A revelação cristã nos ensina que podemos descobrir a presença de Deus de muitos modos: através das obras de sua criação, através da sua Palavra presente nas Escrituras, na vida da Igreja, como particularmente através do amor fraterno.

Sou em muito grato pelo que, desde a minha infância, me ensinaram a contemplar nas obras da criação e no amor aos irmãos a presença escondida do Deus que nos ama e quer ser amado. Infelizmente não poucos perderam a capacidade de ver, de sentir, de contemplar e de descobrir o imenso amor de Deus presente na diversidade de suas obras e na presença dos irmãos. Sem dúvida, a perda da capacidade de contemplar e de se encontrar com Deus na criação e no amor fraterno é uma das graves enfermidades de nosso tempo.

Encanta-me apreciar o belo de Deus presente na diversidade que explode em vida. Emociono-me ao ver o cuidado com que os animais cuidam de sua prole, do esmero e da doação com que os pássaros constroem seus ninhos, aquecem os seus ovos e se doam na criação de seus filhotes e me pergunto: Por que nós, os humanos, por vezes somos tão pobres em nosso amor e compromisso fraterno?

Pelas Escrituras sabemos que entre as criaturas o ser humano é a que mais recebeu e recebe o amor de Deus como suas obras primas. Somente nós fomos chamados por Deus para partilhar da plenitude de sua vida divina como imagens e semelhança Dele que somos. Deus de tal modo se enamorou e se apaixonou por nós que quis nos abraçar em nossa própria humanidade na Pessoa de Jesus, seu Filho amado, que se tornou um de nós, viveu nossa vida e se sacrificou até a morte para nos salvar, ressuscitando ao terceiro dia.

Como não amarmos esse Deus? Seesse foi o valor dado por Deus a cada pessoa humana, como não reconhecermos Deus na criação e nos irmãos? O amor a Deus e o amor aos irmãos, particularmente o amor aos irmãos mais pequeninos e necessitados, deve ser o nosso compromisso maior de cristãos.

Encontramo-nos novamente no mês da Bíblia. Mas a Bíblia não existe apenas para ser lida e apreciada, mas, acima de tudo, para ser acolhida e amada, tornando-se o alimento indispensável em nossa caminhada. É e sempre será na soma de nossa vida com a Palavra de Deus acrescida da vivência dos sacramentos, particularmente da Eucaristia e do amor aos irmãos, que nos transformaremos sempre mais em verdadeiros filhos de Deus e discípulos missionários de Cristo.

Que o bom Deus Pai na Pessoa de Jesus pela ação do seu Espírito Santo nos ensine a acolher a Bíblia e a viver o amor entre irmãos. Se realmente professamos que Jesus é o nosso Mestre, Senhor e Salvador, temos o dever de levar mais a sério o seu último pedido antes de sua volta ao Pai. “Ide e levai a minha Boa Nova a todos os povos” Mt 28,19s.