A Irmã Annie Demerjian, da Síria, agradece a “enorme generosidade” dos benfeitores da ACN nestes tempos duros de pandemia. Ela, que pertence à congregação de Jesus e Maria, enviou uma mensagem de oração e de solidariedade para todos os benfeitores da ACN. A Irmã agradece “com sinceridade” toda a ajuda que tem sido dada ao seu país, a Síria.

Agora, perante a ameaça do coronavírus, diz a Irmã Annie, essa ajuda ainda se torna mais significativa. E dá exemplos de como, em várias cidades sírias, a comunidade cristã tem estado na linha da frente no trabalho assistencial junto dos mais fragilizados. “Em Alepo, os nossos grupos auxiliam os idosos, sobretudo por existirem tantos que não possuem outra ajuda. Em Damasco, as nossas irmãs estão ajudando alguns idosos a comprar aquilo que eles necessitam, para que evitem sair às ruas.”

Irmã mostra a importância da generosidade dos benfeitores

A Irmã Annie é uma grande parceira de projetos da ACN na Síria. Agora, nesta mensagem enviada para a ACN, procura mostrar como é importante manter bem ativos os laços de solidariedade com o povo sofrido da Síria.

“As pessoas não têm nada em que se apoiar. Como irão sobreviver? Nós lhes damos aquilo de que necessitam. O nosso habitual esforço, aliado à generosidade dos benfeitores da ACN, nos permitiu oferecer a mais de 22 mil crianças de toda a Síria uma calça e blusa de lã. Podem imaginar a alegria das nossas crianças! Desta vez, os idosos de Alepo receberam um par de calçados”, diz a religiosa.

“Agora, nestes dias, a ajuda continua, sobretudo àqueles com idosos que mais precisam. Esses continuam a receber cestas de alimentos e um auxílio para suas necessidades básicas.”

Sofrimento para um país destruído

A pandemia veio tornar ainda mais duro o cotidiano sofrido dos sírios. A guerra destruiu grande parte das estruturas hospitalares, como alertou em março a Irmã Myri, a religiosa portuguesa que vive no Mosteiro de São Tiago Mutilado, em Qara. A guerra destruiu grande parte das estruturas hospitalares. Sem uma rede de hospitais e de centros de saúde devidamente equipados, será difícil, para não dizer quase impossível, cuidar da evolução da pandemia.

Além do mais, alertou então a Irmã Myri, será difícil pedir às pessoas para ficarem em casa. Sem poderem ir trabalhar, as famílias ficam numa situação desastrosa. “As pessoas não terão dinheiro para trazer alimentos para ficarem fechadas em casa durante várias semanas”. “Não têm, não há dinheiro, não há possibilidade disso”, diz. “Há muita gente que se alimenta mal e não tem imunidade”, afirmou a religiosa portuguesa.

Palavras que a Irmã Annie também subscreve. “Realmente seria um desastre se houvesse um surto de coronavírus por aqui. Os hospitais carecem de equipamento, sobretudo, como se sabe, porque a Síria está passando por um período muito difícil por causa da guerra. As fronteiras estão fechadas. É muito importante respeitar aquilo que o Governo e a Igreja nos pedem, a fim de ajudar a proteger o nosso povo.”

Medidas já começam a ser tomadas

A verdade é que, com mais ou menos meios, o governo de Damasco já começou a implementar uma série de medidas para enfrentar a pandemia. A Irmã Annie Demerjian explica algumas dessas medidas na mensagem enviada para a ACN. “O Governo fechou as escolas e universidades, os funcionários públicos foram mandados para casa, as igrejas pararam todas as suas atividades, foram fechadas e não há Missa.”

Apesar do medo, sempre há esperança. A Irmã Myri lembra aos benfeitores da ACN em todo o mundo a própria experiência do povo sírio, que tem vivido nos últimos anos em guerra. Seguramente esta é uma das piores provações a que o ser humano pode estar sujeito.

“Enquanto povo, nós os sírios, passamos por tempos muito difíceis”, disse, acrescentando que “se a dor e o sofrimento existem, não podemos esquecer que a Ressurreição existe diariamente. A nossa vida é como uma medalha que podemos usar: uma face está cheia de dor e sofrimento, mas na outra face está a Ressurreição com Nosso Senhor, livre de todo o sofrimento. Temos de confiar no Senhor, mas nunca colocá-lo à prova.”

A ACN está abraçando sua missão de ajudar os que mais precisam ainda mais neste tempo difícil da pandemia do coronavírus. Com a sua ajuda, conseguiremos ajudar ainda mais. Faça a sua doação e seja um missionário a partir da sua casa!

Assista também ao vídeo Mártires da Fé – Síria, no canal da ACN Brasil no Youtube. Conheça o testemunho do Padre Frans, que foi assassinado por terroristas em sua paróquia. Seu testemunho inspirou jovens a continuarem no país e a ajudarem os cristãos que mais precisam.