A cada ano, segundo estatísticas da OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 200 mil pessoas morrem devido ao vício em drogas – e aproximadamente 3 milhões, morrem devido ao vício em álcool. Um grande número de pessoas permanecem presas ao vício, numa espiral de miséria que não conseguem se desvencilhar; frequentemente ocasionando o desespero de familiares e entes queridos.

A Igreja Católica e outros grupos cristãos estão à frente nos esforços para dar uma resposta a esta crise global. Na Rússia, a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa Russa estão trabalhando juntas para combater este desafio e apoiar estes dependentes químicos e suas famílias.

Em outubro de 2018, pela segunda vez, uma conferência ecumênica aconteceu em São Petersburgo. Novamente, com o apoio financeiro da Fundação Pontifícia ACN, tratando do problema do vício. Entre os países participantes estavam representantes da Rússia, Estados UnidosAlemanha, HolandaPolôniaBielorrússiaRomênia, entre outros. Peter Humeniuk, responsável pelos projetos da ACN na Rússia, também estava presente na conferência e relata:

“A conferência foi um fórum importante; no qual representantes de ambas as igrejas puderam não só discutir os aspectos teóricos do problema, mas também partilhar experiências práticas. Nós esperamos que o espírito de partilha ecumênico e a colaboração próxima entre nós ajudará as vítimas do vício e suas famílias a encontrarem uma saída para a qual a escuridão do vício os levou”.

Necessidade de se relacionar com Deus

Um dos principais objetivos da conferência foi estabelecer um programa; a fim de ajudar os padres de ambas as igrejas a se conscientizarem das necessidades e problemas pastorais próprios dos viciados. Além disso, preparar seminaristas para que possam lidar melhor com os problemas do vício no seu  futuro trabalho pastoral. Como a experiência tem mostrado, aqueles que sofrem devido ao vício têm uma profunda necessidade de um relacionamento próximo com Deus.

Também entre os participantes, estava o padre ortodoxo russo Sergej Belkov; o qual há aproximadamente 20 anos tem dirigido um muito bem-sucedido centro para dependentes na área de São Petersburgo. Muitos dos viciados encontraram a cura; bem como uma nova vida na atmosfera familiar deste centro. Seu enfoque é na atenção individual, numa vida ordenada e regular; não apenas marcada pela oração, mas também pela espiritualidade e pelo trabalho duro. É também um projeto apoiado pela ACN desde que começou.

A conferência de São Petersburgo marcou uma nova conquista do grupo de trabalho católico-ortodoxo apoiado pela ACN. Esta iniciativa começou a partir do encontro entre o Papa Francisco e o Patriarca Ortodoxo de Moscou, Kirill; em fevereiro de 2016, na capital cubana Havana. O grupo já teve vários encontros acerca dos temas: proteção à vida dos que ainda estão por nascer, além dos problemas relacionados ao vício em drogas e álcool. Outro objetivo é ajudar os cristãos católicos e ortodoxos a unir forças e trabalho; afinal, para lidar com alguns dos problemas e desafios mais prementes do tempo atual, é necessária a troca de experiências; permitindo, assim, o crescimento conjunto. Graças ao generoso apoio de nossos benfeitores, a ACN ajudou na realização desta importante conferência.