Maria foi pensada, amada e preparada por Deus para nos trazer o Redentor da humanidade, Jesus. Basta um olhar mais atento na bíblia para percebermos que o anúncio da missão de Maria percorre os tempos ao longo da História da Salvação, tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento.

Entretanto, a maior grandeza de Maria foi e é a de ser a ouvinte e confidente da vontade do Pai. A Igreja reconhece e venera Maria sob inúmeros aspectos, títulos e nomes, apresentando-a como a mulher do silêncio, numa vida de total serviço a Deus, à Igreja e aos homens. Jesus nos momentos finais de sua vida A entregou como a Mãe da Igreja e nossa Mãe.

Aprendemos de Maria a arte do verdadeiro silêncio. Um silêncio que nos leva à escuta amorosa da Palavra de Deus e nos convida a buscar em tudo a vontade do Pai através do acolhimento e vivência da Palavra. Aliás, o segredo de todos os santos e santas é a intimidade com a Palavra de Deus seguindo a vida e os passos de Jesus. Mais uma vez recordo que, hoje se fala muito de Deus, se fala pouco com Deus e praticamente não se tem mais o espaço necessário para ouvir Deus. Agora, pois, com Maria podemos aprendemos o segredo do verdadeiro discipulado de Jesus. Sem uma escuta e um sincero acolhimento da vontade de Deus, ao invés de nos tornarmos discípulos de Jesus nos tornaremos discípulos de nós mesmos e do mundo.

Maria, com sua simplicidade em viver a vida, se transforma no modelo perfeito de vida cristã. Com sua vida de total disponibilidade e entrega à vontade de Deus, Ela se tornou a portadora de nossa salvação, nos gerando Jesus, seu Filho amado, o nosso único Salvador e Redentor.

A AIS Brasil encontra no pedido de Maria (“Fazei tudo o que Ele vos disser” Jo 2,5)  sua razão maior de ser, de amar e de servir a Cristo na pessoa dos irmãos mais feridos e pequeninos de nosso tempo. “Na verdade, vos digo. Tudo o que fizerdes ao menor dos meus é a mim que o fareis” Mt 25,40.

Outubro, como o mês da devoção do rosário e o mês de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, o exemplo de vida de Maria nos ensina que para seguir Jesus não basta apenas os conhecimentos, mas se faz necessário antes de tudo abraçar uma autêntica vida, fundamentada no acolhimento da vontade de  Deus e no amor gratuito ao próximo. “Quem diz amar a Deus a Quem não vê e não ama o irmão a que vê, engana-se a si mesmo. Quem ama a Deus, que ame também o irmão” 1Jo 4,20-21s.

Nossa verdadeira veneração e amor a Maria deve se expressar no acolhimento da vontade de Deus, buscando viver na prática tudo o que Jesus nos ensinou com sua vida e Boa Nova dos Evangelhos. Pois sempre será pelo nosso amor a Cristo e aos irmãos que nos tornaremos filhos amados de Maria e os verdadeiros discípulos missionários de Jesus que a Igreja de nossos tempos tanto precisa.