O Padre Teresito “Chito” Soganub, ex-vigário geral da Prelazia de Marawi, faleceu na manhã do dia 22 de julho. O falecimento ocorre três anos após ter sobrevivido ao longo e escuro cerco de Marawi. Teresito tinha 59 anos.

A causa da morte foi parada cardíaca, como confirmado pelo Bispo Edwin Dela Peña, da Prelazia de Marawi. “Nosso querido Padre Teresito Soganub morreu de parada cardíaca durante o sono nesta manhã de 22 de julho de 2020. Ele estava em sua casa em Noralah, no sul de Cotabato”, escreveu ele em um post no Facebook. O horário estimado de sua morte foi entre 5h00 e 6:00.

Padre Teresito estava entre os reféns do grupo Maute, inspirado no grupo Estado Islâmico, que travou guerra e terror em Marawi, nas Filipinas, por cinco meses. Seu cativeiro durou 117 dias.

Tristeza pelo falecimento do Padre Teresito Soganub

A ACN estende profundamente as condolências mais sinceras à família e aos parentes enlutados. Thomas Heine-Geldern, presidente executivo da ACN, enviou suas condolências ao Bispo Edwin Dela Peña:

“Nosso relacionamento não foi apenas profissional, através de obras do projeto e entrevistas na mídia com o Padre Teresito, mas também pessoal. Seus esforços de diálogo inter-religioso e construção da paz, culminando em seu extraordinário testemunho de grande fé durante seu sequestro, nos proporcionaram inspiração e um grande carinho por esse homem que também conhecemos como Padre Chito. Somos sempre gratos por sua presença durante nossa celebração da quarta-feira vermelha nas Filipinas em 2018, onde ele compartilhou de bom grado suas experiências de cortar o coração não apenas em cativeiro, mas também com Deus. Essas histórias, juntamente com suas obras, continuam a inspirar e incentivar ainda hoje a cumprirmos melhor nossa missão de ajudar nossos irmãos e irmãs perseguidos em Cristo. Obrigado, Padre Teresito. Que sua alma valente descanse em paz”.

Aliás, muito antes do cerco, Padre Teresito já estava abrindo caminho para diálogos inter-religiosos entre cristãos e muçulmanos.

Padre Teresito era ativo em Mindanao, onde continuou sua defesa da paz. Posteriormente ele foi o presidente da Pakigdait (que significa “paz” ou “solidariedade”), uma organização pioneira de diálogo inter-religioso e construção da paz em Lanao.

A ACN apoiou vários projetos na Prelazia de Marawi a fim de ajudar as vítimas da violência em Mindanao e promover o diálogo inter-religioso nos últimos anos.