Obrigado

2017-07-19T17:00:45+00:00julho 19th, 2017|Palavra Viva|

Junto ao seu nome, um padreescreveu na lembrança dasua Primeira Missa apenasuma palavra grega: Eucharistomenque quer dizer ‘Obrigado’.

Essa palavra é o que move tambéma nós, nesta edição do Eco do Amor, ao fecharmos o balançode toda ajuda prestada durante oano de 2016. Foram ao todo 5303projetos apoiados, com um volumefinanceiro superior ao do anopassado.“Obrigado” é uma palavra muito humana, é a fórmula mais breve para expressar a consciência de termos sido agraciados. Todos nós vivemos um do outro. Essa realidade frequentemente é esquecida, porque muitas ajudas podem ser hoje compradas. Assim, um ato de ajuda se transforma numa prestação de serviço; uma doação livre vira entrega garantida por contrato. Mas, no seu íntimo, o homem vive só daquilo que não pode ser pago: existência, liberdade, graça – tudo isso é impagável. O que podemos comprar – prazer, conforto, estudos, aventuras, seguros, até mesmo a saúde (na medida do possível) –, pode nos deixar eventualmente satisfeitos, mas não realmente felizes.

Por isso a gratidão nos leva ao amor incondicional de Deus, que se doa de modo totalmente livre e gratuito, só por nossa causa, simplesmente porque Ele quer o nosso bem. Deus quis que experimentássemos esse dom do seu amor, não só através da encarnação de seu Filho, mas também por meio da Santa Eucaristia. Eucaristia significa também ação de graças. Jesus transformou a loucura da cruz e todo o sofrimento em ação de graças e, desse modo, em bênção. Jesus entregou seu corpo ao mundo para curar nossas feridas. A gratidão a Deus exige que nos apressemos em procurar os outros para ajudar, mesmo quando isso nos expõe ao risco de sermos feridos. Precisamos da Eucaristia para superar o nosso medo e o nosso egoísmo.

Caros amigos, tudo o que conseguimos realizar com a ajuda de vocês, extrai sua força do Santíssimo Sacramento do Altar e encontra nele a sua motivação. Nós construímos igrejas e capelas, levamos transporte e acesso da Igreja ao povo de Deus mais afastado, ajudamos seminaristas, sacerdotes e religiosos, formamos catequistas, porque o próprio Senhor quer estar presente entre nós na Eucaristia. A Eucaristia é o dom mais precioso e mais necessário. O santo Cura d’Ars exprimiu assim esse fato: “Todos os tesouros deste mundo não bastam à alma para alimentá-la. O próprio Deus tem de ser o seu alimento. Como deve ser sublime o homem, uma
vez que só Deus pode saciá-lo.” Procuremos estar frequentemente diante do Santíssimo Sacramento. Ele está ali! De modo inteiramente gratuito. É do amor ao Senhor que depende se o mundo se acabará na sua própria angústia e ingratidão, ou se será curado.

Leave A Comment