Rolando Bazán ainda é um jovem padre. No entanto, ele sozinho é responsável por uma paróquia central e 40 comunidades, somando mais de 11 mil fiéis católicos, cobrindo uma área dos Andes com altitudes de 1.600 a 4.500 mts, no Peru.

As pessoas são extremamente pobres. Nas regiões de baixa altitude, principalmente perto dos rios, ainda é possível o sustento através da agricultura, porém, mais para cima, nas montanhas, pouco ou nada pode ser cultivado.

Há 5 comunidades de irmãs religiosas, que também ajudam o pároco em seu trabalho missionário, e há 20 anos um centro pastoral foi construído, para melhorar o cuidado pastoral aos católicos das regiões mais montanhosas. Hoje também existem catequistas, que ajudam a proclamar a fé nos lugares onde o padre e as irmãs raramente podem chegar.

A igreja central é dedicada a São Miguel Arcanjo e foi construída em 1872 de tijolos de lama. Mas, em 2008, foi amplamente danificada por fortes tempestades. Na verdade as autoridades têm mesmo proibido qualquer outro uso do prédio, uma vez que existe um perigo real de desmoronamento – e de fato uma parte dela já veio ao chão. Portanto, agora os fiéis são confrontados com uma igreja fechada. Eles não têm outro lugar apropriado para celebrar a Santa Missa. Tudo é improvisado e, por enquanto, eles se reúnem em um salão na comunidade mais próxima, onde todas as outras atividades também acontecem.

O bispo Antonio Santarsiero da diocese de Huacho tem insistentemente recomendado para nós o projeto do padre Rolando Bazán, para a construção de uma nova igreja central, exaltando o excelente trabalho pastoral que este jovem sacerdote está fazendo. A Ajuda à Igreja que Sofre prometeu ajudar, e financiará grande parte da obra da nova igreja.