versão para impressão

Religiosos católicos com medo no Haiti

15 de abril de 2021

Tags: , /

Religiosos católicos estão com medo de se tornarem vítimas no Haiti, após o sequestro de um grupo de padres e religiosos. Assim foi o comentário feito na segunda-feira pelo bispo Jean Désinord, da diocese de Hinche. A diocese fica cerca de 112 quilômetros ao norte da capital, Porto Príncipe.

Em uma conversa com a ACN, o bispo disse: “Estamos nos perguntando quem será o próximo? Serei eu ou um irmão padre? Os padres e religiosos estão realmente em perigo. Afinal vivemos em constante medo ”, explicou o bispo.

Até agora, nem ele nem nenhum outro bispo foi especificamente ameaçado. Mas os casos de abduções de clérigos e religiosos aumentaram recentemente. “No ano passado, um padre e uma irmã religiosa foram sequestrados. Graças a Deus, os dois foram libertados mais tarde ”, disse o bispo à ACN. “Mas não há solução rápida ou fácil para o problema de tais abduções arbitrárias. Mas a Igreja só pode apelar aos nossos líderes políticos para garantir a lei e a ordem. ”

Religiosos católicos com medo de bandidos e questões políticas

É bem provável que esses sequestros mais recentes simplesmente façam parte da ilegalidade e do banditismo generalizados no Haiti. “É simplesmente uma maneira fácil de obter dinheiro“, explicou o bispo.

Enquanto isso, ele não exclui inteiramente um elemento político, além dos motivos criminosos dos sequestradores. É possível que a Igreja tenha sido alvo de alguns políticos por suas críticas à situação atual. “A Igreja no Haiti tem uma missão profética. Ela tem que denunciar as condições terríveis. E, portanto, é bem possível que ela seja um espinho no pé de alguns desses políticos. Mas não podemos saber com certeza “, disse o bispo Désinord. “Mas todo mundo sabe que nossos políticos fazem uso de gangues criminosas para controlar certas áreas. A fronteira entre o crime organizado e a política é bastante fluida. ”

O Bispo Désinord agradeceu o apelo feito pelo Papa Francisco no Domingo de Páscoa. Porque em seu discurso, o Papa lembrou a precária situação de segurança na ilha e expressou sua proximidade com seu povo. “Ficamos muito emocionados com isso“, explicou o bispo. “Foi realmente uma surpresa. Afinal o Santo Padre nos deu tanto tempo durante sua alocução Urbi et Orbi e mencionou o Haiti com tantos detalhes. É um encorajamento para nós sabermos que o Papa está tão perto de nosso povo. “O bispo Jean espera que o apelo do Papa chegue aos ouvidos abertos dos líderes políticos do Haiti. “Em todo o caso, eles não podem ignorar um discurso que é ouvido em todo o mundo“, concluiu.

Agradecimento e pedido aos benfeitores

O bispo Jean também apelou aos benfeitores da ACN para que continuem a acompanhar o povo haitiano. “Obrigado pela sua proximidade e generosidade. A ACN está ao nosso lado neste momento difícil da nossa história. Enfim, por favor, continuem a apoiar a ACN e mostre-nos a sua solidariedade cristã. ”O bispo Jean também fez um apelo à oração pelos bispos do Haiti, que se reunirão na capital, Porto Príncipe, nos próximos dias.

No domingo, cinco padres, duas religiosas e três outras pessoas foram sequestradas na cidade de Croix-des-Bouquets, perto da capital, Porto Príncipe. ALiás, no Haiti, o país mais pobre do continente americano, a situação de segurança vem se deteriorando há anos. Crimes de gangues e abduções são ocorrências diárias. Além disso, existem graves tensões políticas entre o governo e a oposição e, em fevereiro, os bispos católicos do Haiti alertaram para o perigo de uma “explosão social” no país.

Durante anos, a ACN apoia a luta da Igreja no Haiti na sua missão pastoral e humanitária. Aliás só em 2020, a instituição de caridade apoiou mais de 30 projetos diferentes. Afinal, graças à generosidade de seus benfeitores, a ACN pôde ajudar na compra e manutenção de veículos para o trabalho pastoral e ajuda de emergência por conta da pandemia, por meio de ajuda aos sacerdotes e programas educacionais para leigos, catequistas e seminaristas.

Leave A Comment