//Credo (Pt II)

Credo (Pt II)

2018-05-14T11:24:26+00:00 dezembro 27th, 2012|Palavra Viva|

Cremos que este Deus Único é tão absolutamente Uno em Sua Essência Santíssima como em todas as Suas demais Perfeições: na Sua Onipotência, na Sua Ciência Infinita, na Sua Providência, na Sua Vontade e no Seu Amor.

 

Ele é AQUELE QUE É, conforme Ele Próprio revelou a Moisés; Ele é Amor, como nos ensinou o Apóstolo São João; de tal maneira que estes dois nomes – SER E AMOR- exprimem, inefavelmente, a mesma Divina Essência Daquele que Se quis manifestar a nós e que, habitando uma Luz Inacessível, está, por Si Mesmo, acima de todo nome, de todas as coisas e de todas as inteligências criadas.

Só Deus pode dar-nos um conhecimento exato e pleno de Si Mesmo, revelando-Se como †Pai, Filho e Espírito Santo, de cuja Vida Eterna somos, pela Graça, chamados a participar, aqui na terra, na obscuridade da Fé, e, depois da morte, na Luz Perpetua. As relações mútuas, que constituem eternamente as †Três Pessoas, sendo, cada Uma delas, o Único e Mesmo Ser Divino, perfazem a Bem-Aventurada Vida Íntima de Deus Santíssimo, infinitamente acima de tudo o que podemos conceber à maneira humana. Entretanto, rendemos Graças à Bondade Divina pelo fato de poderem numerosíssimos crentes dar testemunho conosco, diante dos homens, sobre a Unidade de Deus, embora não conheçam o Mistério da Santíssima Trindade.

Cremos, portanto, em Deus Pai que, desde toda a Eternidade, gera o Filho; cremos no Filho, Verbo de Deus que é eternamente gerado; cremos no Espírito Santo, Pessoa Incriada, que procede do †Pai e do Filho como Amor sempiterno de ambos. Assim nas †Três Pessoas Divinas que são igualmente Eternas e Iguais entre Si, a Vida e a Felicidade de Deus, perfeitamente Uno, superabundam e se consumam na Super-Excelência e Glória Próprias da Essência Incriada; e sempre se deve venerar a Unidade na Trindade e a Trindade na Unidade.

Cremos em Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ele é o Verbo Eterno, nascido do Pai antes de todos os séculos e Consubstancial ao Pai. Por Ele tudo foi feito. Encarnou por Obra do Espírito Santo, de Maria Virgem, e se fez homem. Portanto, é Igual ao Pai, segundo a Divindade, mas inferior ao Pai, segundo a humanidade, absolutamente Uno, não por uma confusão de naturezas (que é impossível), mas pela Unidade da Pessoa.

Ele habitou entre nós, cheio de Graça e de Verdade. Anunciou e fundou o Reino de Deus, manifestando-nos em Si Mesmo o Pai. Deu-nos o Seu Mandamento Novo de nos amarmos uns aos outros como Ele nos amou. Ensinou-nos o Caminho das Bem-Aventuranças, isto é: a ser pobres de espírito e mansos, a tolerar os sofrimentos com paciência, a ter sede de Justiça, a ser Misericordiosos, Puros de coração e Pacíficos, a suportar por causa da Virtude.

Padeceu sob Pôncio Pilatos, Cordeiro de Deus que carregou os pecados do mundo, e morreu por nós, pregado na Cruz, trazendo-nos a Salvação pelo Seu Sangue Redentor. Foi Sepultado e Ressuscitou ao terceiro dia pelo Seu Próprio Poder, elevando-nos, por esta Sua Ressurreição, a participarmos da Vida Divina que é a Graça.

Subiu ao céu, de onde há de vir novamente, mas então com Glória, para julgar os vivos e os mortos, a cada um segundo os seus méritos: Os que corresponderam ao Amor e à Misericórdia de Deus irão para a Vida Eterna; porém os que os tiverem recusado até a morte serão destinados ao fogo que nunca cessará. E o Seu Reino não terá fim.

Cremos no Espírito Santo, Senhor que dá a Vida e que com o †Pai e o Filho é juntamente Adorado e Glorificado. Foi Ele que falou pelos Profetas e nos foi enviado por Jesus Cristo, depois de Sua Ressurreição e Ascensão ao Pai. Ele ilumina, Vivifica, Protege e Governa a Igreja, purificando seus membros, se estes não rejeitam a Graça. Sua Ação, que penetra no íntimo da alma, torna o homem capaz de responder àquele preceito de Cristo: “Sede Perfeitos como Perfeito é o Vosso Pai Celeste”.

Cremos que Maria Santíssima, que permaneceu sempre Virgem, tornou-se †Mãe do Verbo Encarnado, Nosso Deus e Salvador, Jesus Cristo; e que por motivo desta eleição singular, em consideração dos Méritos de Seu Filho, foi remida de modo mais sublime, e preservada imune de toda a mancha do pecado original; e que supera de longe todas as demais criaturas, pelo Dom de uma Graça Insigne.

Associada, por um vínculo estreito e indissolúvel, aos Mistérios da Encarnação e da Redenção, a Santíssima Virgem Maria, Imaculada, depois de terminar o curso de sua vida terrestre, foi elevada em corpo e alma à Glória Celestial; e, tornada semelhante a Seu Filho, que Ressuscitou dentre os mortos, participou antecipadamente da sorte de todos os justos. Cremos que a Santíssima †Mãe de Deus, Nova Eva, Mãe da Igreja, continua no Céu a desempenhar Seu Ofício Materno, em relação aos Membros de Cristo, Cooperando para gerar e desenvolver a Vida Divina em cada uma das almas dos homens que foram remidos.

Cremos que Nosso Senhor Jesus Cristo, pelo Sacrifício da Cruz, nos remiu do pecado original e de todos os pecados pessoais, cometidos por cada um de nós; de sorte que se impõe como verdadeira a sentença do Apóstolo: “Onde abundou o delito, superabundou a Graça”.

Cremos professando num só Batismo, instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo, para a remissão dos pecados. O Batismo deve ser administrado também às crianças que não tenham podido cometer, por si mesmas, pecado algum; de modo que, tendo nascido com a privação da Graça Sobrenatural, renasçam da água e do Espírito Santo para a Vida Divina em Jesus Cristo.

Cremos na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, Edificada por Jesus Cristo sobre a Pedra que é Pedro. Ela é o Corpo Místico de Cristo, Sociedade Visível, estruturada em órgãos hierárquicos e, ao mesmo tempo, Comunidade Espiritual. Igreja terrestre, Povo de Deus peregrinando aqui na terra, e Igreja enriquecida de Bens Celestes, germe e começo do Reino de Deus, por meio do qual a Obra e os Sofrimentos da Redenção continuam ao longo da história humana, aspirando com todas as forças a Consumação Perfeita, que se conseguirá na Glória Celestial após o fim dos tempos.

No decurso do tempo, o Senhor Jesus forma a Sua Igreja pelos Sacramentos que emanam de Sua Plenitude. Por eles a Igreja faz com que seus membros participem do Mistério da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, pela Graça do Espírito Santo que a vivifica e move. Por conseguinte, ela é Santa, apesar de incluir pecadores no seu seio; pois em si mesma não goza de outra vida senão a Vida da Graça. Se realmente seus membros se alimentam dessa Vida, se santificam; se dela se afastam, contraem pecados e impurezas espirituais, que impedem o brilho e a difusão de sua Santidade. É por isso que ela sofre e faz penitência por esses pecados, tendo o poder de livrar deles os seus filhos e as suas filhas, pelo Sangue de Cristo e pelo Dom do Espírito Santo.

Herdeira das Promessas Divinas e filha de Abraão segundo o Espírito, por meio daquele povo de Israel, cujos livros sagrados guarda com amor e cujos Patriarcas e Profetas venera com piedade; edificada sobre o fundamento dos Apóstolos, cuja palavra sempre viva e cujos poderes, próprios de Pastores, vem transmitindo fielmente, de geração em geração, no sucessor de Pedro e nos Bispos em comunhão com ele; gozando enfim da perpétua assistência do Espírito Santo, a Igreja tem o encargo de conservar, ensinar, explicar e difundir a Verdade que Deus revelou aos homens, veladamente de certo modo pelos Profetas, e plenamente pelo Senhor Jesus.

Nós cremos todas essas coisas, que estão contidas na Palavra de Deus por Escrito ou por Tradição, e que são propostas pela Igreja, quer em Declaração Solene quer no Magistério Ordinário e Universal, para serem cridascomo Divinamente Reveladas.

 

Releia, Credo Pt I

 

† Dom Farès Maakaroun
Arcebispo da Igreja Católica Apostólica Romana, Greco-Melquita, no Brasil

One Comment

  1. fernando gonçalves 17 de Fevereiro de 2018 at 13:16 - Reply

    BOM DIA
    Quero receber as mensagens mo meu E-mail

Leave A Comment