Deus, agradeço-te pela minha eleição ao sacerdócio, pela tua proteção e providência, pelos amigos e colaboradores que puseste ao meu lado, pelas alegrias que me deste e por todas as dificuldades que não me foram poupadas.

Pude ser sacerdote a serviço da tua Igreja e dos pobres, em quem frequentemente te encontrei. Cometi muitos erros. Falhei muitas vezes. Apesar disso, tu sempre me cobriste abundantemente com a tua bênção. Em mim se verificou que Tu escolhes o pequeno para humilhar o grande.

Tu me vês e me conheces como sou na verdade. Diante de ti não quero ser mais que um pobre ser humano, que diariamente deve pedir perdão e sempre se admira da paciência que tens com ele. Por isso, não quero atribuir a mim nenhum bem que aconteceu através de mim; é exclusivamente teu o mérito de tudo pelo que sou injustamente honrado.

Agradeço-te pelos pobres de todos os povos, que me deram a oportunidade de praticar o amor de que preciso para cobrir meus pecados. Agradeço-te pelos sábios conselheiros que sempre aparecem na minha vida no momento oportuno para compensar minhas fraquezas e me ajudar com sua experiência. Agradeço-te pelos amigos e fiéis colaboradores e pelos inúmeros benfeitores, sem os quais eu continuaria a ser um homem solitário, um sonhador estéril e fracassado.

Padre Werenfried van Straaten
— Texto tirado do livro “Um Mendigo de Deus”