//AIS inaugura a primeira escola para os refugiados no Iraque

AIS inaugura a primeira escola para os refugiados no Iraque

2014-12-17T11:11:04+00:00dezembro 11th, 2014|Projetos|

Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) inaugura a primeira de um total de 8 escolas para os refugiados cristãos em Ankawa no Iraque.

Inaugurada na última quinta-feira, dia 11 de dezembro, em Erbil-Ankawa, esta é a primeira de um total de oito escolas para crianças cristãs financiadas pela Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS). O presidente internacional da instituição, Johannes von Heeremann, estava presente na inauguração no bairro cristão de Erbil, Ankawa e afirmou que “para a nossa Fundação, a educação das crianças é uma das prioridades. Não podemos permitir que as condições para se desenvolver no Iraque sejam semelhantes às da Síria, onde as crianças, por vezes, não frequentam qualquer tipo de escola há anos. Isto leva a gerações perdidas com imprevisíveis consequências a longo prazo. Por isso, estou muito feliz que, com a inauguração desta escola, podemos fazer uma pequena, mas importante contribuição para salvaguardar a presença cristã no Iraque”.

O projeto da escola está sendo supervisionado pelo responsável do departamento pelo Oriente Médio da AIS, padre Andrzej Halemba. “Nós fornecemos um apoio aos projetos da escola, mas esse valor não cobre todas as necessidades, é claro. Mas é um começo. A causa ecumênica também está sendo apoiada. Uma escola em Dohuk servirá principalmente crianças sírio-ortodoxas. Também crianças Yazidis poderão participar de nossas escolas”. Halemba relembra o estresse passado pelas comunidades que acolheram os refugiados dispensando os protocolos costumeiros. “Afinal de contas, muitos edifícios escolares têm sido utilizados como alojamento para os refugiados. Os pais das crianças em idade escolar temiam que a escolarização de seus filhos fosse interrompida. Isto levou a tensões que, agora, podem ser reduzidas”, ressalta. “As escolas estão dando a pais e filhos uma nova esperança. Elas são mais um argumento para eles se manterem no país que amam.”

O arcebispo caldeu de Erbil-Ankawa, Bashar Matti Warda, agradeceu à Ajuda à Igreja que Sofre pelo apoio. “Esta é uma importante contribuição para dar a nossos refugiados uma nova perspectiva. Queremos agradecer a todos os benfeitores por sua generosidade.”

A escola, feita de peças pré-fabricadas, será a primeira de um total de oito escolas nas províncias iraquianas de Dohuk e Erbil. A previsão é de que, em janeiro de 2015, todas elas estarão em funcionamento.Ao todo, cerca de 7.200 crianças, principalmente cristãs, poderão realizar seus estudos. Haverá dois turnos, manhã e tarde, com cerca de 450 crianças de todos os anos em cada turno. As aulas serão ministradas por professores cristãos refugiados de locais agora ocupados pelo grupo Estado Islâmico (EI). O governo central em Bagdá irá pagar para manter o corpo docente. As salas de aula também serão utilizadas para a catequese e outras atividades da Igreja.

Desde que a milícia terrorista do EI avançou para o norte e o oeste do Iraque, em junho deste ano, mais de 100 mil cristãos, em vários grupos, tiveram que fugir de suas áreas de origem e deixar tudo para trás. A maioria encontrou refúgio na região norte iraquiana do Curdistão. Os bispos temem que haja um êxodo crescente do Iraque se o povo não encontrar rapidamente um novo horizonte. A Ajuda à Igreja que Sofre, portanto, enviou um auxílio rápido e expressivo para os cristãos perseguidos. Isso inclui, entre muitas outras coisas, a aquisição de casas móveis e a doação de alimentos.
 

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!