//Refugiados sírios: Cardeal afirma que viagem do Papa ao Oriente Médio traz esperança

Refugiados sírios: Cardeal afirma que viagem do Papa ao Oriente Médio traz esperança

2014-05-23T12:10:26+00:00maio 23rd, 2014|Notícias|

Às vésperas da viagem do Papa Francisco ao Oriente Médio, o Presidente da Cáritas Internacional, Dom Óscar Rodríguez Maradiaga, afirma que espera uma maior atenção internacional às crises dos refugiados na Síria.

“As mensagens do Papa sobre esse assunto são muito claras e vão ao ponto, sem rodeios. A atenção da mídia à viagem irá despertar a consciência internacional sobre esta situação”, afirma o Arcebispo de Tegucigalpa, Honduras, em entrevista à Associação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS). Dom Maradiaga falou à AIS durante conferência dos dirigentes da Cáritas, ocorrida em Amán (Jordânia). Por este motivo se reuniu também com famílias de refugiados sírios, justamente as que irão recepcionar Papa Francisco, neste sábado, dia 24 de maio, durante sua visita ao lugar onde Jesus foi Batizado.

“Normalmente realizamos nossas reuniões em Roma. Ao mudarmos para a Jordânia, estamos apoiando os refugiados sírios, que tanto sofrem. Há mais de três anos em guerra, o mundo não pode mais ficar indiferente”, afirma o Cardeal. “Se faz muito pouco para solucionar as crises humanitárias na Síria. Queremos chamar novamente a atenção sobre esse país. Normalmente, a comunidade internacional reage muito positivamente quando uma crise começa. Porém, em pouco tempo, ocorre uma espécie de cansaço. Entretanto, uma crise destas dimensões não se soluciona em alguns meses”, enfatiza.

Dom Maradiaga ainda agradeceu aos colaboradores da AIS pela poio aos refugiados sírios. “Peço a todos os benfeitores da Ajuda à Igreja que Sofre para não hesitarem em sua generosidade. Qualquer valor, mesmo que muito pequeno, ajuda muitos os que sofrem”. E ressaltou que o compromisso humanitário da Igreja Católica contribui para a melhoria nas relações entre muçulmanos e cristãos no Oriente Médio. “Existe a vontade de colaborar e, assim, a hostilidade e a oposição estão diminuindo.”

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!