versão para impressão

Terrível situação enfrentada no Haiti

31 de agosto de 2021

Por telefone à ACN Internacional, o cardeal Chibly Langlois, bispo da diocese de Les Cayes, descreveu a terrível situação enfrentada no Haiti. “Até o momento, ainda não recebemos nenhuma barraca. As pessoas estão dormindo no chão. Não há água, eletricidade, comida, roupas.”

Muitas pessoas estão traumatizadas e algumas ainda não sabem o que aconteceu com seus familiares. Ainda mais que os tremores secundários continuam. Em termos de danos materiais, o quadro completo da devastação causada pelo terremoto está gradualmente se tornando aparente.

ACN acaba de receber um relatório parcial, pois ainda não foi possível reunir informações sobre todas as paróquias da diocese de Les Cayes. Até agora, um total de 682 mortes foram registradas na diocese, com 2.175 pessoas feridas e quase 11.500 casas danificadas. Além disso, 135 igrejas foram destruídas e 111 danificadas.

Terrível situação após o terremoto preocupa ACN

“Agradeço sua preocupação com nossa diocese. Estou comovido com a sua proximidade, especialmente durante este período difícil após o terremoto ”, disse o Cardeal. “Milagrosamente, escapamos ilesos, mas muitas pessoas perderam a vida, entre elas o padre Jacques Percy, um padre aposentado que estava hospedado na casa do bispo. Obrigado por se lembrar dele nas suas orações ”, disse o Cardeal Langlois à ACN.

“As estatísticas são alarmantes, mas não passam de um indício do sofrimento vivido pela população”, disse Rafael D’Aqui, chefe do escritório da América Latina responsável pelo Haiti. “Estamos acompanhando de perto os acontecimentos no terreno, mas é complicado, porque a comunicação telefônica é difícil e a infraestrutura está danificada nas dioceses, que ficam muito longe da capital”.

“A casa do bispo desabou e tudo está em ruínas. Desnecessário dizer que uma das ações mais urgentes é oferecer a diocese uma nova base de trabalho. Também é preciso equipá-la para que possa coordenar a ajuda e suprir as necessidades da população neste momento tão difícil. É preciso também dar um teto para o bispo e seus colaboradores mais próximos, pois eles perderam tudo. Tivemos muita dificuldade até de entrar em contato com o Cardeal, pois ele nem está com o celular ”, acrescentou Rafael D’Aqui.

Ataques assustam a população

De acordo com fontes da ACN, há ataques contínuos aos caminhões que viajam da capital Porto Príncipe para Les Cayes. Mas pelo menos a estrada de Les Cayes para Jeremie precisa reabrir. Ela é extremamente importante para a diocese de Jeremie – também muito atingida pelo terremoto – por ser a única via de acesso à cidade.

Com base nas informações recebidas da diocese de Jeremie, a ACN calculou que um total de 26 igrejas – ou quase metade das igrejas da diocese (44,8%) – foram amplamente danificadas, incluindo a Catedral de Saint Louis. Mas pelo menos onze dessas igrejas ruíram completamente.

Outras onze igrejas, atingidas pelo furacão Matthew em 2016, ainda estão em ruínas. Assim um total de trinta e sete das cinquenta e oito igrejas da diocese (63,7%) estão danificadas. Trinta e duas casas paroquiais (69,5 %) sofreram danos graves. Além disso vinte e cinco escolas paroquiais e onze centros de saúde paroquiais completam a lista de edifícios danificados na diocese.

ACN ajuda Haiti a enfrentar a terrível situação

O Bispo Joseph Gontrand Decoste, da diocese de Jeremie, enviou aos benfeitores da ACN o seu “mais profundo agradecimento pela vossa proximidade espiritual, pela vossa solidariedade prática, pelo vosso apoio moral e espiritual. Também por toda a ajuda que prestastes à diocese para ajudá-la a enfrentar esta situação catastrófica, cheia de angústia e sofrimento. ”

O primeiro projeto de ajuda emergencial da ACN envolve a ajuda de 45 famílias na diocese de Jeremie. “A situação é impossível. Afinal as pessoas estão com muito medo de voltar para suas casas. Temos que fornecer alimentos, roupas, água, remédios e abrigo temporário para essas pessoas. Isso é o mais importante no momento. ” As palavras são do Padre Jean-Jacques Saint-Louis, Superior Provincial dos Padres de Montfort no Haiti. Três dos irmãos, trabalhando em três paróquias nas áreas afetadas, que ainda estão sem estruturas, identificaram entre eles as famílias mais necessitadas.

“Conto com suas orações e apoio para nos ajudar nestes momentos de grande angústia. Nestes tempos difíceis em nosso país, a oração deve ocupar um lugar especial. Obrigado por acompanhar o Haiti com suas orações ”, conclui Pe. Jean-Jacques Saint-Louis.

versão para impressão

Por telefone à ACN Internacional, o cardeal Chibly Langlois, bispo da diocese de Les Cayes, descreveu a terrível situação enfrentada no Haiti. “Até o momento, ainda não recebemos nenhuma barraca. As pessoas estão dormindo no chão. Não há água, eletricidade, comida, roupas.”

Muitas pessoas estão traumatizadas e algumas ainda não sabem o que aconteceu com seus familiares. Ainda mais que os tremores secundários continuam. Em termos de danos materiais, o quadro completo da devastação causada pelo terremoto está gradualmente se tornando aparente.

ACN acaba de receber um relatório parcial, pois ainda não foi possível reunir informações sobre todas as paróquias da diocese de Les Cayes. Até agora, um total de 682 mortes foram registradas na diocese, com 2.175 pessoas feridas e quase 11.500 casas danificadas. Além disso, 135 igrejas foram destruídas e 111 danificadas.

Terrível situação após o terremoto preocupa ACN

“Agradeço sua preocupação com nossa diocese. Estou comovido com a sua proximidade, especialmente durante este período difícil após o terremoto ”, disse o Cardeal. “Milagrosamente, escapamos ilesos, mas muitas pessoas perderam a vida, entre elas o padre Jacques Percy, um padre aposentado que estava hospedado na casa do bispo. Obrigado por se lembrar dele nas suas orações ”, disse o Cardeal Langlois à ACN.

“As estatísticas são alarmantes, mas não passam de um indício do sofrimento vivido pela população”, disse Rafael D’Aqui, chefe do escritório da América Latina responsável pelo Haiti. “Estamos acompanhando de perto os acontecimentos no terreno, mas é complicado, porque a comunicação telefônica é difícil e a infraestrutura está danificada nas dioceses, que ficam muito longe da capital”.

“A casa do bispo desabou e tudo está em ruínas. Desnecessário dizer que uma das ações mais urgentes é oferecer a diocese uma nova base de trabalho. Também é preciso equipá-la para que possa coordenar a ajuda e suprir as necessidades da população neste momento tão difícil. É preciso também dar um teto para o bispo e seus colaboradores mais próximos, pois eles perderam tudo. Tivemos muita dificuldade até de entrar em contato com o Cardeal, pois ele nem está com o celular ”, acrescentou Rafael D’Aqui.

Ataques assustam a população

De acordo com fontes da ACN, há ataques contínuos aos caminhões que viajam da capital Porto Príncipe para Les Cayes. Mas pelo menos a estrada de Les Cayes para Jeremie precisa reabrir. Ela é extremamente importante para a diocese de Jeremie – também muito atingida pelo terremoto – por ser a única via de acesso à cidade.

Com base nas informações recebidas da diocese de Jeremie, a ACN calculou que um total de 26 igrejas – ou quase metade das igrejas da diocese (44,8%) – foram amplamente danificadas, incluindo a Catedral de Saint Louis. Mas pelo menos onze dessas igrejas ruíram completamente.

Outras onze igrejas, atingidas pelo furacão Matthew em 2016, ainda estão em ruínas. Assim um total de trinta e sete das cinquenta e oito igrejas da diocese (63,7%) estão danificadas. Trinta e duas casas paroquiais (69,5 %) sofreram danos graves. Além disso vinte e cinco escolas paroquiais e onze centros de saúde paroquiais completam a lista de edifícios danificados na diocese.

ACN ajuda Haiti a enfrentar a terrível situação

O Bispo Joseph Gontrand Decoste, da diocese de Jeremie, enviou aos benfeitores da ACN o seu “mais profundo agradecimento pela vossa proximidade espiritual, pela vossa solidariedade prática, pelo vosso apoio moral e espiritual. Também por toda a ajuda que prestastes à diocese para ajudá-la a enfrentar esta situação catastrófica, cheia de angústia e sofrimento. ”

O primeiro projeto de ajuda emergencial da ACN envolve a ajuda de 45 famílias na diocese de Jeremie. “A situação é impossível. Afinal as pessoas estão com muito medo de voltar para suas casas. Temos que fornecer alimentos, roupas, água, remédios e abrigo temporário para essas pessoas. Isso é o mais importante no momento. ” As palavras são do Padre Jean-Jacques Saint-Louis, Superior Provincial dos Padres de Montfort no Haiti. Três dos irmãos, trabalhando em três paróquias nas áreas afetadas, que ainda estão sem estruturas, identificaram entre eles as famílias mais necessitadas.

“Conto com suas orações e apoio para nos ajudar nestes momentos de grande angústia. Nestes tempos difíceis em nosso país, a oração deve ocupar um lugar especial. Obrigado por acompanhar o Haiti com suas orações ”, conclui Pe. Jean-Jacques Saint-Louis.

Deixe um comentário