versão para impressão

Palma Soriano recebe ajuda da ACN

30 de abril de 2021

Desde 2015, as irmãs da Congregação Missionária das Irmãs Evangelizadoras de Maria trabalham na ilha de Cuba, no Caribe. Duas religiosas africanas – uma de Uganda e outra do Quênia – trabalham atualmente na cidade de Palma Soriano, na arquidiocese de Santiago de Cuba. Lá atendem cerca de 15 comunidades periféricas nas áreas rurais. Além disso elas dão instrução catequética para crianças, jovens e adultos; ajudam os necessitados, cuidam dos frágeis e idosos e apoiam as famílias da região.

O arcebispo tem o maior respeito por seu trabalho. Neste país, sujeito por décadas ao governo ateísta e socialista e que ainda hoje sofre uma grave crise econômica, tanto seu apoio aos necessitados quanto seu trabalho em proclamar a fé, são de vital importância.

Embora cerca de 70% da população seja católica batizada, poucos desempenham realmente um papel ativo na vida da Igreja. O arcebispo estima que apenas cerca de 1% dos batizados realmente vão à Missa. O testemunho vivo dessas irmãs pode fazer muito para mudar as coisas.

Palma Soriano precisa de ajuda

A Igreja em Cuba é pobre, por isso o Arcebispo pediu ajuda à ACN. Então estamos planejando ajudar essas duas irmãs em sua vida e ministério com o apoio financeiro para o próximo ano.

A Congregação Missionária das Irmãs Evangelizadoras de Maria foi fundada em 1975 em Uganda, na África Oriental. Durante a visita papal a Uganda em 1969, o Papa Paulo VI enfatizou que o povo africano deveria, agora, ser seus próprios missionários. Então o estabelecimento desta congregação foi um fruto desse novo entendimento. Hoje, muitos padres e religiosas africanos estão trabalhando como missionários, não apenas em seu próprio continente, mas também em muitas outras partes do mundo.

Leave A Comment