O presidente Chávez pode “… tentar confiscar igrejas, escolas e outros edifícios eclesiásticos. Ele poderia tentar eliminar o trabalho da Igreja na Venezuela”.


A Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), instituição reconhecida internacionalmente pela defesa da liberdade religiosa, alerta ante e possibilidade de que o governo de Hugo Chávez confisque templos, escolas ou propriedades eclesiais, com o propósito de eliminar o trabalho da Igreja.

A tensão no país cresceu após a decisão do presidente Chávez de confiscar instituições financeiras líderes que cercam o Lago Maracaibo e que estão relacionadas à indústria do petróleo.

A AIS, que periodicamente publica um informe mundial sobre a liberdade religiosa, baseia-se fundamentalmente em fontes próximas aos bispos da Venezuela.

A AIS revela que há seis semanas, em uma área densamente povoada de Caracas, um líder de distrito anunciou os planos de expropriar diversas escolas dirigidas pela Igreja. Alguns membros do governo assinalaram então que a iniciativa buscava proteger construções de importância nacional, mas alguns representantes da Igreja temem que este seja o primeiro passo para um programa geral de confisco que afetaria as propriedades eclesiais em todo país.

Ninguém sabe o que vem no futuro, masele [Chávez] poderia confiscar igrejas, escolas e outras propriedades eclesiais. Poderia tentar eliminar o trabalho da Igreja, que costumava receber subsídios do governo, mas que foram reduzindo nos últimos oito anos. Particularmente isso teve um mau efeito nas escolas da Igreja.

Chávez considera que a Igreja é inimiga do socialismo do século XXI cada vez que é crítica com o governo, sem ver que a Igreja Católica apenas está tentando fazer que se escute a sua voz quando existe alguma injustiça. Alguns sacerdotes foram ameaçados por pregar contra as reformas de Chávez.

É importante que as pessoas pensem e analisem a cada situação em que Hugo Chávez aplica seu socialismo, pois não se respeita a dignidade da vida. Nesta situação, os católicos devem gerar, ademais da análise crítica, respostas que partam da doutrina social da Igreja.

A AIS tem constatado com grande preocupação as crescentes ameaças para a Igreja desde que o presidente Chávez assumiu o poder.