//E o prêmio vai para os que sofrem

E o prêmio vai para os que sofrem

2018-11-09T17:26:50+00:00novembro 9th, 2018|Projetos|

“Sempre que a gente faz uma rifa, a gente reza para que o vencedor seja alguém que realmente precise. Nunca imaginei que Deus ia aproveitar tão bem aquele prêmio”

O surpreendente desfecho da rifa que se refere Genelson da Silva, diretor de patrimônio da paróquia São João Batista em Macaé (RJ), aconteceu no dia 24 de junho, na festa do padroeiro. Para ajudar nas despesas da paróquia, a comunidade sempre faz a rifa de um automóvel. A maioria das pessoas que compraram um número da rifa escreveram seus nomes com muita esperança de que ele fosse lido em voz alta no dia do sorteio. Mas alguém resolveu dedicar um número a outra causa. E foi justamente esse número solidário que acabou sendo sorteado sob as bênçãos de São João Batista.

Quando Genelson desdobrou o papel e leu o nome do felizardo que ganharia um carro, chegou a ficar sem palavras. Não se tratava de um vencedor, mas de várias pessoas que seriam favorecidas indiretamente com aquele prêmio. Emocionado, Genelson se voltou para o grupo de pessoas que esperavam ansiosas para conhecer o nome felizardo e disse:

“NUNCA IMAGINEI QUE DEUS IA APROVEITAR TÃO BEM ESSE PRÊMIO. ESSE CARRO AGORA PERTENCE À AJUDA À IGREJA QUE SOFRE (ACN).”

Padre José Luiz Gustamante Sá

Padre José Luiz Gustamante Sá

Padre José Luiz Gustamante Sá, pároco há 28 anos da paróquia, diz que há um grupo de fiéis que gosta muito de ajudar; provavelmente algum deles deve ter nomeado à ACN ao número que veio a ser sorteado. Porém, Genelson tem outra versão para essa história. Ele diz que tanto a grafia quanto a generosidade do ato são inconfundíveis: “Tenho certeza que foi o padre que comprou e escreveu o nome da ACN naquele carnê”.

O Padre Luiz tem um coração sempre voltado para os que sofrem; pois quando ele assistiu, por meio da Rede Vida, ao programa da ACN “A Igreja pelo Mundo”, se compadeceu pela causa da Igreja perseguida, se tornou benfeitor. Além disso, motivou seus paroquianos a também colaborarem.

O carro já foi vendido e com o dinheiro resultante da venda. A ACN, por sua vez, reverteu em ajuda para os que mais sofrem. De fato muitas doações que chegam à ACN têm por trás uma grande história. Certamente são histórias suscitadas pelo Espírito Santo, que sopra onde quer. No entanto, o Espírito Santo talvez esteja esperando a abertura do seu coração para soprar. Veja o exemplo da paróquia São João Batista: alguém poderia ter um carro novo, que com o tempo se vai, mas preferiu doar esse veículo. Desse modo, ajudará a muitos que precisam e construirá seu tesouro no céu, onde nada o corrói.

Leave A Comment