//10 perguntas sobre o Ano da Misericórdia

10 perguntas sobre o Ano da Misericórdia

2018-03-20T14:48:46+00:00 dezembro 7th, 2015|Palavra Viva|

No próximo dia 8 de dezembro, festividade da Imaculada Conceição, o Papa Francisco abrirá a Porta Santa na Basílica de São Pedro de Roma, ao mesmo tempo em que serão abertas as portas santas de todas as dioceses do mundo, para que todos possam viver o Jubileu. O Santo Ano da Misericórdia.

Apresentamos, a seguir, 10 perguntas essenciais sobre como viver o Ano Santo, de acordo com a bula papal “Misericordiae vultus”, com a qual o Papa convocou este jubileu.

1. O que é um Ano Santo ou Jubileu Extraordinário?

Na tradição católica, o Jubileu é o ano que a Igreja proclama para que as pessoas se convertam em seu interior e se reconciliem com Deus, por meio da penitência, da oração, da caridade, dos sacramentos e da peregrinação, “porque a vida é uma peregrinação e o homem é um peregrino” (MV 14). Em todos os anos santos é possível ganhar indulgências, graças especiais que a Igreja concede e que podem ser aplicadas à remissão dos próprios pecados e suas penas, ou também aos defuntos que estão no purgatório. O lema deste Ano Santo é “Misericordiosos como o Pai”, e a principal intercessora do Jubileu é Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe de misericórdia. A cada 25 anos, a Igreja celebra um Ano Santo Ordinário. O próximo será em 2025. Fora dos anos santos ordinários, a celebração do Ano Santo é “extraordinária”.

2. Por que este Ano Santo é o da misericórdia?

O Papa quis que o tema fosse a misericórdia para nos unir mais ao rosto de Cristo, no qual se reflete a misericórdia do Pai, que é “rico em misericórdia” (MV 1). A misericórdia é superior à justiça. Deus é justo, mas vai muito além da justiça, com sua misericórdia e seu perdão. E é isso que podemos vivenciar neste Ano Santo.

3. Quando começa e quando termina o Santo Ano da Misericórdia?

O Ano Santo começa no dia 8 de dezembro de 2015, com a celebração dos 50 anos do final do Concílio Vaticano II, e termina na festa de Cristo Rei, em 20 de novembro de 2016, o último dia do ano litúrgico.

4. O que o Papa pede que façamos?

O Papa Francisco insiste na iniciativa “24 horas para o Senhor, que desejo que seja celebrada em toda a Igreja”, entre a sexta-feira e o sábado antes do 4º domingo da Quaresma, porque “é expressão desta necessidade da oração”. Além disso, ele aconselha que pratiquemos as obras de misericórdia, além de viver intensamente a oração, o jejum e a caridade na Quaresma (MV 17); também recomenda que nos confessemos, para poder receber melhor as graças do ano jubilar. E que cada um realize uma peregrinação, de acordo com suas capacidades, para atravessar a Porta Santa.

5. É preciso ir a Roma para atravessar a Porta Santa e ganhar indulgências?

Não. Você pode ir à catedral da sua diocese ou às igrejas e basílicas destinadas a isso. Em cada diocese haverá uma Porta Santa e, cruzando-a, você ganhará as indulgências do Santo Ano da Misericórdia(quando a peregrinação for acompanhada de confissão, comunhão no dia da peregrinação, um ato de fé – recitação do Credo – e uma oração pelo Papa).

6. O que são as obras de misericórdia?

Existem 14 obras de misericórdia, 7 espirituais e 7 corporais.

Obras de misericórdia corporais:

  1. Dar de comer a quem tem fome;
  2. Dar de beber a quem tem sede;
  3. Vestir os nus;
  4. Visitar os doentes;
  5. Visitar os presos;
  6. Acolher os peregrinos;
  7. Enterrar os mortos.

Obras de misericórdia espirituais:

  1. Dar bom conselho;
  2. Corrigir os que erram;
  3. Ensinar os ignorantes;
  4. Suportar com paciência as fraquezas do próximo;
  5. Consolar os aflitos;
  6. Perdoar os que nos ofenderam;
  7. Rezar pelos vivos e pelos mortos.

7. O que são e o que fazem os “missionários da misericórdia”?

O Papa Francisco anunciou que enviará padres em todas as dioceses, chamados “missionários da misericórdia”, os quais poderão celebrar missões pregadas nas paróquias e despertar o chamado à misericórdia. Além disso, poderão perdoar pecados muito grandes, como crimes mafiosos, assassinatos cometidos para enriquecer, bem como o gravíssimo pecado da corrupção.

8. É necessário se confessar no Ano Santo?

Durante o Ano Santo, a reconciliação com Deus é vivida especialmente através do sacramento da confissão, muito unido ao da Eucaristia. É aconselhável confessar-se várias vezes ao longo do Jubileu, para experimentar mais profundamente a misericórdia de Deus.

9. Qual é a importância do Santo Ano da Misericórdia no pontificado de Francisco?

O centro do pontificado do Papa Francisco é a misericórdia de Deus e, portanto, este ano jubilar é um dos pontos altos do seu pontificado.

10. O Ano Santo é importante para outras religiões?

A misericórdia “ultrapassa os confins da terra” (MV 23); ela nos relaciona com o judaísmo, como se vê no Antigo Testamento, em que a misericórdia de Deus é evidente; também os relaciona com o islamismo, que atribui ao Criador os nomes de “misericordioso” e “clemente”. O Papa Francisco pede o diálogo com todas as “nobres tradições religiosas” do mundo.

15 Comments

  1. Adailson Oliveira 7 de dezembro de 2015 at 21:38 - Reply

    Excelente matéria, mas deveria ser possível postarmos direto no facebook.

  2. Tereza Cardoso de Oliveira 13 de dezembro de 2015 at 06:12 - Reply

    Agradeço a Deus por essa iniciativa do santo Papa Francisco: Ano Santo da Misericórdia.
    N. Senhora de Guadalupe, Mãe de Misericórdia, rogai por nós!

  3. jussara 13 de dezembro de 2015 at 12:17 - Reply

    Para passar pela Porta Santa, tem que primeiro confessar ? Ou pode confessar depois ? Porque fui à igreja no sábado e não pude confessar , os padres estavam em Retiro. Como faço ?

  4. Angela Orlando 13 de dezembro de 2015 at 20:58 - Reply

    Gostaria de saber a mesma coisa que o amigo escreveu acima. Para passar pela porta da misericórdia é necessário que já tenha confessado e feito todas as obrigações necessárias?

  5. Bruno Redígolo 15 de dezembro de 2015 at 13:27 - Reply

    Jussara, Angela, falo aqui aquilo que penso sobre esta divina graça que o Ano Jubilar nos traz. O que pode contrastar em algum ponto da ortodoxia. Antes de peregrinar a algum santuário em busca da indulgência que perdoa os pecados, o coração do fiel precisa necessariamente já ter passado pela experiência do remorso, do arrependimento e, consequentemente, da nova ordenação de vida. Vejam, não estamos diante do cumprimento de preceitos para “comprar” de Deus o perdão. Percebem?! Neste sentido, pede-se que a confissão (como mostra deste arrependimento e mostra de uma nova atitude) aconteça antes da peregrinação às portas Santas. No mais, usufruamos deste tempo favorável para repensar nossa trajetória e ressignificar nossos valores. Deus as abençoe!

  6. Maria Iracema Viana 15 de dezembro de 2015 at 14:31 - Reply

    Louvo ao nosso Deus, Pai de misericórdia, por nos amar com tanto zelo por nossa alma.
    Neste ano santo, Jesus nos apresenta a chaga aberta de seu coração, e nos convida a entrarmos, é a porta da sua infinita misericórdia.

  7. Daniele 23 de Janeiro de 2016 at 20:30 - Reply

    Sim, antes de qualquer coisa é necessário confessar-se e confessar-se bem! Com arrependimento, bom exame de consciencia e sem esconder nenhum pecado por vergonha. O Papa nao recomenda, mas manda que confessemos. A confissao e uma exigencia para se entrar no céu. Só entra no ceu quem passa pelo confessionario e passa bem rs ! A confissao e o Sacramento da Misericordia, o mais importante pos a Eucaristia. So se pode comungar estando mt bem confessado. 🙂

  8. Miguel Sumburane 1 de Fevereiro de 2016 at 11:25 - Reply

    A minha pergunta inquietante eh : Como fazer para ser contemplado pelo processo do Ano de Misericordia ja que :
    a)Estou impedido de confessar e, consequentemente, de comungar, porque me encontro numa situacao irregular como cristao. A materia est’a no Processo no Tribunal Eclesiastico ha cerca de 20 anos.
    b) Nao tem tido desfecho o processo, apenas promessa da sua agilizacao que nunca acontece.
    c) Estou nos casos de matrimonios fracassados que meressem atencao de revisao deste Instituicao.

  9. Miguel Sumburane 1 de Fevereiro de 2016 at 11:34 - Reply

    Tenho uma inquietacao :
    Este ah Ano de Misericordia. Muitas gracas para quem esta na graca de Deus.
    Como fazer se eu estou numa situacao de um matrimonio fracassado cujo processo de estudo esta no Tribunal Eclesiastico Local ha cera de 20 anos e nunca teve desfecho sen ao promessas que nao surtem efeito ?
    Estou numa situacao irregular que naome permite nem confessar e, consequentemente, comungar.
    Como irei passar da Porta Santa de Misericordia ?

  10. Lídia K. Furman 23 de Fevereiro de 2016 at 23:33 - Reply

    Terça, 23 de Fevereiro 2016 20:13 postado por Lídia K. Furman
    Não percamos tempo, aproveitemos ao máximo a oportunidade que Deus nos dá do perdão dos pecados, através do Sacramento da Confissão, neste Ano Santo da Misericórdia pronunciado pelo Santo padre o Papa Francisco. Palavras do próprio Cristo para São Pedro (Apóstolo); “Tudo o que ligardes na terra, será ligado no céu, assim como tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. Então minha gente não precisa questionar, basta com humildade e alegria na fé, vivenciar e usufruir intensamente o Ano da Graça, Ano Santo da Misericórdia infinita de nosso Deus Pai. Amo ter fé, amo ser Católica. DEUS SEJA LOUVADO!!

  11. Jean Araujo Gomes 5 de Março de 2016 at 18:09 - Reply

    Sou divorciado a mais de vinte anos, não tenho contatos com as apenas dezessete anos, e me separei após dois anos, estiv ena Igreja para saber a documentação o que precisaria pois casei a oito anos, já estou com cinquenta e quatro anos, faço parte dos movimentos da Igreja, e não participo da comunhão motivo o qual me deixa muito triste.
    O pedido das provas eu não tenho como encontrar as pessoas, Sendo cristão jamais mentiria ou inventaria tal qual coisas, a mesma não era uma mulher direito, tinha contatos com varios homens, mesmo casada, tanto que abandonou o lar, e já estava com outro homem já algum tempo, pois eu trabalhava fora, quando cheguei em casa ela já tinha destinado tudo da casa, o qual não encontrei nada nela, nem mesmo o alimentos ela deixou.
    E ficou com os filhos, envergonhado, não voltei e continuei no local aonde estava trabalhando não indo mais para os finais de semana na cidade aonde residia, aonde a mesma se encontrava.
    Se eu passar pela porta da misericordia, tendo meus pecados perdoados, gostaria de estar em pleno gozo e amplitude com a Igreja a qual pertenço desde a minha infancia, e poder comungar, inclusive para completar a minha vida cristã casar-se perante a presença de Deus, o qual já escutei de um padre, que mesmo havendo o casamento nem todos são abençoados.

  12. Ivanilda de oliveira 9 de Março de 2016 at 13:40 - Reply

    Amém

  13. Odete Naufal Gusmão 6 de outubro de 2016 at 21:39 - Reply

    Peço neste ano da misericórdia que Deus encaminhe os meus filhos, uma boa faculdade para minha filha Gabriela e para o meu filho Bruno um bom emprego, boas amizades, a cura diante das suas dificuldades, Jesus eu confio em Vos!.

  14. Calixto Abrahão Gebrim 12 de outubro de 2016 at 13:45 - Reply

    Aos nossos irmãos:
    Desde 8 de dezembro de 2016, certamente muitos católicos já passaram deste mundo para o outro sem ter usufruido a oportunidade de ter passado pela Porta Santa preparado em verdadeiro Estado de Graça para receber os benefícios concedidos por S. Santidade o Papa Francisco, em plena conformidade que lhe fora concedido por Nosso Senhor Jesus Cristo, quando instituiu Sua Igreja::

    ” Pedro, tu és pedra e sobre esta ´pedra edificarei a Minha Igreja…”

  15. Maria Rosa Chissingui 20 de outubro de 2016 at 08:44 - Reply

    Deus é misericordioso e perdoa todos que em verdade se arrependem,
    Reconheçamos a sua grandeza e quão bom é para connosco…..
    Ámen….

Leave A Comment