versão para impressão

‘Está havendo um genocídio na Nigéria’, afirma bispo

1 de setembro de 2020

O bispo da Diocese de Sokoto, Dom Matthew Hassan Kukah, disse à ACN que ele acredita que a violência recente da Nigéria é de natureza genocida. Ele fez essa declaração após a execução de cinco trabalhadores humanitários da Província da África Ocidental do Estado Islâmico (ISWAP).

Quando perguntado se ele concordou que os assassinatos de cristãos por Fulani podem ser classificados como genocídio, de acordo com o direito internacional, ele disse: “Eu acredito que sim”. Ele acrescentou que os muçulmanos também foram vítimas da violência: “[Esses] assassinatos não devem ser reduzidos aos cristãos, porque foram muito piores no norte muçulmano em estados como Katsina, Sokoto e Zamfara.”

O ISWAP divulgou recentemente um vídeo dos cinco trabalhadores humanitários em execução, três dos quais declaradamente cristãos, como um aviso para “todos aqueles que estão sendo usados por infiéis para converter muçulmanos ao cristianismo”.

A Nigéria está falida segundo Dom Kukah

Dom Kukah disse que “não há nenhuma disputa” e que a Nigéria é um estado amplamente falido. Ele acrescentou: “Esse é um segredo antigo. Falhou com seu pessoal, mas as empresas de petróleo ainda estão matando a carcaça”. Ele também disse que “existem evidências para todos verem” de que a Nigéria é um epicentro do terrorismo na região.

O bispo Kukah sugeriu que o governo é cúmplice da violência. Ele disse: “Existem vários níveis de financiamento e, com o tempo, o terrorismo foi capaz de se financiar por criminalidade, violência e sequestros. Teme-se que o governo possa financiar esses grupos inadvertidamente em grande parte, porque penetrou nas agências de segurança. “Os governos também pagaram enormes quantias em dinheiro pelo resgate e aplacaram ostensivamente os terroristas, resgataram cidadãos sequestrados e assim por diante”.

Ele acrescentou: “A ineficiência das forças armadas tornou os terroristas mais ousados e também existem questões sobre a cumplicidade dos vários níveis das forças armadas”. O bispo criticou as potências ocidentais que não fizeram o necessário para ajudar a Nigéria. Ele disse: “Ouvimos promessas dos Estados Unidos e da Europa e todas elas dão em nada.”

As observações de Dom Kukah ecoaram as descobertas do relatório do Grupo Parlamentar para a Liberdade Internacional de Religião ou de Crenças chamado “Nigéria – Genocídio em Desenvolvimento?”, divulgado em junho.

Leave A Comment