versão para impressão

Freira sequestrada no Congo

14 de julho de 2021

Congregação das Filhas da Ressurreição pede oração para que os sequestradores libertem a freira sequestrada. A religiosa é mantida como refém desde a última quinta-feira, 08/07, quando saiu para o mercado fazer compras para a comunidade.

A ACN  informa o sequestro de uma irmã religiosa da Congregação das Filhas da Ressurreição, em Goma, na região de Kivu, na República Democrática do Congo. Segundo informações de parceiros locais da ACN, a irmã Francine foi sequestrada na quinta-feira (08/07). A freira tinha ido ao mercado local para fazer compras para a comunidade, mas não voltou. Mais tarde, sequestradores entraram em contato com a Igreja local e exigiram um resgate. Todavia ainda não está claro se são bandidos ou um grupo ligado a rebeldes que lutam na área de Kivu.

A congregação das Filhas da Ressurreição apela à ACN e a toda comunidade por orações e apoio para que nada aconteça à freira sequestrada e que essa terrível situação termine o mais breve possível.

Durante anos, as províncias orientais do Congo foram sitiadas por grupos de milícias. Fatores importantes nesse desenvolvimento são conflitos étnicos, deslocamento demográfico e acesso a matérias-primas. Nos últimos anos, a situação foi exacerbada por um poderoso elemento islâmico radical.

Freira sequestrada não é o único problema grave da região

No ano passado, os bispos da província eclesiástica de Bukavu, composta por seis dioceses nessas regiões, expressaram seu alarme sobre as condições predominantes. Além disso advertiram para não se fazer interpretações simples da situação: “Nós [somos] da opinião de que a luta dentro das comunidades em nível nacional está, possivelmente, sendo usada como pretexto para esconder uma conspiração entre atores internos e externos. Afinal o objetivo é obscurecer a exploração implacável dos recursos naturais (mineração, petróleo, floresta, terra).”

Falando à ACN há algumas semanas, o Bispo Paluku Sekuli Melchisédech, de Butembo-Beni, também na região de Kivu, denunciou graves violações dos direitos humanos que estão sendo realizadas por milicianos saqueadores e violentos criminosos. “Grupos armados estão destruindo escolas e hospitais. Professores e alunos são mortos. Eles matam até os doentes deitados em seus leitos. Não passa um dia sem que as pessoas sejam mortas”, informou o bispo Paluku Sekuli.

A ACN apoia uma série de projetos na RDC – República Democrática do Congo oriental, fornecendo financiamento para a construção de reitorias e igrejas, bem como programas de formação sacerdotal. As Filhas da Ressurreição, uma ordem de Irmãs africanas, foi duramente atingida pela violência na última década; além disso um número de conventos foram forçados a fechar, e várias irmãs foram mortas. Hoje, as Filhas da Ressurreição estão no Brasil, Camarões, França e Itália para uma missão de evangelização.

Leave A Comment