//Como a Virgem de El Cobre marca a história

Como a Virgem de El Cobre marca a história

2012-02-22T19:46:06+00:00fevereiro 14th, 2012|Projetos|

“Ela é o coração espiritual de todos os cubanos”. É assim que Dom Dionísio Garcia Ibanez, arcebispo de Santiago de Cuba, define a imagem da Virgem de El Cobre. “Ela é um símbolo da nacionalidade e cultura cubana, até mesmo para pessoas sem fé”.

De fato, a pequena imagem milagrosa de Nossa Senhora e a Ilha têm uma relação toda especial, uma história comum. A vitória contra os espanhóis na guerra hispano-americana de 1898 – e, portanto, a independência com relação à Espanha – é atribuída à intercessão de Maria. O Papa Bento XVI declarou Nossa Senhora da Caridade de El Cobre a Padroeira de Cuba. O povo a venerou também durante todo o tempo da ditadura comunista e o bem-aventurado Papa João Paulo II coroou a Virgem na sua visita, em 1998.

A veneração aumenta. Todo ano pelo menos meio milhão de pessoas sai em peregrinação ao Santuário Nacional de El Cobre. E já faz um ano e meio que a imagem, que mal tem 30 cm de altura, “visita” todas as dioceses da Ilha, por ocasião dos quatrocentos anos de seu achado. Ela foi encontrada pelos nativos gêmeos Juan e Rodrigo de Hoyos e pelo menino Juan Moreno, na Baía de Nipe. Eles estavam lá para buscar sal. Como havia uma tempestade, eles ficaram esperando. Acalmando-se o tempo após três dias, a imagem veio flutuando nas ondas sobre uma prancha, ao encontro do barco deles. Estava completamente seca, e na sua base estava escrito: “Eu sou a Virgem da Caridade”. A alegria foi enorme, e a recepção no povoado de El Cobre foi uma apoteose. Construíram um altar e uma capela, e desde então as romarias à Virgem da Caridade nunca mais foram interrompidas. Mais tarde surgiu uma igreja, um Centro de Retiros, um Centro de Peregrinação, um pequeno convento das Irmãs Missionárias da Caridade, uma casa de Encontros que, ainda hoje, é a única Casa de Formação da Província Eclesiástica.

Há mais de meio século nada foi reformado. As casas também tiveram sua utilização em parte alterada pelos comunistas, mas a Virgem permaneceu e os cubanos lhe ficaram fiéis. Só agora é possível pensar numa reforma. Com uma campanha tendo como lema “De cada cubano, um Peso – para a Virgem de El Cobre”, os bispos esperam angariar pelo menos dez por cento dos custos para a reforma do Santuário. Outras doações são esperadas dos cubanos no exílio. Também a nós foi solicitada uma ajuda.

A fidelidade à Virgem deve se revelar através de uma presença mais forte na sociedade. E isso, não somente no próprio Santuário, mas também em procissões, como agora, durante a peregrinação de três anos da imagem em todas as dioceses. Isso é a Nova Evangelização bem concreta. Porque muitos dos onze milhões de cubanos se tornaram alheios à Igreja e a Nossa Senhora durante o meio século de comunismo. É verdade que diariamente centenas de cubanos vão até El Cobre, mas a Virgem não só espera por eles, ela mesma vai a todos – como daquela vez, há 400 anos – para anunciar o amor. Hoje, a história precisa de nós. Vamos escutar o chamado!

2 Comments

  1. elizabeth tomie nascimento 29 de março de 2012 at 21:28 - Reply

    PAZ E BEM…..”VIVA MARIA A MÃE DO NOSSO SALVADOR”…TODAS AS GERAÇÕES A PROCLAMARÃO “BEM AVENTURADA”..”AVE CHEIA DE GRAÇA”..AMEM

  2. Braz Vicente Machado 10 de junho de 2012 at 14:10 - Reply

    A Nossa Mae Santissima se manifesta de varias formas e esta e mais uma delas.Rogai por nos Santa Mae do Verbo encarnado.Obrigado maezinha pelo sim dito ao Anjo Gabriel para a salvaçao entrar no mundo.

Leave A Comment