versão para impressão

Aumentaram a segurança das Igrejas no Talibã

13 de setembro de 2021

Igrejas em todo o Paquistão aumentaram a segurança em resposta à ameaça de ataques terroristas após o retorno do Talibã ao poder no Afeganistão. Em uma reunião de líderes católicos e protestantes, o alto clero concordou em aumentar a vigilância e reforçar a proteção armada, especialmente nas missas de domingo. A medida ocorre em meio a preocupações de que a conquista do Afeganistão pelo Talibã irá desencadear incidentes extremistas dirigidos a comunidades cristãs e outras minorias religiosas.

O ativista de direitos humanos do Paquistão, Sajid Christopher, chefe-executivo da Organização de Amigos Humanos, disse que há temores de que o grupo associado ao Talibã Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP) e outras organizações militantes, capitalizem os eventos no Afeganistão e tenham, como alvo, as minorias religiosas, incluindo os cristãos.

Falando à ACN dia 2 de setembro, o Sr. Christopher disse: “Quando o Talibã estava no poder antes, houve muitos ataques terroristas no Paquistão. Houve organizações terroristas atacando igrejas e outros institutos cristãos. Eles claramente se tornaram alvos. Agora que o Talibã está de volta, isso fortalecerá o TTP e outros grupos islâmicos e, portanto, pode haver ataques ”.

Igrejas aumentaram a segurança para proteger os fiéis

Assim, com base no protocolo de segurança já em vigor, as medidas de proteção mais rígidas incluem maior ação para verificar a identidade das pessoas que entram nos complexos da igreja de carro, detectores de metal usados quando as pessoas entram para as missas e uma presença armada reforçada nas entradas da igreja.

Christopher advertiu que as perspectivas de segurança para os muçulmanos mais moderados também eram preocupantes. Ele disse: “Entre as comunidades pacíficas e progressistas (muçulmanas) também haverá medo. Mas aqueles com uma mentalidade militante estão felizes com o retorno do Talibã ao poder. ”

Momento de medo e tensão

Seus comentários vêm em um momento de medo pela segurança do que resta da comunidade cristã do Afeganistão. Daqueles que não puderam fazer parte da evacuação em massa da semana passada, das pessoas em maior risco e, principalmente, grupos não indígenas.

Os combatentes do Talibã supostamente foram de casa em casa para rastrear cristãos e outras minorias. Pessoas receberam ordens de entregar seus telefones, com a ameaça de serem mortas caso seus dispositivos contivessem versículos bíblicos.

Então no início desta semana, o ex-embaixador da liberdade religiosa dos EUA, Sam Brownback, alertou sobre genocídio contra cristãos e outras minorias no Afeganistão. Ele teria dito: “É uma situação mortal e catastrófica e pode facilmente levar ao genocídio”.

versão para impressão

Igrejas em todo o Paquistão aumentaram a segurança em resposta à ameaça de ataques terroristas após o retorno do Talibã ao poder no Afeganistão. Em uma reunião de líderes católicos e protestantes, o alto clero concordou em aumentar a vigilância e reforçar a proteção armada, especialmente nas missas de domingo. A medida ocorre em meio a preocupações de que a conquista do Afeganistão pelo Talibã irá desencadear incidentes extremistas dirigidos a comunidades cristãs e outras minorias religiosas.

O ativista de direitos humanos do Paquistão, Sajid Christopher, chefe-executivo da Organização de Amigos Humanos, disse que há temores de que o grupo associado ao Talibã Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP) e outras organizações militantes, capitalizem os eventos no Afeganistão e tenham, como alvo, as minorias religiosas, incluindo os cristãos.

Falando à ACN dia 2 de setembro, o Sr. Christopher disse: “Quando o Talibã estava no poder antes, houve muitos ataques terroristas no Paquistão. Houve organizações terroristas atacando igrejas e outros institutos cristãos. Eles claramente se tornaram alvos. Agora que o Talibã está de volta, isso fortalecerá o TTP e outros grupos islâmicos e, portanto, pode haver ataques ”.

Igrejas aumentaram a segurança para proteger os fiéis

Assim, com base no protocolo de segurança já em vigor, as medidas de proteção mais rígidas incluem maior ação para verificar a identidade das pessoas que entram nos complexos da igreja de carro, detectores de metal usados quando as pessoas entram para as missas e uma presença armada reforçada nas entradas da igreja.

Christopher advertiu que as perspectivas de segurança para os muçulmanos mais moderados também eram preocupantes. Ele disse: “Entre as comunidades pacíficas e progressistas (muçulmanas) também haverá medo. Mas aqueles com uma mentalidade militante estão felizes com o retorno do Talibã ao poder. ”

Momento de medo e tensão

Seus comentários vêm em um momento de medo pela segurança do que resta da comunidade cristã do Afeganistão. Daqueles que não puderam fazer parte da evacuação em massa da semana passada, das pessoas em maior risco e, principalmente, grupos não indígenas.

Os combatentes do Talibã supostamente foram de casa em casa para rastrear cristãos e outras minorias. Pessoas receberam ordens de entregar seus telefones, com a ameaça de serem mortas caso seus dispositivos contivessem versículos bíblicos.

Então no início desta semana, o ex-embaixador da liberdade religiosa dos EUA, Sam Brownback, alertou sobre genocídio contra cristãos e outras minorias no Afeganistão. Ele teria dito: “É uma situação mortal e catastrófica e pode facilmente levar ao genocídio”.

Deixe um comentário