versão para impressão

Caso: Maira Shahbaz

25 de novembro de 2020

Maira Shahbaz tinha apenas 14 anos, quando foi sequestrada sob a mira de uma arma, filmada sendo estuprada, forçada a renunciar à sua fé Cristã e obrigada a um casamento falso. Depois de escapar do cativeiro, ela está escondida após ameaças de morte.

Resumo

Maira Shahbaz estava caminhando perto de sua casa na cidade de Madina, perto de Faisalabad, Paquistão, às 14h do dia 28 de abril de 2020, quando um carro se aproximou. Uma câmera de segurança gravou três homens armados empurrando Maira para dentro do veículo. Dois Cristãos, Parvaiz e Younas Masih, tentaram intervir, mas os sequestradores “ameaçaram matá-los a tiros”. Disparando para o ar, os sequestradores fugiram com Maira. Tudo isso aconteceu durante o lockdown do COVID-19.

No tribunal de Justiça de Faisalabad, em 5 de maio de 2020, seu sequestrador, Sr. Nakash – que já era casado e tinha dois filhos – apresentou um certificado alegando que havia se casado com Maira em outubro de 2019. Embora o advogado da família, Khalil Tahir Sandhu, tenha apresentado a certidão de nascimento mostrando que Maira tinha 14 anos quando foi sequestrada, o Sr. Nakash insistiu em afirmar que Maira tinha 19 anos. O tribunal decidiu a favor do Sr. Nakash, o que fez com que a mãe de Maira, Nighat, tivesse que ser levada a um hospital com um ataque cardíaco. Nighat, mãe de Maira, mais tarde disse à ACN: “Peço que minha filha nos seja devolvida. Tenho medo de nunca mais vê-la.

Ações para obter justiça

Em 23 de julho, o Tribunal distrital de Faisalabad, agindo com base em provas do registro nacional de nascimento, ordenou que Maira fosse colocada em um abrigo Apesar das novas evidências de Maira ser menor de idade, e de uma fatwah (sentença) do imã invalidando o casamento que ele teria realizado, em 4 de agosto de 2020, o Supremo Tribunal de Lahore decidiu novamente a favor do Sr. Nakash.

Maira realizou uma fuga noturna dramática da casa do Sr. Nakash e, em 18 de agosto, disse à polícia que ele a havia drogado, a havia forçado a abandonar o Cristianismo, a havia estuprado repetidamente e gravado os estupros para chantageá-la.

O advogado da família pediu que o Sr. Nakash fosse preso por acusações de sexo com criança, e pediu que seu casamento e conversão religiosa fossem anulados. Nakash apelou, dizendo de que a família de Maira a havia sequestrado. Após uma petição na divisão Rawalpindi do Supremo Tribunal de Lahore em 28 de agosto, a polícia foi instruída para oferecer segurança para Maira e investigar o vídeo que está sendo usado para chantageá-la.

Maira disse que o Sr. Nakash ameaçou matá-la e matar sua família. No momento em que isto está sendo escrito, eles estão escondidos, temendo por suas vidas.

Apelo

Khalil Tahir Sandhu, que atuou no tribunal em favor da família de Maira, condenou o Sr. Nakash e seus cúmplices, dizendo: “O que o Sr. Nakash e seus cúmplices fizeram é claramente contra a lei; eles perpetraram um sequestro com uso de armas de fogo; houve o casamento de uma menor sem que nenhuma permissão de sua mãe tenha sido solicitada, nenhuma permissão por parte sua primeira esposa foi dada e ele apresentou perante o tribunal uma certidão de casamento que sabia ser falsa.” Ele acrescentou: “As pessoas que fazem esse tipo de coisa com uma criança como Maira nos tratam não como seres humanos, mas como se fôssemos animais.”

Mais informações em: Relatório sobre cristãos presos injustamente

Leave A Comment