versão para impressão

Menina sequestrada no Paquistão foge de cativeiro

26 de agosto de 2020

Maira Shahbaz, a menina cristã paquistanesa sequestrada recentemente em Punjab, Paquistão, escapou da casa de Mohamad Nakash, o homem que, de acordo com o Tribunal Superior de Lahore, é seu marido legítimo. Após sua fuga, ela foi a uma delegacia de polícia para prestar seu depoimento, no qual também declarou que foi filmada enquanto era estuprada pelo sequestrador.

Maira fugiu da casa de Nakash nas proximidades de Faisalabad, no Paquistão, onde fontes próximas à família dizem que ela foi forçada à prostituição. Agora ela, sua mãe e três irmãos estão fugindo de casa. De acordo com Maira, Mohamad Nakash ameaçou matá-la, bem como sua família: “Eles ameaçaram matar minha família inteira. Minha vida estava em jogo nas mãos do acusado e Nakash repetidamente me estuprou violentamente”.

Em sua declaração, a menina católica refutou sua suposta conversão do cristianismo, enfatizando que ela havia sido induzida a assinar documentos em branco extorquidos pelo sequestrador. Ela acrescentou que os sequestradores e seus cúmplices ameaçaram publicar o vídeo do estupro online se ela não cumprisse suas exigências.

Menina sequestrada prestou depoimento

A ACN recebeu uma cópia do depoimento de Maira à polícia, do advogado da família, Khalil Tahir Sandhu, descrevendo como ela foi sequestrada e as atrozes crueldades que sofreu no cativeiro.
Em uma entrevista à ACN, Lala Robin Daniel, amiga da família de Maira, descreveu a sua vida em fuga, mudando-se de um lugar para outro em intervalos de poucos dias, acrescentando: “Maira está traumatizada. Ela não pode falar. Queremos levá-la ao médico, mas temos medo de sermos vistos. Estamos todos com muito medo, mas colocamos nossa confiança em Deus.”

A família solicitou a prisão de Nakash por crimes sexuais envolvendo uma menor. O advogado, Tahir Sandhu, apelou aos tribunais para cancelar o casamento e reconhecer a violência sofrida para obter a conversão forçada.

Em resposta, o suposto sequestrador solicitou a prisão da mãe da vítima, Nighat, seus tios e Lala Robin Daniel, alegando que eles sequestraram a menina e a levaram de sua casa.

Casamento forçado com menina de 13 anos

Esses eventos acontecem quase três semanas depois que o Tribunal Superior de Lahore decidiu a favor de Nakash. No caso do suposto sequestro da menina em 28 de abril, afirmam que ele e dois cúmplices a sequestraram em plena luz do dia.

A família tem contestado as alegações de Nakash de se casar com Maira, a menina sequestrada. No tribunal, o advogado apresentou a certidão de nascimento para mostrar que a menina tinha 13 anos na cerimônia em outubro passado. O clérigo muçulmano citado na certidão de casamento também a considerou uma farsa e foi à polícia reclamar.

Sequestros de mulheres é frequente

De acordo com o Relatório de Liberdade Religiosa no Mundo da ACN, o sequestro e conversão forçada de mulheres de minorias religiosas – frequentemente acompanhados de estupro e outras formas de violência sexual – é um grande problema em vários países. Pois diz respeito a violações dos direitos humanos, especialmente Paquistão e Egito. Esses sequestros não seguem um padrão estabelecido. Alguns são oportunistas, enquanto outros são realizados por grupos organizados.

Uma proporção significativa não é necessariamente motivada exclusivamente pela fé religiosa, mas por uma combinação de fatores, incluindo, em alguns casos, incentivos financeiros.

ONGs no Paquistão estimam que, anualmente, cerca de 1.000 mulheres cristãs e hindus são sequestradas e forçadas a se converter ao islamismo e se casar com seu agressor. No Egito, pelo menos 550 mulheres cristãs entre 14 e 40 anos desapareceram entre 2011 e 2014 – e as meninas ainda são sequestradas regularmente.

De acordo com o Conselho de Direitos Humanos do Paquistão e o Movimento pela Solidariedade e Paz no Paquistão, os sequestros de mulheres estão aumentando. Frequentemente as autoridades dizem aos pais que a menina se converteu e se casou por vontade própria. Muitas famílias não denunciam o crime, ou desistem do caso, após ameaças contra outras mulheres da família.

Faz parte da missão da ACN dar voz aos cristãos que sofrem perseguição, como é o caso de Maira Shahbaz e sua família. A ACN também teve um grande papel ao dar voz à Asia Bibi, durante os anos em que ela esteve presa, condenada à morte por ter sido acusada de blasfêmia.

Assista também ao programa A Igreja pelo Mundo sobre os cristãos no Paquistão, no canal da ACN Brasil no Youtube.

Leave A Comment