As ciências confirmam e reconhecem que a busca pelo espiritual é uma das maiores dimensões do coração humano. Desconhecer ou ignorar o nosso lado espiritual é simplesmente deixarmo-nos adoecer.


Sem um tempo, um espaço e um lugar para o cultivo da vida espiritual, faltaríamos com a caridade para conosco e para com os irmãos. Pois quando tiramos Deus da nossa vida, a tornamos sem sentido, sem uma perspectiva verdadeira. Este foi e é o ensinamento que nos foi dado desde as primeiras páginas da Bíblia. Enquanto Adão e Eva e seus filhos viviam na amizade com Deus eram felizes. Com a ruptura desta comunhão com Deus, Adão e Eva perderam a harmonia entre si, o paraíso foi perdido, o ódio tomou conta do coração de Caim que, por ciúme e inveja, matou seu próprio irmão, Abel.

O encontro com Deus é a razão de ser das religiões e faz parte da essência do cristianismo. A Bíblia é o livro que nos fala da relação de Deus com o homem e do homem com Deus. Foi Deus mesmo que veio ao nosso encontro, nos assumindo como somos e nos amando ao extremo em Jesus, seu Filho amado. Um Deus que nos fez para Ele, para participarmos de sua vida e de sua felicidade agora e por toda a eternidade. A Bíblia nos revela um Deus que nos ouve, nos vê, nos sente, que desce ao nosso encontro e nos toma no colo para nos restituir a dignidade e a felicidade que aspiramos (Ex.3,1s). Deus não quer que nenhum de seus filhos sofra e se perca. Este é o Deus de Jesus e nosso Deus.

Esta é uma verdade: nossa vida sem Deus não se explica e não teremos a salvação que aspiramos. Através dos tempos e das civilizações o homem sempre buscou se encontrar com Deus, na Bíblia e particularmente em Cristo este encontro se tornou uma realidade. Os Evangelhos mostram Cristo como um “Homem-Deus” assíduo na oração. Em sua vida, como de costume, se retirava para rezar e nada fazia sem primeiro rezar. Ensinou que sem uma real intimidade com Deus, nós não chegaremos a lugar algum, não seremos felizes e nem nos salvaremos.

A oração mede a saúde de nossa vida humano-espiritual. Se nós somos feitos para Deus e nosso coração aspira para Ele, a oração passa a ser uma necessidade e não apenas uma opção pessoal. Resta-nos apenas refletir: como rezamos e que lugar a oração ocupa em nossa vida?