A Ilha de Puná tem 900 km² e fica na costa sul do Equador. Com uma população em torno de 7 mil habitantes é atualmente uma área pobre, apesar dos esforços que tem sido feitos para promover o turismo. A maioria das pessoas depende da pesca ou da venda de artesanato aos turistas.
A ilha tem um local importante para a história da Igreja na América Latina, porque foi aqui que, em 1541, o primeiro bispo de Cusco – que foi também um dos primeiros bispos da América Latina – sofreu o martírio. Assim, a evangelização da ilha tem um papel especial na história da Igreja Católica local.

No entanto, apesar desta antiga história cristã, foi somente em 2018 que a primeira paróquia foi fundada. Ela cobre treze cidades e vilarejos pequenos da ilha. O pároco, Padre Celso Miguel Montesdeoca Robles, quer trazer nova vida para a igreja local e ele tem conseguido muita coisa.

Já há instrução catequética regular para crianças, jovens e adultos, além de um trabalho pastoral dos jovens e de grupos locais que visitam os idosos e doentes. Mas Padre Robles gostaria de dar uma formação mais sólida para os líderes dos grupos. Gostaria também de encorajar mais pessoas a se envolverem. Ele recebe ajuda das Irmãs da Congregação das Filhas de Maria (Hijas de Maria).

É preciso uma reforma urgente na Ilha de Puná

O presbitério e a casa paroquial estão em más condições e precisam de reforma urgente. Esta área está sujeita a frequentes terremotos, que danificam as paredes e o teto – especialmente o terremoto devastador de 2016, que causou grande dano. A forte maresia também consome os tecidos. Os encanamentos e a parte elétrica precisam de reforma completa. Para completar, o prédio tem pouca proteção contra as gangues criminosas que circulam na área.

A ACN está se propondo a ajudar com os custos da reforma. Você gostaria de nos ajudar?