//Sudão, no caminho da paz ou da guerra?

Sudão, no caminho da paz ou da guerra?

2009-10-22T18:03:11+00:00outubro 22nd, 2009|Notícias|

“Estamos nas mãos de Deus. Pedimos a Deus para nos salvar e para que não voltemos para as armas, pois elas não resolverão os problemas”.

Um bispo do Sudão tem advertido que o país pode estar no caminho de volta a guerra em meio aos sinais da crescente tensão para o esperado referendo sobre a separação do sul.

Em declarações à Ajuda à Igreja que Sofre, o bispo Macram Gassis de El Obeid nas montanhas de Nuba, disse que: “É preciso apenas um único tiro para explodir e vamos voltar para a selva (onde muitas pessoas viveram momentos difíceis durante a guerra-civil dos 21 anos)”.

O bispo citou relatórios que tanto o Exercito de Libertação Sudanês e os militares em Cartum estão se armando, ele disse: “Ver armas sendo acumuladas e preparativos militares sendo feitos parece um sinal de paz? Isso indica que tem algo no ar”.

Partes das montanhas de Nuba, que estavam previamente evacuadas pelo governo de Cartum, estão atualmente ocupadas pelos militares.

Ele também levantou preocupações sobre o processo pós eleições em 2010 e pós referendo em 2011, dizendo que o censo para registrar o numero de eleitores e distribuição do poder entre as regiões não foi feita corretamente: “Como você pode dizer que nós temos uma avaliação justa quando eu não tenho visto o censo ser feito? E se de fato o censo não foi realizado, nem com o profissionalismoe seriedade que esperávamos, como vamos realizar o referendo?” pergunta o bispo.

Ele descreve como o sentimento popular era pela separação: “Em Nuba as pessoas dizem: ‘Nós não temos nada a ver com o Norte, mas vai ser difícil porque o petróleo é determinante para todos'”.

O bispo Gassis disse que as pessoas do sul reclamam que o Governo da Unidade Nacional (Cartum) não está dando a parte justa do petróleo para eles. “Não vai ser fácil se o Sul quiser a separação” contou o bispo a AIS.

O bispo esta particularmente preocupado com os mais vulneráveis da sociedade: “Eu não sei como as pessoas enfrentarão uma outra guerra, e como sempre os idosos, mulheres e crianças serão os que mais vão sofrer”, disse o bispo.

Descrevendo como viveu a três ataques aéreos durante a guerra civil, o bispo disse: “É terrível estar a mercê dos aviões que voam acima de você, a única coisa a fazer e deitar-se no chão e ficar como uma panqueca, a espera da bomba e rezando para que ela não caia em você. É um desamparo total”.

“Agradecemos a Deus pelo fato que os ataques aéreos já não acontecem mais, porém volta em nossas mentes se a questão de 2011 trará uma solução pacifica para o povo do Sudão. Não sabemos qual solução será, mas continuaremos rezando. Estamos nas mãos de Deus. Pedimos a Deus para nos salvar e para que não voltemos para as armas, pois elas não resolverão os problemas”, disse o bispo.

Descrevendo a AIS como uma das principais ajudas da Igreja Católica no Sudão, o bispo Gassis agradeceu todo o auxilio que vem recebendo da Obra de caridade fundada pelo Padre Werenfried van Straaten, como a providencia de transporte para os padres visitarem vilas distantes, fornecer educação religiosa nas escolas e construir conventos e presbitérios para padres e freiras terem um lugar decente para viverem e assim poderem realizar seus ministérios.

Ele concluiu dizendo: “Por favor, transmitam a todos benfeitores a nossa gratidão. Vocês são uma parte real da nossa Igreja. Estamos caminhando juntos, lado a lado, para levar uma mensagem de paz, justiça e amor”.

Leave A Comment