//Um auto-sustento diferente, mas muito válido para o seminário de Girardot, Colômbia

Um auto-sustento diferente, mas muito válido para o seminário de Girardot, Colômbia

2009-10-27T11:22:02+00:00outubro 27th, 2009|Projetos|

Tudo aconteceu assim – Uma família católica que possui uma grande fazenda, cujo principal trabalho é a pecuária, ofereceu ao seminário 500 cabeças de gado por um preço muito modesto.


O seminário em Girardot, uma cidade a cerca de 132km da capital Bogotá, precisa de nossa ajuda. A necessidade aqui não é diferente de centenas de outros seminários em todo o mundo, que sem a ajuda externa não podem oferecer boa capacitação, abrigo e apoio aos jovens que se preparam para um dia servir ao Senhor como sacerdotes. Mas às vezes a Providência nos mostra novos caminhos, e há agora a chance de que o trabalho com o gado pode fornecer a este seminário os meios para se apoiar no futuro.

Tudo aconteceu assim – Uma família católica que possui uma grande fazenda, cujo principal trabalho é a pecuária, ofereceu ao seminário 500 cabeças de gado por um preço muito modesto. Graças a este rebanho de gado o seminário seria capaz de produzir leite e carne para seu próprio consumo e ainda vender boa parte. A longo prazo, isso poderia ser uma fonte de renda que, em pelo menos alguns anos, tornaria o seminário independente financeiramente.

Ao mesmo tempo, os seminaristas precisariam adquirir, além de sua formação acadêmica e espiritual, uma certa experiência na criação do gado. No entanto, o seminário precisa primeiro de tudo ter os meios para poder adquirir o gado que, mesmo tendo um bom preço, são incapazes de comprar sozinhos. O bispo Héctor Julio Lopes Hurtado de Dirardot esta contanto com nossa ajuda para este projeto.

Prometemos ao bispo a quantia necessária para a compra do gado, e sinceramente acreditamos nesta criativa maneira pela qual o seminário, com seu esforço, fará tudo para se sustentar. Dessa forma a necessidade será menor no futuro, e poderemos destinar nossa ajuda à outro que não tem a mesma oportunidade.

2 Comments

  1. Neimar 29 de outubro de 2009 at 13:12 - Reply

    Nós podemos fazer uma parceria dando os primeiros passos na criação dos animais, caso precise, como formação aos seminaristas na criação dos animais, formação de pastagens para os animais e etc. Podemos fazer um convenio eenviar alunos também para auxiliar neste inicio.

  2. Jose da Silva 31 de julho de 2011 at 19:24 - Reply

    Que tal começarem a “servir” a Deus deixando de comer carne (vide São Francisco de Assis). Se não for possível, espero ao menos que os seminaristas e seus líderes acompanhem o abate para sentirem e verem o real preço de sofrimento que é cobrado, assim poderão avaliar realmente se vale a pena comer aquele inocente bifinho.

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!