//Sua avó lhe ensinou a rezar

Sua avó lhe ensinou a rezar

2012-11-12T16:24:05+00:00novembro 12th, 2012|Notícias|

Pela sua biografia, nada indicava que David haveria de seguir um dia o caminho para o sacerdócio. Seu pai não é cristão, sua mãe é batizada, mas não tem fé. Hoje, o azerbaijano de 29 anos é seminarista em São Petersburgo.

Apenas 400 católicos vivem no Azerbaijão. Na maioria são estrangeiros. Só uma fração é nativa desse país majoritariamente muçulmano. “Um deles sou eu”, diz David com orgulho. O pai-nosso ele já conhecia desde criança. Foi sua avó que o ensinou, quando ele ainda era pequeno. “Ela era uma mulher de muita fé”, conta ele. Só ela falava com ele sobre Deus. Naquele tempo o que ele mais gostava era de ler na sua Bíblia da Criança. Só foi conhecer uma igreja católica muitos anos depois, quando, mais de uma década após a queda da União Soviética, foi construído o primeiro templo católico em Baku. Quando ele pediu para ser batizado como católico, em 2003, seus pais ficaram horrorizados. “Eles reagiram de modo muito negativo, literalmente agressivo”, diz ele. Também seus amigos acolheram com frieza essa decisão. Até hoje sua caminhada sofre empecilhos.

Já antes do seu batismo ele se interessa pela vida de monges e de padres. Devora livros e mais livros sobre esse assunto e questiona os padres salesianos na sua paróquia com uma insistência de dar nos nervos. Mas não consegue descobrir exatamente como e por que alguém é chamado. Hoje ele sabe: “Para isso nem existe uma resposta concreta. Um dia você simplesmente descobre que Deus o chama.”

Ele mesmo acaba reconhecendo o chamado de Deus durante uma viagem à Bélgica. Sentado no ônibus público, de repente ele vê uma imensa estátua de Nossa Senhora com o Menino Jesus nos braços. Ele fica tocado e não entende o que lhe acontece: na parada seguinte desce do ônibus, sem saber sequer onde está. Ele vai em direção à estátua e dá no pátio de um mosteiro muito grande, antigo. Bate em todas as portas, mas elas estão fechadas. Só encontra uma pequena porta aberta. E por ali ele entra. A portinha leva a uma antiga capela. Diante do sacrário a lamparina está acesa. David se ajoelha e reza de maneira tão leve e íntima como nunca antes. Lágrimas correm pelo seu rosto. Quando ele deixa a capela após longa oração, encontra-se com um homem idoso numa batina de monge. Conta-lhe toda essa experiência vivida. “Nesse mosteiro de 700 anos eu descobri que Deus me chamou a deixar tudo e a consagrar a Ele toda a minha vida.”

Hoje ele se prepara para a ordenação sacerdotal no seminário de São Petersburgo. Em 1918 o seminário foi desapropriado pelo regime comunista. Muitos dos padres acabaram sendo presos, e alguns foram para o exterior. Somente em 1995 o seminário católico foi finalmente reaberto em São Petersburgo.

Da mesma forma como David, também Igor, Denis, Ivan, Orentas, Daniil e outros sentiram o chamado de Deus. Cada um tem sua própria história de vida. Cada um vem de alguma outra parte da antiga União Soviética. O que os congregou foi a consciência de terem sido chamados ao sacerdócio. Para explicar, não dá. Mas isso pode ser experimentado no seminário “Maria, Rainha dos Apóstolos”, em São Petersburgo.

One Comment

  1. João Carlos Alves 19 de novembro de 2012 at 20:48 - Reply

    Que Deus ilumine ainda mais o caminho dele.

Leave A Comment