Batnaya: uma cidade destruída pelo grupo Estado Islâmico renasce no Iraque

Batnaya é uma cidade a cerca de 24 km de Mosul, no norte do Iraque, que foi destruída pelo grupo Estado Islâmico. Antes da chegada dos terroristas, havia 950 famílias vivendo ali, todas elas católicas caldeias. A cidade foi usada pelo grupo terrorista como linha de frente enquanto bombardeou tropas curdas. Portanto, sem dúvida, foi uma das áreas mais atingidas, primeiro pela invasão dos terroristas e depois por um ataque aéreo da coalizão. Segundo um estudo divulgado pela ACN (Ajuda à Igreja que Sofre), após a libertação da região, apenas 10 das 977 casas ficaram sem danos, enquanto dois terços foram completamente destruídas ou queimadas. Por esse motivo, qualquer pensamento de retorno parecia impossível. Por mais de dois anos, Batnaya foi uma cidade fantasma.

Uma família apoiada pelo seu pároco

A situação começou a mudar no ano passado. A primeira família chegou lá em 22 de junho de 2019. A casa deles estava em mau estado, mas Faris Hanna Naamo ainda queria voltar. “Afinal, era minha casa”, diz ele à ACN. Ele era teimoso o suficiente para convencer sua esposa Hana e, juntamente com os três filhos, eles retornaram à cidade. “Não havia eletricidade ou água corrente… e nem vizinhos. Até algo simples como sair para fazer compras era arriscado, pois tínhamos que percorrer 5 km e passar pelos postos de controle do exército para chegar à próxima cidade, Teleskof”, explica Faris.

“Teimoso ou determinado?”

“Teimoso ou determinado?” pergunta o Padre Aram Rameel Hanna, da paróquia de Batnaya, que foi de grande ajuda para a família Faris desde o início. O casal é muito grato a ele porque, como asseguram à ACN, não houve um único dia durante aquele momento terrível em que o Padre Aram não visitou a família. “Eu não sei o que teríamos feito sem ele. Passamos por muitos momentos em que era muito difícil acreditar que tudo iria melhorar. Lembro que minha filha mais nova, Nour, não tinha amigos para brincar, ela só tinha sua irmã mais velha. Ela pegava sua bicicleta e passeava pelas ruas vazias o dia inteiro. Isso me entristeceu. Quando o Padre Aram chegou, foi uma grande bênção para nós, ele nos deu esperança. Ele trouxe novos ares e fortaleceu nossa fé. Graças a ele, fomos capazes de permanecer fortes.”

O Padre Aram insiste que ele só veio tomar uma xícara de chá, sem dar crédito a si próprio. No entanto, não é segredo que este padre, que estudou em Harvard e que dirigia um centro de ajuda para pessoas que sofrem de trauma e transtorno de estresse na cidade vizinha de Algosh, estava prestes a sair para terminar seus estudos quando seu bispo pediu-lhe para cuidar de Batnaya, e assim ele ficou.

O “Mercado para os que Retornaram” conquista novos clientes

Depois da família Faris, outras famílias tiveram a coragem de retornar, entre elas Ghaliv Nouh Oraha, sua esposa Sandra e seus cinco filhos. Eles voltaram para Batnaya em 25 de setembro de 2019. Já havia duas famílias lá. O lojista Diver Salem decidiu que era hora de abrir uma loja e foi assim que nasceu o “Mercado para os que Retornaram”. A coragem de Diver impressionou o Padre Andrzej Halemba – responsável pelos projetos da ACN no Oriente Médio – em sua última visita ao Iraque. “Diver me disse que tinha a sensação de que chegara a hora, mas eu não sei como ele poderia imaginar que outras famílias veriam dessa maneira também. Ele nunca seria capaz de sobreviver com apenas duas famílias como clientes.

Claro, existem famílias que se sentem mais seguras com uma loja por perto, mas agora 75 famílias já retornaram! Eu acredito que foi claramente um trabalho da Providência; se não, não teria funcionado tão bem.”

“Até conheci um homem que havia retornado da Alemanha e estava esperando a esposa dele se juntar a ele”, continua o Padre Andrzej Halemba. Ele está se referindo a Basher Kiryakos Hanna, que retornou assim que pôde, já que sua esposa não se sentia em casa na Europa. “Mas não é fácil”, adverte o Padre Halemba. “Não podemos esquecer as atrocidades que foram cometidas no Iraque; o perigo era real e as pessoas estavam absolutamente aterrorizadas. Mas agora Batnaya está timidamente subindo das cinzas. Existem mais de 300 cristãos na cidade agora, e tenho certeza de que mais virá se os ajudarmos por meio da ACN.”

Uma nova escola maternal para a cidade destruída no Iraque

É uma ajuda absolutamente vital, pois existem alguns projetos de importância fundamental para a vida da comunidade. Os cristãos de Batnaya precisam de uma igreja, um centro comunitário e uma escola maternal para seus filhos. Há um ônibus escolar que pega todas as manhãs cerca de 20 crianças, ansiosas para encontrar seus amigos e aprender coisas novas. Mas, para as crianças mais novas, ainda não existe um jardim de infância ou creche.

As Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Siena, presentes em Batnaya por mais de cem anos, tiveram que fugir com seu povo e acompanhá-lo durante o exílio em Ankawa e Duhok. Agora elas querem voltar para continuar servindo a eles. E assim elas embarcaram em um projeto duplo, envolvendo a reconstrução do jardim de infância e, ao mesmo tempo, seu próprio convento, bombardeado e totalmente destruído. Com o apoio da ACN, elas esperam conseguir o dinheiro necessário para começar a trabalhar nos dois projetos.Im sha Allah – se Deus quiser”, dizem as irmãs que, apesar de terem sofrido muito nos últimos anos, não perderam a coragem ou a esperança em Deus.

Agora é o momento de você ajudar

Também a Igreja de Mar Kriakhos e a capela dedicada a Nossa Senhora da Imaculada (Capela Al-Tahira), profanada e queimada pelos terroristas do grupo Estado Islâmico, aguarda ajuda para ser reconstruída. As imagens foram decapitadas, as janelas quebradas, os terroristas usaram os espaços como área de tiro e picharam tanto em árabe quanto em alemão: «Escravos da cruz – matamos todos vocês. Este é um território islâmico… você não pertence aqui». Fari e Hana, Ghaily e Sandra, Basher Kiryakos ou Diver Salem tiveram a coragem e a audácia de retornar e provar que sua fé e amor pela terra dos ancestrais são mais fortes do que o medo dessas ameaças. A ACN está comprometida em ajudá-los com seus propósitos. Mas, para essa ajuda acontecer, precisamos da sua caridade. Clique aqui e faça a sua doação!

Assista também ao documentário produzido pela ACN: Nínive, Isto é Fé!