//Etiópia: Uma Igreja em saída

Etiópia: Uma Igreja em saída

2015-10-08T16:31:50+00:00outubro 8th, 2015|Projetos|

De um lado um paraíso para turistas, de outro uma população esquecida na mais dura pobreza. A Igreja vai ao encontro dos necessitados.

Muitos turistas visitam Bahir Dar na Etiópia Ocidental. A terceira maior cidade do país é um lugar onde se pode passar as férias sob árvores tropicais floridas às margens do Lago Tana, ou fazer uma excursão de barco no próprio lago para admirar os pelicanos e os hipopótamos, bem como ver a fonte do rio Nilo Azul. Também se pode admirar lá antigos mosteiros. O imperador Haile Selassie tinha um palácio por ali.

A apenas alguns quilômetros de Bahir Dar, um mundo diferente começa. As cabanas na beira da estrada são cada vez mais pobres, crianças conduzem rebanhos de cabras ao longo da estrada, burros puxam pequenas carroças de madeira carregadas de lenha, sacos de carvão, ou feno. Caravanas inteiras de burros ao longo da estrada carregam garrafões de plástico amarelo cheios de água, pois na região não existe água corrente. Pequenos grupos de pessoas são vistos caminhando por horas sob um sol escaldante, levando doentes em macas, feitas de pedaços de pau e palha, para alguma clínica na cidade mais próxima. Muitas vezes, quando eles chegam, já é tarde demais.

Quanto mais longe da cidade, piores são as estradas. Finalmente se chega à região de Benishangul-Gumuz, uma das mais pobres e abandonadas do país, próxima da fronteira com o Sudão. Aproximadamente 990 mil pessoas vivem lá, com cerca de um quinto deles pertencendo à etnia Gumuz. Durante o século XIX e mesmo durante o primeiro terço do século XX, muitos membros do povo Gumuz foram vítimas do tráfico de escravos. Até hoje eles vivem como caçadores e colhedores de frutos das florestas. Eles são muito abertos ao Evangelho e recebem bem a Igreja quando ela consegue chegar até eles. O Evangelho os liberta de muitas das crenças que os mantém em estado de medo. E o pavor das bruxarias não é o menor deles. Mas, ao mesmo tempo, este povo precisa de ajuda prática e material, pois eles não tem auxílio médico, escolas ou infraestrutura. Nisso a Igreja também os está ajudando, os auxílios pastorais chegam junto com o desenvolvimento.

Nesse ano, a Igreja Católica estabeleceu a nova diocese de Bahir Dar-Dessi nesta região. Atualmente há 20 paróquias e 40 postos missionários – pequenas capelas em aldeias onde a Santa Missa é celebrada. Porém, os padres têm de viajar grandes distâncias para poder chegar até os fiéis. Geralmente, eles precisam celebrar várias vezes em locais diferentes aos domingos. Durante a época das chuvas, as estradas se transformam em lamaçais intransitáveis a não ser para veículos com tração nas quatro rodas. Por enquanto a nova diocese não tem nenhum desses para atender às regiões mais remotas.

A AIS prometeu a soma de 108 mil reais para que a diocese possa adquirir um veículo robusto, apropriado para o trabalho pastoral nestas regiões.

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!