versão para impressão

Este é o Ano de São José

31 de agosto de 2021

ACN apresenta testemunhos de devoção a São José entre os seus parceiros de projetos na África, Ásia e América Latina

Por ocasião da celebração do Ano de São José, proclamado pelo Papa Francisco de dezembro de 2020 até dezembro de 2021, a ACN reuniu uma série de reflexões, testemunhos e milagres relacionados a este santo, por parceiros em todo o mundo.

“São José é um exemplo para cada estado de vida”, disse Dom Domingo Buezo Leivo, Bispo do Vicariato Apostólico de Izabal, na Guatemala. No entanto, em certa medida, os pensamentos sobre a pessoa de São José tendem a refletir as preocupações particulares das pessoas em cada país em particular. “Gosto de pensar em São José como o homem responsável que, para proteger a vida do Menino e da sua Mãe, tem que fugir e sofrer todas as consequências, como o cansaço, o perigo, a incerteza. Mas ele salva a vida do Menino e de sua Mãe ”, acrescenta.
Dom Domingo se refere, é claro, ao drama humano em curso dos milhares de migrantes da América Central e do Sul que atualmente fogem de seus próprios países em busca de uma vida melhor para eles e seus familiares. “Alguns deles estão literalmente lutando para salvar suas vidas, como José e Maria com o Menino Jesus nos braços”, explica o bispo ao confiar aos cuidados de São José todas essas pessoas que se expõem “aos perigos e desafios de uma jornada migrante ”.

Religiosos expressam a devoção a São José

Padres e religiosos da Guiné Bissau, Uruguai, África do Sul e Brasil – para citar apenas alguns – descrevem como expressam sua devoção ao santo em suas respectivas comunidades. Em Manaus, Brasil, onde a ACN  está apoiando a formação dos seminaristas

arquidiocesanos, a devoção a São José está espalhada por toda a cidade.

O seminário de São José foi fundado em 1848 e os padres estabeleceram também a paróquia com o mesmo nome. Muitos anos depois o seminário foi fechado, “mas a devoção ao santo continuou e a paróquia se consolidou ainda mais”, explica o Padre Zenildo Lima, atual reitor do seminário arquidiocesano de São José. Em 1999, um grupo de fiéis começou a rezar uma novena para o santo no dia 19 de cada mês. Enfim, a devoção se espalhou rapidamente entre o povo e se tornou “a maior expressão individual de piedade popular na arquidiocese”. Agora, a igreja paroquial foi elevada ao status de Santuário Diocesano de São José e, no dia da festa do santo, mais de 100.000 fiéis lotam a área.

“Aos pés da sua imagem estão tantas histórias de sofrimento, esperança e oração”, assegura Padre Zenildo.

Além disso, incluindo sua própria história: em dezembro de 2016 ele adoeceu com pneumonia e estava realmente muito perto da morte. Depois de cinco horas pairando entre a vida e a morte, ele superou a crise. Afinal recebeu alta hospitalar no dia 19 deste mês. “Minha mãe de 78 anos, ao me ver, correu até mim e me abraçou, chorando de gratidão, e sussurrou:‘ Rezei tanto a São José para não te perder! ’.”

Envio de seminaristas

A devoção se espalha pelo mundo

Muitos parceiros do projeto falam de ajudas espirituais concedidas pelo santo. Por exemplo, o Padre Godino Phokoso da Diocese de Dedza, no Malawi, explicou à ACN como o seu pai lhe havia transmitido a devoção a São José. “Ele sempre chamava São José“ o carpinteiro ”. Ele

 

falou muito comigo sobre ele, me dizendo que ele era um homem justo, trabalhador, um pai amoroso. ” Também São José que o ajudou a entrar no seminário, recorda o Padre Godino. Ele descreve sua relação com São José como “a de pai e filho”. “Ele é meu pai amoroso, que nunca se cansa de minhas petições”, coisas como “pregar um bom sermão, ser um bom servo de Deus, manter a saúde e assim por diante. Muitas dessas coisas já recebi e posso testemunhar; as outros ainda estão a caminho ”, acrescenta.

Entre os testemunhos recebidos pela ACN há também relatos da Índia de milagres e curas atribuídos à intercessão do santo. O padre jesuíta George Kerketta, da paróquia de São José em Dolda, estado de Jharkhand, onde a ACN ajuda nas reparações do telhado da igreja, fala de crises na família e na vida conjugal que foram resolvidas graças à intercessão do santo. Ele está igualmente certo de que as vocações ao sacerdócio e à vida religiosa nasceram por intercessão do patriarca São José. Mas há também outras histórias! Como o momento em que um dos paroquianos foi atacado por um tigre e se recuperou das feridas depois de familiares orarem a São José.

A celebração do Ano de São José foi marcada pela crise de Covid-19. Mas também foi, para muitas pessoas, uma oportunidade de se recomendar à sua proteção, como Pe. Ernest Adwok, pároco da Catedral de São José de Malakal, no Sudão, que relata: “O Papa Francisco quer que este ano seja dedicado a São José. Afinal estamos diante de uma situação de bloqueio devido à pandemia. Mas, apesar disso, ainda é possível realizar algumas atividades em homenagem a este Ano de São José? Acredito que, se confiarmos em Deus, todos os tipos de coisas podem mudar. Esperamos que, por intercessão de São José, o mundo todo seja libertado desta pandemia ”, diz. “São José foi um homem de sonhos e de ação. Adotei isso como meu estilo de vida, minha vocação. Tenho sonhos sobre minha vida futura. Então, o que vou fazer na paróquia onde trabalho? ”, reflete o Padre Adwok.

versão para impressão

ACN apresenta testemunhos de devoção a São José entre os seus parceiros de projetos na África, Ásia e América Latina

Por ocasião da celebração do Ano de São José, proclamado pelo Papa Francisco de dezembro de 2020 até dezembro de 2021, a ACN reuniu uma série de reflexões, testemunhos e milagres relacionados a este santo, por parceiros em todo o mundo.

“São José é um exemplo para cada estado de vida”, disse Dom Domingo Buezo Leivo, Bispo do Vicariato Apostólico de Izabal, na Guatemala. No entanto, em certa medida, os pensamentos sobre a pessoa de São José tendem a refletir as preocupações particulares das pessoas em cada país em particular. “Gosto de pensar em São José como o homem responsável que, para proteger a vida do Menino e da sua Mãe, tem que fugir e sofrer todas as consequências, como o cansaço, o perigo, a incerteza. Mas ele salva a vida do Menino e de sua Mãe ”, acrescenta.
Dom Domingo se refere, é claro, ao drama humano em curso dos milhares de migrantes da América Central e do Sul que atualmente fogem de seus próprios países em busca de uma vida melhor para eles e seus familiares. “Alguns deles estão literalmente lutando para salvar suas vidas, como José e Maria com o Menino Jesus nos braços”, explica o bispo ao confiar aos cuidados de São José todas essas pessoas que se expõem “aos perigos e desafios de uma jornada migrante ”.

Religiosos expressam a devoção a São José

Padres e religiosos da Guiné Bissau, Uruguai, África do Sul e Brasil – para citar apenas alguns – descrevem como expressam sua devoção ao santo em suas respectivas comunidades. Em Manaus, Brasil, onde a ACN  está apoiando a formação dos seminaristas

arquidiocesanos, a devoção a São José está espalhada por toda a cidade.

O seminário de São José foi fundado em 1848 e os padres estabeleceram também a paróquia com o mesmo nome. Muitos anos depois o seminário foi fechado, “mas a devoção ao santo continuou e a paróquia se consolidou ainda mais”, explica o Padre Zenildo Lima, atual reitor do seminário arquidiocesano de São José. Em 1999, um grupo de fiéis começou a rezar uma novena para o santo no dia 19 de cada mês. Enfim, a devoção se espalhou rapidamente entre o povo e se tornou “a maior expressão individual de piedade popular na arquidiocese”. Agora, a igreja paroquial foi elevada ao status de Santuário Diocesano de São José e, no dia da festa do santo, mais de 100.000 fiéis lotam a área.

“Aos pés da sua imagem estão tantas histórias de sofrimento, esperança e oração”, assegura Padre Zenildo.

Além disso, incluindo sua própria história: em dezembro de 2016 ele adoeceu com pneumonia e estava realmente muito perto da morte. Depois de cinco horas pairando entre a vida e a morte, ele superou a crise. Afinal recebeu alta hospitalar no dia 19 deste mês. “Minha mãe de 78 anos, ao me ver, correu até mim e me abraçou, chorando de gratidão, e sussurrou:‘ Rezei tanto a São José para não te perder! ’.”

Envio de seminaristas

A devoção se espalha pelo mundo

Muitos parceiros do projeto falam de ajudas espirituais concedidas pelo santo. Por exemplo, o Padre Godino Phokoso da Diocese de Dedza, no Malawi, explicou à ACN como o seu pai lhe havia transmitido a devoção a São José. “Ele sempre chamava São José“ o carpinteiro ”. Ele

 

falou muito comigo sobre ele, me dizendo que ele era um homem justo, trabalhador, um pai amoroso. ” Também São José que o ajudou a entrar no seminário, recorda o Padre Godino. Ele descreve sua relação com São José como “a de pai e filho”. “Ele é meu pai amoroso, que nunca se cansa de minhas petições”, coisas como “pregar um bom sermão, ser um bom servo de Deus, manter a saúde e assim por diante. Muitas dessas coisas já recebi e posso testemunhar; as outros ainda estão a caminho ”, acrescenta.

Entre os testemunhos recebidos pela ACN há também relatos da Índia de milagres e curas atribuídos à intercessão do santo. O padre jesuíta George Kerketta, da paróquia de São José em Dolda, estado de Jharkhand, onde a ACN ajuda nas reparações do telhado da igreja, fala de crises na família e na vida conjugal que foram resolvidas graças à intercessão do santo. Ele está igualmente certo de que as vocações ao sacerdócio e à vida religiosa nasceram por intercessão do patriarca São José. Mas há também outras histórias! Como o momento em que um dos paroquianos foi atacado por um tigre e se recuperou das feridas depois de familiares orarem a São José.

A celebração do Ano de São José foi marcada pela crise de Covid-19. Mas também foi, para muitas pessoas, uma oportunidade de se recomendar à sua proteção, como Pe. Ernest Adwok, pároco da Catedral de São José de Malakal, no Sudão, que relata: “O Papa Francisco quer que este ano seja dedicado a São José. Afinal estamos diante de uma situação de bloqueio devido à pandemia. Mas, apesar disso, ainda é possível realizar algumas atividades em homenagem a este Ano de São José? Acredito que, se confiarmos em Deus, todos os tipos de coisas podem mudar. Esperamos que, por intercessão de São José, o mundo todo seja libertado desta pandemia ”, diz. “São José foi um homem de sonhos e de ação. Adotei isso como meu estilo de vida, minha vocação. Tenho sonhos sobre minha vida futura. Então, o que vou fazer na paróquia onde trabalho? ”, reflete o Padre Adwok.

Deixe um comentário