//Cazaquistão: O convento é a verdadeira casa para as crianças

Cazaquistão: O convento é a verdadeira casa para as crianças

2015-06-23T16:15:53+00:00julho 4th, 2015|Projetos|

“…uma menina pequena teve de vir para a igreja sozinha no dia de sua primeira comunhão, pois nenhum membro de sua família quis vir com ela. No momento em que ela recebia o Senhor pela primeira vez, sua mãe já estava bêbada em casa.”

Já fazem 15 anos que as Irmãs da Misericórdia (também conhecidas como Irmãs Vicentinas) trabalham no Cazaquistão, cuidando dos idosos, dos doentes e especialmente de crianças de famílias com problemas. Elas percebem que a pobreza está crescendo no país. Muitas crianças não podem nem fazer as lições de casa em seus lares, pois não tem eletricidade, ou suas casas não são aquecidas durante o o frio terrível do inverno, quando a temperatura pode chegar até 40 graus abaixo de zero.

Depois da escola, as crianças ficam sob os cuidados das freiras. Elas tomam uma refeição quente, podem brincar e fazer as lições de casa em paz. Ao mesmo tempo, as irmãs preparam as crianças para receber os sacramentos. Para muitas delas, o convento das freiras é sua verdadeira casa. Com frequência, a história de vida destas crianças é triste. Por exemplo, uma menina pequena teve de vir para a igreja sozinha no dia de sua primeira comunhão, pois nenhum membro de sua família quis vir com ela. No momento em que ela recebia o Senhor pela primeira vez, sua mãe já estava bêbada em casa. Em muitos casos, é através das crianças que as irmãs conseguem ter acesso às famílias, que também precisam de ajuda.

O primeiro convento das Irmãs da Misericórdia foi consagrado no dia 8 de dezembro do ano 2000, festa da Imaculada Conceição. Ele está situado na cidade de Shortand, na diocese de Astana.

Quando o convento foi construído, os materiais eram de baixa qualidade, um problema comum no Cazaquistão na época. Dadas as condições climáticas extremas – frio congelante no inverno e calor insuportável no verão – a consequência é que o telhado precisa de uma grande e urgente reforma.

“Nós ficaremos muita gratas por seu apoio e rezaremos pelos seus benfeitores!”, foi o que escreveu a irmã Grazyna. A Ajuda à Igreja que Sofre prometeu a elas cerca de 16 mil rais.

Leave A Comment