Bogna Kisiel, Profanacja kościoła w Suchym Lesie. Kobieta zniszczyła ołtarz, psałterz, świece i donice”, Głos Wielkopolski, 22 de julho de 2019, https://gloswielkopolski.pl/profanacja-kosciola-w-suchym-lesie-kobieta-zniszczyla-oltarz-psalterz-swiece-i-donice/ar/c1-14293209 (acesso em 30 de outubro de 2020).
24 “33-latek podpalił zabytkowy kościół. Dlaczego?” Gazeta, Olsztyn, 15 de outubro de 2019, https://olsztyn.wm.pl/611831,33-latek-podpalil-zabytkowy-kosciol-Dlaczego.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
25 “Zniszczyli krzyże i podpalili kościół. Policja szuka sprawców dewastacji w Jeninie”, Polskie Radio 24, 27 de dezembro de 2019, https://www.polskieradio24.pl/5/1222/Artykul/2428036,Zniszczyli-krzyze-i-podpalili-kosciol-Policja-szuka-sprawcow-dewastacji-w-Jeninie (acesso em 30 de outubro de 2020).
26 “Policja musiała interweniować w kościele na Górkach. Toczą się dwa postępowania”, Portal Płock, 23 de abril de 2019, https://portalplock.pl/pl/11_wiadomosci/22162_policja-musia-a-interweniowa-w-ko-ciele-na-g-rkach-tocz-si-dwa-post-powania.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
27 “Prowokacja aktywistów LGBT w świdnickiej katedrze”, eKAI, 17 de setembro de 2019, https://ekai.pl/prowokacja-aktywistow-lgbt-w-swidnickiej-katedrze/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
28 “Wagina imitowała Najświętszy Sakrament na Marszu Równości. Dulkiewicz wydała oświadczenie”, Wprost, 28 de maio de 2019, https://www.wprost.pl/kraj/10220829/wagina-imitowala-najswietszy-sakrament-na-marszu-rownosci-dulkiewicz-wydala-oswiadczenie.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
29 “Arkadiusz Grochot Parodia mszy na Paradzie Równości? „Wydarzenia mają znamiona bluźnierstwa”, Rmf Fm, 8 de junho de 2019, https://www.rmf24.pl/fakty/polska/news-parodia-mszy-na-paradzie-rownosci-wydarzenia-maja-znamiona-b,nId,3034168 (acesso em 30 de outubro de 2020).
30 “Prokuratura: zarzut publicznego nawoływania do zabójstwa dla Marka M., który symulował podcięcie gardła abp. Jędraszewskiemu”, PAP, 24 de junho de 2020, https://www.pap.pl/aktualnosci/news%2C668652%2Cprokuratura-zarzut-publicznego-nawolywania-do-zabojstwa-dla-marka-m-ktory (acesso em 30 de outubro de 2020).
31 “Antysemicki napis na murze cmentarza żydowskiego w Tarnowie został zamalowany”, Radio Kraków, 27 de julho de 2019, https://www.radiokrakow.pl/wiadomosci/tarnow/antysemicki-napis-na-murze-niedawno-odnowionego-cmentarza-zydowskiego-w-tarnowie/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
32 “Antysemityzm w Krakowie. Swastyka i wulgarny napis na murze dawnego getta żydowskiego”, Dziennik, 1 de outubro de 2019, https://wiadomosci.dziennik.pl/wydarzenia/artykuly/609129,antysemityzm-krakow-mur-getto-zydowskie.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
33 Relatório sobre o anti-semitismo ao Relator Especial das Nações Unidas para a Liberdade Religiosa ou de Crença, Simon Wiesenthal Center, https://www.ohchr.org/Documents/Issues/Religion/Submissions/SimonWiesenthalCenter.pdf (acesso em 30 de outubro de 2020).
34 Philipp Fritz, “Hier werden Juden nicht angegriffen wie in Berlin oder Paris”, Die Welt, 27 de janeiro de 2020, https://www.welt.de/politik/ausland/plus205354883/Polens-Oberrabbiner-Michael-Schudrich-Noch-nicht-genug-gelernt.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
35 Marcin Kobiałka, “Muzułmanka z Rzeszowa o rasistowskim ataku: to był cios poniżej pasa”, Rzeszów News, 3 de agosto de 2019, https://rzeszow-news.pl/muzulmanka-z-rzeszowa-o-rasistowskim-ataku-to-byl-cios-ponizej-pasa/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
36 Piotr Rąpalski, “Atak na muzułmankę – poszukiwani świadkowie”, Kraków Nasze Miasto, 28 de outubro de 2019, https://krakow.naszemiasto.pl/krakow-atak-na-muzulmanke-poszukiwani-swiadkowie/ar/c1-7401696 (acesso em 30 de outubro de 2020).
37 “Akcja ABW w Warszawie. Podejrzani mieli szykować atak na muzułmanów”, Radio Dla Ciebie, 13 de novembro de 2019, https://www.rdc.pl/informacje/mieli-przygotowywac-atak-na-muzulmanow-akcja-abw-w-warszawie/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
38 “Międzyreligijna modlitwa o pokój w Warszawie”, Jewish.pl, https://jewish.pl/pl/2019/10/23/miedzyreligijna-modlitwa-o-pokoj-w-warszawie/ https://muzykawiary.pl/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
39 Consultas a 20 de outubro de 2020: O Laboratório da Liberdade Religiosa registou 96 casos, https://laboratoriumwolnosci.pl/, Ordo Iuris Institute for Legal Culture recorded 49 cases, https://ordoiuris.pl/.
40 Radosław Stawski, “Na księdza z parafii Matki Bożej Fatimskiej w Brodnicy z kijem bejsbolowym”, Czas Brodnicy, 26 de janeiro de 2020, https://www.czasbrodnicy.pl/czasbrodnicy/7,93191,25635139,na-ksiedza-z-parafii-matki-bozej-fatimskiej-w-brodnicy-z-kijem.html?disableRedirects=true (acesso em 30 de outubro de 2020).
41 Agnieszka Waszkiewicz, “Przez koronawirusa biegli nie mogli zbadać sprawcy brutalnego napadu na księdza”, Czas Chełmna, 19 de maio de 2020, https://www.czaschelmna.pl/czaschelmna/7,173793,25957757,przez-koronawirusa-biegli-nie-mogli-zbadac-sprawcy-brutalnego.html?disableRedirects=true (acesso em 30 de outubro de 2020).
42 “Brenna: Ujęto sprawców napaści na księdza”, Radio 90FM, 31 de maio de 2020, https://www.radio90.pl/brenna-ujeto-sprawcow-napasci-na-ksiedza.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
43 “Brutalny atak na księdza na dworcu PKP”, Nowiny Nyskie, 9 de outubro de 2020, https://nowinynyskie.com.pl/artykul/brutalny-atak-na-ksiedza/1088672 (acesso em 30 de outubro de 2020), Consultation on 20 de outubro de 2020: Polish Province of the Society of the Divine Word confirmed that elderly priest from this congregation was attacked on 26 de setembro de 2020 at the Nysa railway station.
44 “Jeden strzelał do księdza, drugi w kierunku drzew – Policja namierzyła nastolatków”, TVN24, 28 de janeiro de 2020, https://tvn24.pl/krakow/rzeszow-nastolatkowie-odpowiedza-za-strzelanie-do-ksiedza-3464435 (acesso em 30 de outubro de 2020).
45 “Napad na księdza w Łodzi. Pobicie księdza na Obywatelskiej w Łodzi. 32-letni sprawca zatrzymany. Informacje policji”, Dziennik Łódzki, 15 de fevereiro de 2020, https://dzienniklodzki.pl/napad-na-ksiedza-w-lodzi-pobicie-ksiedza-na-obywatelskiej-w-lodzi-32letni-sprawca-zatrzymany-informacje-policji-15022020/ar/c1-14789422 (acesso em 30 de outubro de 2020).
46 “Pobili księdza. Obezwładnieni przez świadków, straszyli koronawirusem”, Nowe Info, 22 de abril de 2020, https://www.noweinfo.pl/pobili-ksiedza-obezwladnieni-przez-swiadkow-straszyli-koronawirusem/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
47 Malwina Zaborowska, “Rozbój na plebanii. Areszt dla mężczyzny, który groził nożem i znieważał wiernych”, Rmf24, 19 de maio de 2020, https://www.rmf24.pl/fakty/polska/news-rozboj-na-plebanii-areszt-dla-mezczyzny-ktory-grozil-nozem-i,nId,4504366 (acesso em 30 de outubro de 2020).
48 “Znieważył księdza, policjantów i groził śmiercią pracownikowi sądu. 42-letni awanturnik z Dąbrowy Tarnowskiej trafił do aresztu”, Tarnów.Net, 25 de maio de 2020, https://www.tarnow.net.pl/articles/s/i/285649l (acesso em 30 de outubro de 2020).
49 Dariusz Gabryelski, “Pobili księdza przed plebanią w Działoszynie. Trafili do aresztu”, Dziennik Łódzki, 9 de outubro de 2020, https://dzienniklodzki.pl/pobili-ksiedza-przed-plebania-w-dzialoszynie-trafili-do-aresztu/ar/c1-15224926 (acesso em 30 de outubro de 2020).
50 “Skandaliczne ataki na kościoły. Dziennikarze TVN i Onetu oburzeni”, TVP Info, 26 de outubro de 2020, https://www.tvp.info/50501692/skandaliczne-ataki-na-koscioly-dziennikarze-tvn-i-onetu-oburzeni (acesso em 30 de outubro de 2020).
51 “Szczecinek: uczestniczki protestu, zwolenniczki zabijania dzieci, zaatakowały księdza”, Misyjne Drogi, 25 de outubro de 2020, https://misyjne.pl/szczecinek-protestujace-nastolatki-zaatakowaly-ksiedza/ (acesso em 30 de outubro de 2020).
52 “Ksiądz zaatakowany w czasie protestu, bity w brzuch i głowę [WIDEO]”, TVP Info, 28 de outubro de 2020, https://www.tvp.info/50537168/ksiadz-zaatakowany-w-czasie-protestu-bity-w-brzuch-i-glowe-wideo (acesso em 30 de outubro de 2020).
53 “Został brutalnie pobity, bo bronił pomnika św. Jana Pawła II. Wstrząsające sceny w Wołominie”, Polskie Radio24, 28 de outubro de 2020, https://polskieradio24.pl/5/1222/Artykul/2610069,Zostal-brutalnie-pobity-bo-bronil-pomnika-sw-Jana-Pawla-II-Wstrzasajace-sceny-w-Wolominie (acesso em 30 de outubro de 2020).
54 “Skandal! Działacze LGBT i Lewicy Biedronia zaatakowali uczestników Mszy i uroczystości upamiętniających Żołnierzy Wyklętych”, TV Republica, 2 de março de 2020, https://telewizjarepublika.pl/skandal-dzialacze-lgbt-i-lewicy-biedronia-zaatakowali-uczestnikow-mszy-i-uroczystosci-upamietniajacych-zolnierzy-wykletych,92134.html (acesso em 30 de outubro de 2020).
55 “Figura przy kościele św. Krzyża zniszczona podczas wojny, dziś sprofanowana przez działaczy LGBT”, Tygodnik Solidarności, 29 de julho de 2020, https://www.tysol.pl/a51393-Figura-przy-kosciele-sw-Krzyza-zniszczona-podczas-wojny-dzis-sprofanowana-przez-dzialaczy-LGBT (acesso em 30 de outubro de 2020).
56 “Aktywiści LGBT zbezcześcili kolejną świątynię”, Stefczyk Info, 9 de outubro de 2020, https://www.stefczyk.info/2020/10/09/aktywisci-lgbt-zbezczescili-kolejna-swiatynie/ (acesso em 30 de outubro de 2020).

LISTA DE
PAÍSES

Clique em qualquer país do mapa
para ver seu relatório ou utilize o menu acima.

Religious Freedom Report [MAP] ( 2021 ) Placeholder
Religious Freedom Report [MAP] ( 2021 )
Perseguição religiosa Discriminação religiosa Sem registros
Perseguição religiosa
Discriminação religiosa
Sem registros

Calem-se as armas!

Quanto rezamos ao longo destes anos pela paz no Iraque! (…) E Deus escuta; escuta sempre! Cabe a nós ouvi-Lo, andar nos seus caminhos. Calem-se as armas! Limite-se a sua difusão, aqui e em toda a parte! (…) Chega de violências, extremismos, facções, intolerâncias!

Papa Francisco

Palácio Presidencial em Bagdá. Sexta-feira, 5 de março de 2021. Discurso do Santo Padre às autoridades, à sociedade civil e ao corpo diplomático do Iraque.

SOBRE A ACN

ACN (Ajuda à Igreja que Sofre no Brasil) é uma organização católica fundada em 1947 pelo Padre Werenfried van Straaten para ajudar os refugiados de guerra. Desde 2011 reconhecida como fundação pontifícia, a ACN dedica-se a ajudar os cristãos no mundo inteiro – através da informação, oração e ação – especialmente onde estes são perseguidos ou sofrem necessidades materiais. A ACN auxilia todos os anos uma média de 5.000 projetos em 130 países graças às doações de benfeitores, dado que a fundação não recebe financiamento público.

Conheça a ACN