O vicariato apostolico de Kontagora está situado no estado do Niger, noroeste da Nigéria. Aqui, como em outros 12 dos 36 estados da Nigéria a lei islâmica (charia) é aplicada, não somente num âmbito privado, mas também na lei civil. O Islã está se espalhando cada vez mais forte aqui e também invadindo a vida dos não-muçulmanos.

O bispo Timothy Carroll de Kontagora está extremamente preocupado com as pessoas do seu vicariato apostólico. Apesar de, atualmente, mais de 80% do povo ainda pertencer à religiões tradicionais da África, a maioria está procurando um novo caminho para o futuro. Ninguém quer ser visto como um pagão, explica o bispo Timothy. Então eles tem 2 opções: ou a conversão ao islã ou aceitar a fé do cristianismo. Sabendo disto, os lideres do islã estão explorando está oportunidade. Cada aldeia que se converte ao islã, uma mesquita é construída com a riqueza do petróleo árabe, e um professor islâmico fica a disposição das pessoas. A Igreja Católica está fazendo o que pode para conter está situação, mas os meios financeiros são muito limitados. O bispo Timothy escreveu: “Os próximos 5-10 anos serão decisivos. Se não fizermos nada para evangelizar estas pessoas, nós perderemos elas para sempre para o islã”. Nesta mesma carta ele ainda citou as palavras de Jesus: “Vocês não dizem que faltam quatro meses para a colheita? Pois eu digo a vocês: ergam os olhos e olhem os campos: já estão maduros para a colheita” (Jo 4,35). A Igreja Católica será capaz de colher aqui, ou vamos deixar a colheita para o Islã?

Durante os últimos 3 anos a Igreja Católica abriu cinco novas missões nesta área, levando o evangelho de Cristo para muitas pessoas – e ao mesmo tempo levando assistência medica, educação e ajuda no desenvolvimento social. Aproximadamente 80% das pessoas aqui não sabem ler ou escrever, por isso a Igreja Católica criou cursos de alfabetização. O baixo nível de educação resulta também em péssimas condições de saúde, também aqui a Igreja está envolvida, buscando melhoras. De açodo com um provérbio africano, “Educar uma mãe é educar uma família inteira”, portanto uma das religiosas da diocese, formada em enfermaria, ensina as mães como evitar doenças e dar às crianças uma alimentação saudável. A Igreja também está ajudando as pessoas na perfuração de poços, já que a água potável também é extremamente importante.

Mas acima de tudo, a Igreja está preocupada em salvar almas. Há pouquíssimos padres nesta região, em contraste com o sul e oeste do país, desta forma leigos recebem formação para conduzir o povo na liturgia da palavra, nas orações e cantos. Capelas tem sido construídas, mas não significa sem dificuldades, pois em alguns lugares como em Nsanji Nkoso, os muçulmanos têm tentado impedir a construção. Outras, recém construídas foram derrubadas durante a noite, enquanto em alguns casos, lideres do povo ordenam os católicos a demolirem sua própria igreja.

E assim a Igreja Católica enfrenta inúmeros desafios aqui, sabendo que as pessoas em Kontagora estão numa encruzilhada. Aqueles que não abraçarem o cristianismo se tornarão muçulmanos, e essas pessoas vão efetivamente se perder na fé. É por tudo isto que o bispo Timothy apela por ajuda urgente para apoiar estas cinco novas missões e colher os frutos, que já estão maduros, para Deus.