versão para impressão

Caso: Bispo James Su Zhimin

25 de novembro de 2020

Apesar de nunca ter sido formalmente julgado ou condenado oficialmente, o Bispo James Su Zhimin, de Baoding, está na prisão há mais de 25 anos, tendo sido preso em 1996. As autoridades se recusaram a confirmar à sua família se ele ainda está vivo ou não.

Resumo

Dom James conhecia bem a detenção estatal, pois antes de sua prisão em 1996, ele passou mais de 25 anos, entrando e saindo da prisão ou em campos de trabalhos forçados por ser um “contra-revolucionário”. O crime de Dom James foi recusar-se a ingressar na Associação Patriótica Católica (CPA), que busca controlar a Igreja de acordo com a política do Partido Comunista.
Em 1996, o Bispo James emitiu uma carta aberta ao governo chinês pedindo liberdade religiosa e respeito pelos direitos humanos básicos. Mais tarde, naquele ano, ele foi preso por conduzir atividades religiosas não registradas enquanto participava de uma procissão da Igreja.

Há relatos não confirmados de que o Bispo escapou da detenção antes de ser recapturado em 1997.

Sua família não foi autorizada a visitá-lo e as autoridades se recusaram a dizer onde ele estava detido. Em novembro de 2003, parentes descobriram por acaso que ele estava internado em Baoding. Enquanto estava lá, Dom James foi cercado por guardas de segurança. Esta foi a última vez que ele foi visto em público.

Ações para obter justiça

Um apelo de janeiro de 2015 feito por membros da família do Bispo James ao membro do Politburo Yu Zhengsheng para sua libertação resultou em prisão domiciliar para eles por vários dias.
Em setembro daquele ano, os Católico da província de Hebei solicitaram ao órgão de supervisão de assuntos religiosos do Partido Comunista a libertação do prelado de 83 anos, após a anistia geral do Presidente Xi Jinping para veteranos de guerra e idosos com deficiência para comemorar o 70º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial.

O sobrinho do Bispo, Su Tianyou, continuou a pressionar as autoridades por informações sobre seu tio. Em 2015, ele finalmente conheceu o oficial de assuntos religiosos Guo Wei, que praticamente afirmou que o Bispo James ainda estava vivo, acrescentando que se as relações entre o Vaticano e a China melhorassem, então poderia ser possível que ele fosse libertado. Mas, apesar de no mês de setembro de 2018 o acordo entre o Vaticano e a China que regulariza a nomeação de Bispos e cria “as condições para uma maior colaboração”, as autoridades chinesas parecem não ter feito qualquer movimento no sentido de revisar o caso de Dom James.

Em julho de 2020, um novo impulso de Pequim para que o Bispo Francis An Shuxin fosse reconhecido pelo Vaticano como Bispo de Baoding gerou temores entre as autoridades diocesanas de que o Bispo James pudesse estar morto. Funcionários do governo se recusaram a confirmar se o prelado estava vivo ou não. A repercussão causada levou o caso a ser levantado em uma audiência no Congresso dos Estados Unidos em 30 de julho.

Apelo

Su Tianyou fez um apelo público, em maio de 2019, para que as autoridades fornecessem informações sobre seu tio. Ele disse: “Seu paradeiro é desconhecido e eu nem sei se ele está vivo ou não. Fico chateado e em lágrimas toda vez que penso nesse homem de 87 anos. Por favor, orem por ele.”

Mais informações em: Relatório sobre cristãos presos injustamente

Leave A Comment