//AIS aumentou apoio aos refugiados em 2012

AIS aumentou apoio aos refugiados em 2012

2013-01-11T13:34:42+00:00 Janeiro 11th, 2013|Projetos|

Em 2012, a Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) distribuiu mais de 500.000 euros para ajuda de emergência nas regiões onde existem conflitos armados, guerras ou crises humanitárias. Esta cifra é mais que o dobro distribuído em 2011 para o mesmo tipo de ajuda. Embora a principal missão da AIS é de cunho pastoral, também auxiliamos na ajuda de emergência às pessoas que sofrem necessidade, independentemente da sua origem ou convicção religiosa.

No ano passado, o centro das atenções foi a crise na Síria. Na Primavera de 2012 prestou-se ajuda de emergência aos refugiados deste país; mais tarde, foram apoiados também os refugiados sírios nos países vizinhos, na Jordânia e Turquia, para onde fugiam milhares de pessoas por causa da guerra civil na Síria. Também não foram esquecidas as pessoas que, em anos anteriores, haviam fugido do Iraque em busca de segurança na Síria, mas dadas as circunstâncias, se encontraram em ameaça ainda maior, e tiveram que fugir novamente para o Líbano, onde as Irmãs do Bom Pastor forneceu-lhes auxilio básico, tal como já o tinham feito no Norte do Iraque.

Um outro aspecto importante de ajuda emergencial em 2012, foi o apoio aos refugiados do Norte do Sudão que regressaram à sua pátria depois da independência do Sudão do Sul. Enquanto o Sul – marcado principalmente pelo Cristianismo e pelas religiões tradicionais – se encontra perante um novo começo, no Norte os cristãos são uma minoria num estado dominado pelo Islã. Centenas de milhares de cristãos migraram para o Sul e muito provavelmente outros farão o mesmo. Em 2012 houve vários conflitos violentos na região fronteiriça e, hoje, apesar da calma aparente, a tensão continua. O terror esgotou as pessoas, na tentativa frustrada do Sudão do Norte impor a arabização e islamização do Sudão do Sul, estima-se que tenham morrido aproximadamente dois milhões de sudaneses; outros quatro milhões foram expulsos das suas terras.

O ano de 2012 também não foi nada fácil para um outro país caracterizado pelo sofrimento atroz da sua população, a República Democrática do Congo, mais concretamente para a região do Kivu, no Leste do país. Também ali, a AIS disponibilizou ajuda para milhares de refugiados, pessoas traumatizadas e sem teto.

Leave A Comment