Vocês sabem que sou sacerdote e que meu trabalho para a Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) é de cunho sacerdotal. Sabem que, em primeiro lugar, não queremos salvar o corpo, mas sim a alma; que não somos encarregados, antes de tudo, de sanar a economia, mas, sobretudo, de sanar a vida de Cristo nos corações das pessoas; que não fomos chamados a desencadear revoluções, mas sim a ensinar a todos os povos o que o Senhor nos confiou: que devemos antes de tudo procurar o Reino de Deus e que tudo o mais será dado por acréscimo (cf Mt 6,33; Lc 12,31).

Este “acréscimo” é, na verdade, muito importante, mas o mais importante é Cristo, ele mesmo é o Reino de Deus e o seu inalienável domínio. Somente quem partilha a fé e a graça da vida de Cristo é cidadão deste Reino e não apenas participa da complacência de Deus com seu Filho encarnado, como também, do poder que a ele foi dado na Terra.

Padre Werenfried van Straaten
— Texto tirado do livro “Um Mendigo de Deus”