//Planeta Terra – Morada da Humanidade

Planeta Terra – Morada da Humanidade

2011-03-03T12:43:18+00:00 Março 2nd, 2011|Palavra Viva|

O futuro da humanidade depende em muito de nossas opções e escolhas hoje. O futuro da vida está ligado diretamente aos cuidados que temos com todos os bens da criação e suas criaturas.


A criação em sua diversidade é uma dádiva e dom de Deus para todos. Seu cultivo e domínio não é poder exclusivo de poucas pessoas ou de um instinto egoísta e exploratório dos sistemas econômicos. Não somos donos absolutos dos bens da natureza. A terra é a morada da humanidade, nossa casa comum.

Recebemos de Deus o direito de usufruir e de explorar racional e responsavelmente os recursos da criação para a nossa sobrevivência, mas igualmente assumimos o compromisso e o dever moral, ético e social de preservar e de cultivar para o bem comum.

O catecismo da Igreja católica nos ensina que, explorar indevidamente ou destruir os recursos naturais, movidos por interesses de egoísmo e de ganância, cometemos pecado grave.

Se formos honestos, todos temos nossa parcela de responsabilidade pelo atual estado de degradação da qualidade de vida de nosso planeta Terra, como de seu aquecimento global. “A terra geme com dores de parto” (Rm 8,22).

Não há mais tempo a perder. A terra, na diversidade de sua vida e na riqueza de seus recursos  naturais, dá sinais claros de enfermidade. Os sinais se fazem sentir em todas as direções, pelas catástrofes e pelo aquecimento global. Estamos colhendo os frutos amargos de nosso egoísmo irresponsável. Os profetas sempre nos advertiram que devemos saber ler e interpretar os sinais de Deus através dos fenômenos da natureza. Chegou a hora de refletirmos sobre a missão que Deus Pai nos delegou deste o início da criação, na pessoa de Adão e Eva, “ide contemplai e cultivai os bens da criação para o vosso sustento” (Gn 1,29s).

Diante do dever e do compromisso de zelarmos pela qualidade de vida, não podemos nos esquecer que nossa vida e a vida de toda a humanidade estão diretamente ligadas na preservação e conservação dos bens e recursos de nosso planeta Terra. São Francisco nos ensinou sobre o dever e o compromisso para com o bom uso da natureza e pela diversidade de toda vida da mãe terra. Os santos e místicos, como a Igreja, sempre disseram que a natureza é nossa primeira bíblia natural. Ela nos fala de Deus e nos revela a presença e a bondade de nosso Pai que está no Céu.

A contemplação e o cultivo responsável de todos os bens da criação é missão de todos. Não zelarmos por estes bens, como condição indispensável para uma sadia qualidade de vida, é irmos contra o plano de Deus para a humanidade. Por isto mesmo, a manipulação egoísta e indevida da natureza é pecado. A Igreja considera como pecado grave, porque fere o projeto de Deus sobre os recursos para o bem de todos, como nega também o dever de justiça para as futuras gerações.

Esta é uma verdade: Sempre que o ser humano em sua liberdade irresponsável se colocou fora do plano de Deus no uso indevido dos bens da criação, ele próprio se arruinou na relação consigo, em sua relação com a natureza, na relação de justiça e de fraternidade com o irmão e com o próprio Criador.

“A terra tem os recursos necessários para toda a humanidade, não para as suas ambições”. Gandhi

4 Comments

  1. elizabeth tomie nascimento 7 de Março de 2011 at 19:00 - Reply

    O SER HUMANO É MUITO EGOÍSTA ,PARA ACEITAR QUE ELE PRÓPRIO É QUE ESTÁ DESTRUINDO A TERRA.. ‘DEUS’ QUE É PERFEITO EM TUDO QUE FAZ, NOS DEU ESTE PLANETA PERFEITO…E “DEUS VIU QUE TUDO ERA PERFEITO E ABENÇOOU…”

  2. Marilda Silveira 13 de Março de 2011 at 18:18 - Reply

    Elizabeth, isso porque o ser humano é dotado de “Espírito de onipotência!”
    Só Deus é bom.

  3. Odalberto Domingos Casonatto 31 de Março de 2011 at 18:14 - Reply

    A Campanha da Fraternidade 2011 traz o tema: “Fraternidade e a Vida no Planeta”. Esta temática polemica foi assunto de muitos debates e conferências mundiais, mas poucos resultados concretos. A dimensão ecológica advinda deste tema que a C. F. sugere a reflexão quaresmal um esforço concreto a ser executado, com consciência de respeito aos nossos irmãos, a natureza e na busca de salvaguardar a humanidade de uma catástrofe futura. De fato, a religião ocupa um lugar importante e deve por si mesma expressar o dinamismo de transformação envolto na complexidade da convivência homem e natureza. Este relacionamento não pode ser descaracterizado pela separação de um do outro, ou pela agressão mútua, mas deverá existir como convivência harmônica e conjunta. São Francisco de Assis, nesta Campanha da Fraternidade, ocupa um lugar central, por sua maneira profunda e bela, nos ensinando o sentido divino que se manifesta em toda criação.

  4. Brenoli 14 de junho de 2015 at 21:58 - Reply

    Destino Final

    De 15.000 A.C. até o ano 0, a humanidade saiu das cavernas para grandes redutos de civilizações.
    Do ano 0, até o ano 5.000 D.C. a humanidade vai ter destruido completamente o planeta.
    No ano 20.000 D.C. o planeta será condenado a vagar pelo universo, morto e esquecido, por ainda infinitos séculos.

Leave A Comment