versão para impressão

Venezuela hoje: a busca por uma solução pacífica

13 de fevereiro de 2020

A crise na Venezuela clama por uma solução “pacífica e democrática, sem a linguagem da guerra” afirmou o Cardeal Baltazar Henrique Porras durante uma conferência de imprensa no escritório nacional da Fundação ACN na Espanha. Ele lembrou ainda que “mudanças reais são sempre construídas de baixo para cima” e alertou sobre “não aumentar nossas esperanças sobre tantos populismos que estão causando danos ao nosso continente”.

O Arcebispo de Mérida e Administrador Apostólico de Caracas apoiou a campanha da ACN para ajudar a igreja neste país.

Na Venezuela, 30% das crianças sofrem de desnutrição, bem como 60% das famílias buscam comida na rua todos os dias, a censura cresceu enormemente. “Ainda 85% da mídia enfrenta restrições, e a imprensa livre está muito ameaçada”, afirmou o Cardeal. Ele acrescentou que o desaparecimento de jovens é constante e “a repressão é enorme”.

Crise na Venezuela: “criatividade para servir aos outros”

No entanto, a Igreja Católica na Venezuela “não perde esperança, criatividade e constância”, e se dedica completamente a ajudar as pessoas nesta crise social, política, econômica e humanitária. “A Igreja trabalha com criatividade para servir aos outros”, disse ele. “Nos bairros mais populares, a presença da Igreja é impressionante, envolvida em todas essas comunidades com uma alegria e uma dedicação que me edificam”.

As paróquias das dioceses da Venezuela foram transformadas em refeitórios sociais e dispensários médicos, explicou o Cardeal. “O povo se une para dar soluções aos problemas comuns” e são “as pessoas simples e humildes que doam, como no Evangelho, o pouco que têm”. Segundo o Cardeal venezuelano, o trabalho dos padres, religiosos e leigos que estão ajudando os outros é incrível: “eles não apenas dão comida; acompanham, doam tempo e dedicação. A maior falta agora é a do afeto”.

Com relação ao futuro de seu país, o Arcebispo de Mérida acrescentou que “queremos uma saída dessa situação na Venezuela, que seja pacífica e democrática, sem a linguagem da guerra, todos precisamos um do outro. Precisamos fazer algo além das crenças e ideologias políticas, criando consciências profundas para o presente e para o futuro “.

A ACN apoia padres, religiosas, leigos, catequistas e seminaristas a responderem às encruzilhadas em que o país se encontra. Além de ajudar em seu apoio e formação, a ACN abriu projetos de emergência humanitária. Entre as ajudas estão o apoio a cantinas paroquiais, construção de poços de água ou compra de geradores elétricos, entre outras necessidades.

A ACN quer ajudar ainda mais os que sofrem todo tipo de privações na Venezuela, para isso precisamos de você. Clique aqui e faça a sua doação.

Leave A Comment