A ACN continua ajudando na reconstrução da região cristã do Iraque, destruída pela guerra e pelo grupo Estado Islâmico (EI). Em março de 2019 o EI perdeu os últimos resquícios do seu califado na Síria. Em outubro do mesmo ano, Abu Bakr Al-Baghdadi, o mais notório terrorista do mundo, morreu numa troca de tiros com os soldados americanos.

Enquanto isso, a vida na região cristã ao norte de Mosul, na Planície de Nínive, está lentamente recomeçando, com a ajuda da  ACN. Isso depois de dois anos que Mosul foi libertada dos governantes islâmicos.

Em outubro de 2019, o secretário geral da ACN, Philipp Ozores, visitou a Planície de Nínive para anunciar o início de uma nova e importante etapa de apoio a essa região. De acordo com o secretário, esse apoio inclui a restauração de propriedades da Igreja para restabelecer o sentimento de segurança dos residentes que voltaram.

Cerca de 45% da população voltou à cidade. Lojas foram reabertas, muitas casas foram reconstruídas e as igrejas retomaram suas atividades: catequese, rádio, escolas e grupos de mulheres. Grande parte dessa volta à normalidade tem sido apoiada pelos benfeitores da ACN, que possibilitaram um amplo programa de ajuda emergencial e reconstrução local. Desde 2014 foram realizados mais de 300 projetos de ajuda emergencial para apoiar os cristãos no Iraque.

Na Planície de Nínive, a ACN ajudou na reconstrução de 2.086 casas, ou seja, 37% de todas as casas que foram reconstruídas. Este programa de reconstrução no Iraque beneficiou casas de Qaraqosh, Bartella, Tesqopa, Karamless, Bashiqa e Bahzani.

Emigração ainda é uma ameaça

No entanto, a emigração continua sendo uma grave ameaça para o futuro da região. Muitas pessoas já não acreditam que o Cristianismo possa florescer no Iraque. Elas procuram países como a Austrália e a Alemanha em busca de um futuro melhor. A taxa de emigração é tão alta que torna urgente ações para restaurar a segurança e oferecer motivos reais para que os cristãos naturais do Iraque permaneçam em seu país natal.
Neste contexto, a ACN está iniciando uma nova fase de projetos destinados a fazer as pessoas se sentirem seguras nas cidades para onde voltaram. Esses projetos se destinam a reconstruir a infraestrutura de igrejas em situação crítica, em várias cidades e vilas cristãs da região.

Philipp Ozores participou de uma reunião do Comitê de Reconstrução de Nínive, (CRN) presidida pelo Padre Andrzej Halemba, responsável pelos projetos da ACN no Oriente Médio, onde anunciou vários desses projetos. Representantes da Igreja Católica Síria (Padre George Jahola), da Igreja Ortodoxa Síria (Padre Jacob Yasso) e da Igreja Católica Caldeia (Padre Thabet Habib) participaram da reunião da CRN. Philipp Ozores falou aos participantes da solidariedade da igreja católica global: “Estamos com vocês e permaneceremos com vocês no Iraque”.

Reconstrução no Iraque restaura a fé

O maior desses projetos é o da Igreja de Al-Tahira. Aliás esta é a maior igreja do Iraque, localizada Baghdeda, (maior cidade cristã do Iraque) de população 95% católica. A ACN apoiará a restauração do interior da igreja. Atualmente, o interior está carbonizado pelo fogo que os militantes do EI atearam com os bancos e outros móveis, antes de fugir da cidade.

Todos os dias, os paroquianos se reúnem nas ruínas da Igreja. Muitos deles tristes por irem rezar numa igreja visivelmente profanada, que foi um dia o orgulho da cidade. Muitas pessoas estão ainda se recuperando dos traumas do deslocamento, dos parentes assassinados e da consciência que sua cidade foi colonizada durante dois anos por fanáticos.

A ACN espera que esse projeto restaure a esperança dos cristãos que restam no Iraque, um número pequeno e combalido, equivalente à cerca de 10% dos 1,5 milhões de cristãos que existiam no país antes da eclosão da guerra civil e do assassinato de pelo menos 1.000 cristãos por motivos religiosos.
Embora os cristãos da Planície de Nínive tenham dado provas de resiliência, eles esperam não ser esquecidos neste período crítico de reconstrução.
Uma vez restaurado o interior, outros trabalhos deverão ser feitos para restaurar o exterior danificado e o campanário do edifício. O Arcebispo sírio-católico de Mosul, Pertos Mouche, disse à ACN: “Para nós, esta Igreja é um símbolo. Foi construída em 1932 pelos próprios habitantes de Qaraqosh. Por isso, queremos que esse símbolo permaneça, um símbolo cristão para encorajar as pessoas, sobretudo os habitantes locais de Baghdeda, a permanecerem aqui”.

Agradecimento aos benfeitores

“Este é nosso país, e este é o testemunho que podemos dar por Cristo… eu gostaria de aproveitar essa ocasião para agradecer às pessoas que nos ajudam, pois essas organizações não poderiam nos ajudar sem o apoio de seus benfeitores”.

A ACN também aprovou um projeto para a reconstrução do auditório Najem Al-Mashrik, em Bashiqa, uma cidade cristã e yazidi com uma grande população sírio-ortodoxa. A sala permitirá à Igreja celebrar grandes casamentos novamente e, assim, encorajará os jovens a criar um futuro em sua terra natal, em vez de procurar no exterior.

O padre local, Daniel Behnam, disse: “Estamos muito felizes com a futura reconstrução no Iraque, principalmente do edifício Najem Al-Mashrik. Este projeto ajudará a garantir a sobrevivência das famílias cristãs e lhes fornecer serviços importantes. Em particular, ajudará os jovens, oferecendo um espaço para atividades pastorais, culturais e juvenis.”

A ACN aprovou outros treze projetos para cristãos sírio-católicos, caldeus e sírio-ortodoxos, todos destinados a reconstruir propriedades eclesiásticas danificadas pelos jihadistas do EI.

Você pode realizar também sua doação clicando aqui.