//O povo de Zâmbia precisa de sacerdotes

O povo de Zâmbia precisa de sacerdotes

2017-10-23T18:26:00+00:00outubro 19th, 2017|Projetos|

Zâmbia, um país sem litoral no sul da África, que tem a sorte de desfrutar de um certo grau de estabilidade – ao contrário de muitos outros países africanos. No entanto, o país ainda enfrenta inúmeros desafios, incluindo pobreza, deficiência infraestrutura e alto índice de pessoas com o vírus HIV/AIDS (cerca de 12%). Devido a isto, numerosas crianças ficaram órfãs.

Cerca de um terço da população é católica, enquanto um pouco mais da metade pertencem a diferentes denominações protestantes ou outras comunidades religiosas. Quase 15% ainda segue religiões animistas pagãs. Até recentemente, os muçulmanos constituíam apenas uma pequena minoria; no entanto, nos últimos anos tem aumentado a atividade muçulmana e o proselitismo para a disseminação do islamismo.

Atualmente, no entanto, um dos maiores problemas reside na propagação de seitas fundamentalistas, que surgem com mensagens simplistas e populistas. Por exemplo, muitas vezes atraem as pessoas – que são na sua maioria muito pobres – com promessas como: “Se você se juntar a nós, você será recompensado mesmo neste mundo, e quanto mais você rezar junto conosco, mais rico você se tornará.” Muitas vezes eles conseguem atrair até mesmo os fiéis católicos, e assim a Igreja na Zâmbia é muito consciente da necessidade de intensificar o seu trabalho pastoral, para que os fiéis católicos não sejam tão facilmente atraídos por falsas promessas.

O fator crucial para isso será a presença de mais sacerdotes católicos. No passado, quando a Igreja na Zâmbia consistia principalmente de missionários estrangeiros, eles podiam recorrer ao apoio material e humano de seus países de origem, mas hoje a Igreja tornou-se cada vez mais uma igreja local, com sacerdotes africanos nativos. Os jovens que respondem ao chamado de Deus e que agora estão estudando para o sacerdócio, certamente não podem esperar uma vida confortável aqui; ao contrário, muitos deles estarão servindo em áreas rurais remotas, onde não há eletricidade ou água corrente e onde muitas vezes estão longe de seus irmãos sacerdotes.

Atualmente, existem oito jovens da diocese de Mongu que estão estudando para o sacerdócio. A diocese situa-se no oeste do país e cobre uma vasta área de quase 90 000 km². Possui 13 paróquias, cada uma responsável por uma área grande que poderia corresponder a uma diocese em outras partes do mundo. Mais sacerdotes são urgentemente necessários, pois, sempre que os fiéis são privados do apoio regular de um sacerdote, por causa das distâncias e do isolamento, as seitas tendem a ter “uma tarefa fácil”.

A questão óbvia é que a Igreja local é pobre e uma formação sacerdotal sólida e completa leva muitos anos e custa muito dinheiro. Por conseguinte, a ACN está empenhada em apoiar a formação na Diocese de Mongu destes oito jovens seminaristas, os futuros sacerdotes de Zâmbia.

Leave A Comment