//O Deus que se fez Homem

O Deus que se fez Homem

2012-10-11T13:10:40+00:00junho 1st, 2009|Palavra Viva|

A busca de Deus é uma realidade do coração humano. Por caminhos diferentes aspiramos nos encontrar com Deus. Somos por natureza eternos peregrinos de nos próprios na busca da posse da vida. Na verdade, nada nos basta, nada nos sacia plenamente no tempo. Somos seres finitos aspirando para o infinito, Deus.

Sto. Agostinho traduz esta aspiração de nosso coração humano. “Quão tarde eu te encontrei, ó meu Deus. Inquieto estava meu coração enquanto não descansou em Vós”. Exclama o salmista: “Minha alma tem sede, sede do Deus vivo. Quando enfim irei contemplar a face de meu Deus?” (Sl. 41.3.)

Entretanto o que mais nos emociona é saber que o Deus da Bíblia, revelado por Jesus, é um Deus apaixonado pela humanidade e que nos ama desde sempre e para sempre. E mais, Deus tem pressa em partilhar sua vida e amor conosco. Esta é a grande verdade. Cristo nos revelou que somos imensamente amados por Deus. E sabemos pela própria experiência humana que quem se descobre amado se transforma, acredita na vida e se salva.

A Bíblia, os Evangelhos e as Cartas Apostólicas nos mostram que a aspiração interna de nosso coração para a comunhão com Deus é antes de tudo uma iniciativa gratuita de Deus por nós. Deus é Quem sempre nos procurou e nos procura por primeiro. “Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos Ele amado por primeiro e enviado seu Filho para expiar nossos pecados” (1Jo.4,9s.)

O cristianismo é a religião do Deus enamorado, apaixonado e comprometido com cada pessoa. Sim, Deus nos amou desde sempre, nos amou incansavelmente através dos tempos, mas particularmente nos amou e nos ama através da dádiva de seu único Filho amado, Jesus, que se tornou um de nós, Pessoa humana, Deus Homem.

Jesus é a encarnação viva do amor eterno de Deus Pai que se fez presença humana para nos salvar. No Deus que se fez Homem em Jesus, o horizonte de nossa humanidade se valorizou e se abriu em dimensões de eternidade. Através da encarnação, da vida, da paixão, da morte e da ressurreição de Jesus a nossa aspiração pela eternidade deixou de ser sonho para ser promessa de Deus para o nosso presente, como para o nosso futuro. O nosso sonho de encontro com Deus deixou de ser procura para ser encontro pessoal na Pessoa de Jesus.

Cristo, com sua vida, paixão, morte e ressurreição se transformou no único e eterno sacerdote, o Cordeiro vivo, Aquele que tira o pecado do mundo. Cristo é a nossa única e verdadeira esperança, a nossa salvação definitiva.

No mês de junho, através da devoção ao Sagrado Coração de Jesus, devemos sempre mais tornar vivo em nós e entre nós o amor deste Deus, que espera ser encontrado na procura incansável do homem pela paz.

Enfim, nossa aspiração para a eternidade não é apenas uma possibilidade, mas tornou-se promessa salvadora de Deus para todos que amam e seguem Jesus. Não caminhamos para o desconhecido, mas em Cristo e por Cristo caminhamos para o encontro com a posse plena da Vida, que é Deus, na eternidade.

2 Comments

  1. tecnar 26 de junho de 2010 at 01:56 - Reply

    Amigo: Graça e paz.

    Vendo o seu comentário posso peceber que voce entende que há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo. Deus o abençoe grandemente.

  2. Danielle 23 de agosto de 2010 at 22:37 - Reply

    muito bom!!! Deus é maravilhoso!

Leave A Comment