“Com Jesus, o mal, o sofrimento e a morte não têm a última palavra, porque Ele nos dá a esperança e a vida: transformou a Cruz, deixando de ser um instrumento de ódio, de derrota e de morte, para ser um sinal de amor, de vitória e de vida.” Papa Francisco

É exatamente isso que fazem os mártires. O jovem Akash Bashir, de Lahore, no Paquistão, sabia que o terrorista à sua frente, com um colete de explosivos, queria certamente adentrar na igreja de São João e que apenas a sua vida estava entre o suicida e as 2 mil pessoas em oração, na Missa de
domingo. Ele conseguiu segurá-lo: “Por aqui você não passa, mesmo que eu tenha de morrer.” Foram suas últimas palavras; o assassino detonou a bomba. Isso aconteceu há cinco anos, durante a Quaresma. Para os jovens da Diocese de Lahore, Akash Bashir é inesquecível, um modelo exemplar.

A probabilidade de os cristãos no Paquistão perderem a própria vida por causa da fé, ou de serem vitimados, não é pequena. A toda hora os extremistas muçulmanos realizam ataques contra igrejas ou cristãos são jogados na prisão com base na lei da blasfêmia. Ainda assim os jovens são felizes por servirem à Igreja. O número de vocações ao sacerdócio e à vida consagrada é proporcionalmente grande: só na Diocese de Islamabad-Rawalpindi são mais de 30 seminaristas.

A Igreja está viva

A Igreja no Paquistão é jovem, com grande expressividade nas comunidades. Exatamente por isso que a Igreja no Paquistão declarou 2020 o Ano da Juventude, com o grande desafio de trazer uma sólida formação aos jovens. A Diocese de Faisalabad lançou um programa que irá ajudar a juventude a encontrar respostas para as questões sociais e religiosas, dando assim o suporte necessário para o aprofundamento na fé cristã e o conhecimento da fé muçulmana, valorizando a coexistência pacífica.

A ACN apoia a juventude do Paquistão. Akash Bashir deu a vida para que muitos pudessem ter um futuro. Com a sua doação você participa do legado de amor que brotou do martírio dele, ajudando a dar vida e dignidade a tantos jovens, no Paquistão e no mundo.

Assista o vídeo com a heroica história de Aksh Bashir: