versão para impressão

Bispo de Beni faz apelo após massacres

18 de janeiro de 2021

Bispo de Beni, após sangrentos massacres de civis no nordeste da República Democrática do Congo, apelou à comunidade internacional para que ouça os “gritos de sofrimento” de seu país.

Em uma mensagem de vídeo enviada à fundação pontifícia ACN International, Dom Melchisédech Sikuli Paluku disse: “Espero que haja ajuda para os pobres aqui. Há tantos anos na Via Dolorosa, nos sentimos abandonados. ”

Bispo de Beni faz apelo após muitos ataques

Desde 31 de dezembro do ano passado, pelo menos quarenta pessoas foram brutalmente assassinadas nos arredores de Beni, a sede do bispo, durante uma série de ataques supostamente perpetrados pelo grupo de milícia rebelde ADF.

De acordo com reportagens da imprensa, vários foram decapitados com facões. O vídeo-mensagem do bispo inclui fotos de cenas do crime, mostrando as vítimas e a terra encharcada com seu sangue. “Só no ano passado, cerca de 1.000 pessoas foram mortas. Isso vem acontecendo há dez anos. A situação piorou drasticamente desde 2014. Um massacre segue o outro ”, continuou o bispo.

Ele deplorou a indiferença do governo e da mídia na República Democrática do Congo. “A mídia em nosso país não informa nada ou quase nada sobre isso. E a única coisa com que nossos políticos se preocupam é em obter uma parcela do poder. As pessoas aqui simplesmente não contam. Assim eles têm a sensação de que o governo nem existe aqui. Sentimos que as autoridades estaduais nos abandonaram ”.

Esperança de dias melhores

No entanto, apesar de tudo, o Bispo Paluku ainda tem esperança de que a situação melhore. “Esperamos que, no futuro, o estado se esforce mais para acabar com os massacres.”

Afinal, durante anos, os rebeldes do grupo de milícias Forças Democráticas Aliadas (ADF), um grupo originário de Uganda, devastaram as áreas de fronteira entre a República Democrática do Congo e o país vizinho de Uganda, uma área particularmente rica em recursos . O exército congolês e a MONUSCO, a missão de paz da ONU, vêm tentando pacificar esta região sem sucesso há anos.

A região ao redor de Beni, na província de Kivu do Norte, é considerada o epicentro da violência. De acordo com organizações de direitos humanos, o leste do Congo está sofrendo com a crise humanitária mais duradoura da África.

Leave A Comment