//Posição da AIS sobre os ataques à Igreja Católica

Posição da AIS sobre os ataques à Igreja Católica

2010-05-10T19:30:49+00:00abril 20th, 2010|Notícias|

Há meses o mundo está sendo abalado por relatos de casos de abusos sexuais, inclusive na Igreja Católica. A situação é muito séria. Os ataques ao Papa e à Igreja saíram totalmente de controle. Com este artigo especial a AIS se posiciona sobre esse assunto.

Há meses o mundo está sendo abalado por relatos de casos de abusos sexuais, inclusive na Igreja Católica. São atingidas crianças, a respeito das quais Cristo diz: “Quem provocar a queda de um só destes pequenos que crêem em mim, melhor seria que lhe amarrassem ao pescoço uma pedra de moinho e o lançassem no fundo do mar” (Mt 18,6). A situação é muito séria. Os ataques ao Papa e à Igreja saíram totalmente de controle. Com este artigo especial a AIS se posiciona sobre esse assunto.

A cusparada atingiu o jovem padre de cheio no rosto. Transbordando ódio, o turista desconhecido lhe gritou: “Pedófilo asqueroso!”. Silêncio. Os outros visitantes da Acrópole de Atenas olham distraidamente para a perfeita fileira de colunas de mármore. Ninguém faz nada, enquanto o jovem padre, cabisbaixo, limpa o rosto. Por esses dias se escutam muitas histórias desse tipo. Ao descer de um trem, um padre que há quarenta anos serve abnegadamente o Evangelho é alvo das mesmas palavras de insulto. Uma casa de religiosas recebe telefonemas anônimos ofensivos…

Uma histeria coletiva se espalha, insuflada pelos poderosos da Televisão e pelos intocáveis papas de um jornalismo pseudointelectual. É lógico que algumas reações espontâneas sejam compreensíveis. De consequência, um sofrimento incrível. A vergonha se manifesta. Os abusos, o silêncio culposo, os erros estúpidos, o covarde desvio de atenção – tudo isso são fatos reais e muito graves. Jesus Cristo terá de lavar o rosto de sua Igreja. Todos nós teremos de redescobrir a audácia de Deus ao confiar a homens tão fracos um dom tão grande como é o sacerdócio.

Essa hora triste exige que todos nós saibamos redescobrir o valor da reparação solidária e façamos penitência por aqueles 0,1 por cento de padres que comprovadamente cometeram esses crimes tão deploráveis. Mas também deveríamos agradecer de joelhos por todos aqueles que mantêm com fidelidade sua consagração e missão. Eles são mais de 400.000 espalhados pelo mundo todo.

A indústria superficial do entretenimento, a frivolidade tornada sistemática que domina praticamente todo o público, criaram um ambiente geral de ingenuidade simplista, de superficialidade e de escasso senso crítico e reflexão. Existe uma multidão amorfa só à espera da nova manchete sobre namoricos e brigas de políticos, de atores ou de cantores da moda. Vazio espiritual. Nesse vácuo se empurra uma imagem estereotipada do sacerdote; cospe-se no seu celibato; sua doação a Deus é entregue ao escárnio. Os resultados de pesquisas muito sérias são ignorados ou distorcidos. Ninguém dá atenção para os especialistas quando comprovam que não existe nenhuma relação entre o celibato dos padres católicos e a tremenda profanação representada por qualquer abuso quando cometido por ministros consagrados.

Basta! É imoral continuar torcendo os fatos dessa forma. Estamos saturados dessa farsa, desse duplo abuso: um problema que é inegável está sendo usado para solapar com más intenções a legítima autoridade moral da Igreja, dessa Igreja de Pedro e de Paulo, dessa Igreja de João Paulo II e de Bento XVI.

Nós vivemos num mundo pelo avesso. Num arranha-céu em Nova York, um jornal dita à sociedade o que ela deve pensar e em que deve acreditar. Ele põe em circulação afirmações sem fundamento. Depois, não aceita as contestações baseadas em fatos contundentes e em investigações sérias dos mais renomados especialistas. A campanha pré-fabricada a sangue frio tem de continuar. Não é a verdade o que importa. O que vale é a tenebrosa intenção de silenciar a voz da Igreja Católica, que se faz escutar no mundo inteiro. Porque a Igreja é uma das poucas instituições que se atrevem a enfrentar a ditadura do relativismo do nosso tempo. Isso a torna incômoda. É por isso que querem eliminá-la.

Nessa situação, ninguém tem o direito de desviar o olhar, como fizeram aqueles turistas da Acrópole. Todos são chamados a serem ativos. A resposta começa no coração e na consciência de cada um. Penitência e oração são as primeiras coisas. Também é importante conversar à mesa no círculo familiar, esclarecer as idéias entre os colegas de trabalho ou de escola. É questão de seriedade na fé.

Trinta e dois anos atrás tive a ocasião de conhecer pessoalmente Bento XVI – um dom de Deus. Há pouco tempo me encontrei novamente com ele para uma conversa intensa de meia hora sobre questões da Nova Evangelização. O Papa analisava as situações com clareza total. Sempre chegava ao âmago das coisas. A cada momento ele irradiava benevolência e alegria. Esse sacerdote extraordinário, talvez a pessoa mais culta do nosso tempo, sempre aderiu com fidelidade inquebrantável à doutrina de Cristo e à sua aplicação coerente na vida real. Sem medo. Pelo contrário. Com razão o arcebispo de Viena, o Cardeal Christoph Schönborn, e o arcebispo Nichols de Westminster na Inglaterra, chamaram a atenção justamente nesses dias para esse fato, que pode ser facilmente comprovado inclusive pela mídia: já há muitos anos Joseph Ratzinger foi aquele que mais trabalhou para extirpar o câncer criminoso do abuso sexual. É ele que nos ensina que não se defende a boa fama da Igreja acobertando piedosamente os fatos, ou brandindo uma retórica feita de meias verdades. Só a plena verdade nos possibilitará sair dessa noite da vergonha para a luz do sol de um novo começo.

Na sua recente “Carta aos católicos da Irlanda”, Bento XVI nos propôs toda uma série de providências imediatas muito precisas. Todos deveríamos aprender com essa crise.

A primeira medida: a preocupação com as vítimas, com o máximo respeito e delicada eficiência. Trata-se de reparar o máximo possível os danos e aliviar as profundas chagas abertas. Depois: orientar a seleção das vocações ao sacerdócio por critérios ainda mais rigorosos, para excluir esses casos o máximo possível. (Isso implica também a colaboração de profissionais apropriados. E para isso a Ajuda à Igreja que Sofre gostaria também de oferecer ajuda aos Bispos). Nesse contexto é necessário continuar desenvolvendo uma pedagogia especial na questão da afetividade dos futuros sacerdotes. Também os padres que já atuam na pastoral devem ser acompanhados de maneira mais intensa para que possam irradiar uma santidade ainda maior em sua vida e para que, crescendo ainda mais a sua paternidade na fé, possam doar um afeto sólido e maduro.

Um psiquiatra de renome internacional, Manfred Lütz, vê a sociedade diante de um transbordamento emocional, numa espécie de crise de puberdade da cultura pós-moderna. Não poucas das acusações infundadas seriam ataques irracionais, como de adolescentes, contra a Igreja. Elas seriam desfechadas porque a Igreja é uma instituição grande, que defende princípios não negociáveis. No fundo, diz Lütz, pretende-se destruir a imagem do pai na sociedade. Por isso se rejeita o Papa e se ataca injustamente a autoridade moral dos padres. E nós poderíamos acrescentar: em última análise trata-se de um ataque à mensagem central do Evangelho proclamado por Jesus: Deus é o “Pai nosso”, cheio de justiça e de compaixão.

Antes de crucificarem Cristo, eles bateram e cuspiram nele. Após a Sexta-feira Santa veio a Páscoa. Mas o rosto de Jesus continua chorando na sua Igreja. A Ajuda à Igreja que Sofre permanecerá sempre como um instrumento a serviço do Bispo de Roma, para proteger os cristãos perseguidos e para auxiliar os anunciadores do Evangelho. Nesse momento histórico o ponto mais nevrálgico da Igreja é o futuro do sacerdócio… Talvez o sacerdote que hoje está mais em necessidade se chame Bento XVI. Não o deixemos sozinho. E vocês, não nos deixem sozinhos quando procuramos juntos ajudar o Papa. Sejam muito generosos. Obrigado.

30 Comments

  1. Edson Andrade Libarino 20 de abril de 2010 at 20:03 - Reply

    acho muito triste, mais a igreja de Cristo sobreviverá.Póis o Cristo que nós cremos não é pedofilíco. rezaremos por todos eles.

  2. Maria 21 de abril de 2010 at 00:42 - Reply

    ÓTIMO ARTIGO!

    Acredito que nunca se viu uma perseguição tão grande. Os erros medonhos dos filhos da Igreja abriram um chaga enorme. E a mídia usa destes casos para massacrar a Igreja de Cristo e o sacerdócio instituído por Ele.

    Infelizmente não é colocado na mídia o trabalho sacrificado dos mais de 400 mil padres fiéis ao sacramento da Ordem. Mostram os erros dando a entender que é tudo uma bagunça, que é tudo fora de controle. NÃO! BASTA!

    HÁ SACERDOTES SÉRIOS. A ORDEM ESTÁ SENDO MANCHADA PELO COMPORTAMENTO DE UMA MINORIA QUE A MÍDIA EXPÕE COMO MAIORIA. AS PESSOAS SE DEIXAM CONTROLAR POR UMA MÍDIA PODRE QUE, DE FATO, NÃO FALA TODA A VERDADE.

    AO DIZER ISSO NÃO NEGO OS CASOS HORRÍVES E NOJENTOS ENVOLVENDO HOMENS QUE USAM DO SACRAMENTO DA ORDEM PARA MASCARAR SUA IDENTIDADE PEDÓFILA. ELES TEM SIM DE SER PUNIDOS E O SÃO!

    O QUE QUERO DEIXAR REGISTRADO E É O QUE O MUNDO DEVERIA ENTENDER É QUE NÃO É O PADRE QUE É PEDÓFILO. É O PEDÓFILO QUE FOI ORDENADO PADRE!

    SER CELIBATÁRIO, SER PADRE NADA TEM A VER COM PEDOFILIA. MUITOS USAM DESTE SACRAMENTO PARA ESCONDER SUA VERDADEIRA FACE. ISSO NÃO É DITO NA MÍDIA. É DITO QUE OS “COITADOS” SÃO ASSIM POR CULPA DA IGREJA. ABSURDO! A IGREJA É SANTA E PECADORA E SOFRE COM SEUS FILHOS DESOBEDIENTES.

    NESTE MOMENTO TÃO DIFÍCIL LEMBREMOS O QUE CRISTO DISSE A PEDRO: TU ÉS PEDRO, E SOBRE ESTA PEDRA EDIFICAREI A MINHA IGREJA; AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA.”(Mt 16,18)

    NÃO DEIXEMOS PEDRO SOZINHO!

    EM NOME DO VIGÁRIO DE CRISTO E PELOS MAIS DE 400 MIL PADRES FIÉIS REZEMOS E AJUDEMOS A CARREGAR ESSA PESADA CRUZ!

    AJUDEM A IGREJA QUE SOFRE MUITO POR CONTA DOS PECADOS DE SEUS FILHOS INFIÉIS.

    AS TREVAS NUNCA PREVALECERÃO CONTRA A IGREJA DE CRISTO. NUNCA!

  3. ROSANA APARECIDA PETROVICH 21 de abril de 2010 at 16:22 - Reply

    Vejo todo esse acontecimento, essa perceguição a Igreja com muita tristeza.Mas acredito no CRISTO vivo esse que venceu a morte e ,por obediencia ao Pai saiu vitorioso.E a nós que acreditamos e fazemos a experiencia de anunciar esse CRISTO vivo de rezarmos a todo momento para que BENTO 16 seja firme e tenha o mesmo amor e a misericordia que JESUS teve.Fiquem na paz de CRISTO.

  4. Geraldo 22 de abril de 2010 at 11:54 - Reply

    Como sócio contribuinte há vários anos, quero solidar-me com essa oportuna posição da nossa AIS. Jesus está na barca, só aparentemente dormindo. Ele vai levantar-se e os ventos e as tempestades cessarão. “Eis que estou convosco até os fins dos tempos”. “As portas do inferno não conseguirão vencê-la”. Fiquemos tranquilos, rezemos muito. Neste ano sacerdotal, em que o mundo todo intercede pelos sacerdotes, o inferno escancara essa tremenda campanha contra o sacerdócio…focalizando o que de mais triste existe nessa instituição santa, formada por seres humanoss e falíveis. Lamentável que tenha havido esses comprovados escândalos, que não são exclusivos de alguns infelizes padres. Que não mais se repitam. Que se tomem providências corajosas, desde os primeiros anos de formação. E preferível que haja menos sacerdotes. mas que sejam fiéis, zelosos, santos, como o Cura D´Ars, João Bosco, Cotolengo, Padre Pio… Abraços e orações.

  5. Luiz Roberto Turatti 22 de abril de 2010 at 11:59 - Reply

    A Igreja no fundo sempre foi a pedra no sapato dos governantes contrários aos seus racionais ensinamentos, por isso toda essa perseguição. Mas adianto que Bento XVI não está sendo o primeiro nem tampouco será o último a sofrer em mãos humanas. “Tu és pedra e sobre ti edificarei a minha Igreja”.

  6. Marcus Matos 22 de abril de 2010 at 18:32 - Reply

    Obrigado, presisava ler estas palavras pois nos jornais certamente não as encontraremos.

  7. josé carlos da Luz 23 de abril de 2010 at 01:42 - Reply

    Vamos rezar pela Santa Igreja,pelo Papa,pelos Padres,pelos bispos e pelo muindo todo.O povo fiél católico será a força da Igreja.

  8. João Carlos 23 de abril de 2010 at 12:58 - Reply

    Há maus religiosos, maus militares, maus juízes, maus protestantes, péssimos pais etc. O que não se pode ou se deve é colocar todos no mesmo balaio. Todos nós sabemos a quem interessa esses ataques furiosos contra a Igreja Católica e o Papa. Desmoralizada a última cidadela moral que ainda resta no mundo, a degradação social se estabelecerá. Podem continuar tentando: VOCÊS NÃO CONSEGUIRÃO.

  9. Rogerio Roslindo Andrade 23 de abril de 2010 at 16:54 - Reply

    Irmaos da AIS,

    Essa subita propaganda que foi lancada contra a Igreja mostra mais uma tentativa desesperada de desestabilizar a Santa Igreja, pois e a unica que tem coragem de vir a publico e defender causas que agradam a Deus e nao aos homens, num mundo onde a crise de valores faz a familia cada vez mais perder sua essencia promovamos a defesa ao Santo Padre Bento XVI que luta sozinho contra a poderosa midia que e tendenciosa.

    EM JESUS E MARIA.

    Rogerio

  10. Neurivaldo, católico com orgulho 23 de abril de 2010 at 19:41 - Reply

    Nada justifica os fatos pedófilos que ocorreram, e concordo com todos os comentários já apresentados.
    Falar que Fulano é pedófilo, vai ficar apenas nas manchestes dos jornais de bairro ou de pequenas cidades. Mas quando falam “o Padre” aí toda a mídia se interessa pelo assunto. Pior, nos apresentam apenas a versão que será mais lucrativa, o foco esta sempre no lucro, ou seja, no dinheiro. “Não se pode servir a Deus e ao dinheiro”, ora! se não estão servindo a Deus, quem será o senhor dessa mídia tendenciosa?
    Dessa mídia que destaca as acusações de maneira GIGANTESCA e quando a Santa Igreja ou nosso Santo Papa vem se pronunciar, não há o devido destaque, ou fica condicionado e escondido numa série de escandelos propositadamente colocados.
    Niguém aceita o que aconteceu, nem podemos, mas é um absurdo a forma como as coisas são colocadas.
    Meus irmãos, que nossa corrente de oração fortaleza nossa Santa Madre Igreja, Católica e Apostólica, em nossa história sempres fomos perseguidos, mas já se passaram mais de 2000anos e continuamos amando nossa Igreja. Amando, luvando e glorificando Nosso Deus Pai, Nosso Salvado e Senhor Jesus, sempre e com a graça do Espirito Santo, que acha sobre nós e pemaneça em nós para sempre. No final tenho certeza do fortalecimento de nossa fé. Amém.

  11. Albina Alice Canalli Fiuza 23 de abril de 2010 at 23:19 - Reply

    Meus irmãos e irmãs em Cristo,
    Porque espalharmos tanto ódio contra o Sto Padre o Papa Bento xv1 e a Igreja Católica?
    Que tal nós dobrarmos nossos joelhos e pedirmos à Deus pela conversão dos que erram, não só dentro da Igreja Católica, mas do mundo inteiro. Vejam irmãos, o mundo já tem tanto ódio que nós não precisamos inflamar mais ainda.
    Vossa irmã em Cristo que cre e espera um mundo com mais amor e menos ódio.
    Pensamos nisso…
    Albina.

  12. Evander Junio 24 de abril de 2010 at 13:16 - Reply

    Há maus religiosos, maus militares, maus juízes, maus protestantes, péssimos pais etc. O que não se pode ou se deve é colocar todos no mesmo balaio. Todos nós sabemos a quem interessa esses ataques furiosos contra a Igreja Católica e o Papa. Desmoralizada a última cidadela moral que ainda resta no mundo, a degradação social se estabelecerá. Podem continuar tentando: VOCÊS NÃO CONSEGUIRÃO e so uma fase que logo passara

  13. Evander Junio Chagas dos Santos 24 de abril de 2010 at 13:51 - Reply

    Há uma máxima de Jesus que é a de não julgar para não ser julgado, e a de ser medido com a mesma medida que se mede aos outros. Sei muito bem que Deus não julga nem condena a ninguém, mas perdoa e ama a todos. Porém o mundo que aí está não perdoa a ninguém, depois de julgar e condenar estreita e parcialmente… O Papa, Padre, Religioso… que não seja que nem anjo (assexuado) é logo julgado e condenado, transformado num bode expiatório de projeções e frustrações alheias. Nega-se-lhe ao padre ou ao religioso o direito de ser, que nem todo o mundo, pequeno, limitado, pecador. Isto é, apenas, ser gente…
    Quem fala desde fora da igreja, sem uma perspectiva de graça ou de gratuidade, de fé e de amor, e não tem como ponto de partidao Evangelho de Jesus, e como ponto de chegada a evangelização do mundo numa vida de doação por amor, pouco poderá dizer que se aproveite sobre o celibato sacerdotal ou religioso, porque a perspectiva é outra…
    Se por outro lado, ainda, a gente olhasse e analizasse outros coletivos, do mesmo jeito que se faz com os padres e o santo padre o Papa Bento XVI, Por exemplo: os médicos. Pelo fato de serem médicos não teriam o ‘direito’ de adoecer. Ou os psicólogos. Pelo fato de serem psicólogos, não teriam o ‘direito’ de terem ‘problemas emocionais”. E assim por diante.
    Oremos Pelo Santo Padre o Papa Bento, Pelos Nossos Bispo e Padre, e pelos Pecados de todos os padres… Por que Deus ama e perdoa

  14. Luiz Silva 25 de abril de 2010 at 18:12 - Reply

    Prezados

    É hora de reflexão

    Todo o Evangelho de Jesus precisa chegar a todos os homens de boa vontade

    Não devemos julgar eventuais erros!!!!!!!!!!!!!!!!

    Rezemos qe que o Amor possa estar no coração de quem decide os novos rumos da Igreja, em particular o clero

    Luiz Silva

  15. Evander Junio Chagas dos Santos 25 de abril de 2010 at 21:56 - Reply

    “A Igreja está ferida com os sacerdotes que fraquejaram. A pedofilia é horrenda, abominável, um desafio para toda a sociedade. Dos 100% de casos registrados na sociedade, apenas 0,9% atinge a Igreja. O restante está na escola, nas famílias”, “tolerância zero” para com os infratores. “A Igreja se posiciona buscando reparações e tentando limpar seus quadros, para que seus sacerdotes sejam dignos da missão a eles conferida.
    o sacerdócio é uma honra, um dom de Deus, uma missão. Que o mundo precisa do reino sacerdotal de servidores para reaprender os caminhos de amor, de justiça e paz.
    O pecado de alguns não ofusca a abnegação e a fidelidade de que a imensa maioria dos sacerdotes e religiosos dá prova quotidiana e que as nossas comunidades testemunham e reconhecem. Amemos muito a nossa Mãe, a Igreja, santa, mas também pecadora, e rezemos por todas as vítimas inocentes, porventura irremediavelmente marcadas para toda a vida; amemos a Mãe Igreja e rezemos e sacrifiquemo-nos por todos os culpados que por vocação deveriam apresentá-la pura e imaculada, e com o seu torpe comportamento a conspurcam. Amemos a Santa Igreja e rezemos por aqueles que com falsidades a insidiam, infamando-a e caluniando-a, na pessoa dos que, por vocação, ministerialmente a servem, com o exclusivo objetivo de desacreditá-la.Embora os acusados sejam raras excepções que não desfazem a dignidade do sacerdócio, todos carregamos com o pecado da Igreja e da sociedade, como Cristo carrega com os pecados do mundo
    Rezemos Pelo Nosso Chefe Visível da Igreja. O Santo Padre, Rezemos Pelos Padres Fieis e Infiéis no seu ministério e Rezemos Pelas Santas Vocações Que são os Frutos Futuros da Santa Mãe Igreja.

  16. Neurivaldo, que o perdão e a sabedoria brotem em nés 26 de abril de 2010 at 15:27 - Reply

    Mais uma vez o Corpo de Jesus foi ferido, machucado, cusparado, humilhado pelos pecados da humanidade e agora suas chagas brotaram na Igreja. Talvez essa crucifixação exacerbada para com a nossa Igreja Católica, tenha seu lado bom. Assim como Jesus se entregou na cruz por nós para o perdão de nossos pecados, é a hora de Sua Igreja se “entregar” pelos acontecimentos sexuais que se apresentaram. Essa entrega é para que repensemos sobre esses insistentes apelos sexuais que aparecem na mídia, dando-nos a entender que tudo se justifica para se atingir o prazer em suas diferentes formas. Basta! para essa forma de amor inconsequente, onde chegam ao cúmulo de defenderem o aborto por exemplo. Devemos é divulgar o amor da Vida em Cristo, a serviço de Deus Pai, e em comunhão de amor com nossos irmãos. Jesus se doou por amor, que nossa Igreja também se doe por amor, buscando métodos, para apresentarmos a sociedade, ou seja, maneiras para nos vacinarmos contra esses males, embora o remédio já saibamos “JESUS”. Quero tb agradecer ao nosso irmão Evander por seus comentários, embora não o conheça, na fé, me senti muito próximo dele, parabéns, amém. No momento, fecho pedindo muita oração, e que Deus pela ação do Espirito Santo ilumine nosso clero, que nossa Senhora interceda mais uma vez por nós e pela Santa Igreja na figura do Papa Bento XVI. Amém. Que Deus esteja conosco e tenho certeza que Ele está no meio de nós.

  17. Nelson Magalhães da Costa Filho 29 de abril de 2010 at 23:13 - Reply

    Chegou o momento histórico da Igreja Católica Romana, como instituição eclesiástica, fazer-se respeitar e limpar a mancha interna tanto da pedofilia que sempre existiu há tempos como também fora dela; do homossexualismo que sempre existiu há tempos de modo enrustido ou velado como também fora dela; do seu cesaropapismo monárquico, intolerante, que a atrapalha dum verdadeiro e sadio ecumenismo com outras igrejas cristãs e religiões, e de seu conservadorismo dogmático em que se intitula o único caminho de salvação.
    Que a Igreja Romana, que tem pedido oficialmente perdão post- mortem a Galileu Galilei, possa também pedir humildemente a Leonardo Boff, Hans Kung e demais outros por sua intolerância e a tantos que ainda sofrem por sua intransigência.
    Que a Instituição Cristã Eclesiástica Romana tenha a coragem e dignidade em reconhecer seus vários erros milenares e atuais, para que resgate em ser plenamente vista como séria, respeitável para o bem da Igreja de Cristo.
    Esse sim, é o meu mais sincero desejo para a paz do povo de Deus e de toda a humanidade, sendo sim, assim então uma Verdadeira Igreja.

  18. Dom Rogerio Sidaoui 1 de maio de 2010 at 14:15 - Reply

    Como historiador reconheço que os crimes imputados à Igreja foram avolumados em muito pela concorrência desleal, pelos movimentos burgueses, vitoriosos na Idade Moderna e Contemporânea, e , principalmente pela Reforma Religiosa.
    Porém, sabemos que existe desde tempos remotos a pedofilia, o homossexualismo e a práxis da igreja Romana de se impor pela força de seu poder sobre minorias pensantes.
    Quero neste momento convidar a Igreja, e a sociedade que formam o corpo uno e indiviso dos cristãos a uma reflexão sem denominações para a punição e extirpação de atos criminosos que maculem o cristianismo.
    Se desejamos manter o cristianismo como Verdade que Salva, devemos nos unir e buscar uma solução interdenominacional para a questão em pauta.
    Dom Rogerio Sidaoui
    Petite Eglise Apostolique Vieille Catholique

  19. Marlene T. de Castro 1 de maio de 2010 at 20:28 - Reply

    As pessoas deveriam mostrar tudo o que de bem a igreja católica faz pelo mundo, sem fins lucrativos para ajudar o próximo. São tantas instituições católicas ajudando pelo mundo a fora, mas isso não interessa as grandes redes de tv divulgar, por que a eles interessa sujar a igreja. O que nós católicos devemos fazer é dobrar os nossos joelhos e rezar muito pelo papa e por todos os sacerdotes, até mesmo por aqueles que foram fracos e sederam as tentações do demônio. E nós católicos não devemos deixar abalar a nossa fé.

  20. Luciana 4 de maio de 2010 at 14:28 - Reply

    Muita coisa está sendo revelada sobre o domínio do mal sobre as pessoas e a imprensa é uma grande responsável por tudo de ruim que nos tornamos, porque se esforçou em nos ensinar a sermos maus. Estamos em pleno domínio do AntiCristo, todas as profecias estão se cumprindo, principalmente o Sermão Profético de Cristo. Esse tipo de escândalo é para nos distrair da realidade, para nos tornarmos violentos, porque enquanto xingamos com injustiça os padres, eles estão planejando fazer algo com os Campos de Concetração do FEMA nos EUA e nenhum jornal fala nisso. Agora é o momento de milhares de pessoas irem à igreja e não se afastarem dela (as pessoas precisam ser salvas). Que jeito uma pessoa será salva cuspindo em padres santos ou os tornando mártires? Rezem sim para que as pessoas não façam nada que comprometa o seu futuro. Fiquem com Deus

  21. Emílio Carlos 4 de maio de 2010 at 17:46 - Reply

    O diabo usa três meios para tirar o católico da Igreja: a mídia, a cultura e as escolas.
    Juntos esses três meios inventam mentiras sobre a Igreja, distorcem a verdade, tentam acabar com a moral e os bons costumes.
    É difícil ser pai hoje, porque você educa e evangeliza – vem a mídia, a cultura e as escolas e deseducam e desevangelizam.
    Fazendo uma conta no Brasil o número de casos teoricamente comprovados dá menos de 0,1%. É coisa de 0,02%. Mas eu não vi a comprovação desses casos. A mídia disse que estão comprovados. Logo pode ser mais uma entre tantas mentiras…
    Eu confio no Papa e na Igreja – e desconfio dos jornais, dos artitas imorais e dos professores que decidem criticar nossa Igreja (quando nem é matéria deles…).
    Creio em Cristo e na verdadeira Igreja que Ele nos deixou. Tenho certeza que estamos na Igreja certa, a Igreja da verdade, a Igreja de Deus. (E é fácil ver isso: é só na nossa Igreja que a mídia do mal bate).

  22. Alexandre Marcos Rodrigues 9 de maio de 2010 at 02:38 - Reply

    Paz e Bem a todos os cristãos do nosso pequeno planeta.
    Eu Alexandre venho lembrar-lhes que a cada padre que caem em
    batalha (aqui a queda pela pedofilia), 12 pastores de muitas
    outras denominaçoes caem.
    Lembrando bem para cada 1 (padre) – 12 PASTORES CAEM EM DESGRAÇA.
    Infelizmente isto não é divulgado pela mídiocracia…
    Mas não tem problema JESUS É VITORIOSO. SALVE Maria Imaculada.

  23. elizabeth tomie nascimento 16 de maio de 2010 at 01:27 - Reply

    PAZ E BEM. TODOS NÓS SOMOS FILHOS DE DEUS, ATÉ MESMO O PECADOR,ATIREM A PRIMEIRA PEDRA QUEM NÃO TIVER PECADO..JESUS AMA MUITO O PECADOR,..ELE LARGA AS 99 OVELHAS PARA RESGATAR O QUE ESTÁ PERDIDO..OS BONS NÃO PRECISA DE MÉDICO,SÓ OS DOENTES,..AMAR A DEUS É SABER PERDOAR..O QUE PODEMOS FAZER É REZAR POR TODOS OS CRISTÃOS E DEIXE O IMPOSSIVEL PARA DEUS(O JULGAMENTO PERTENCE A DEUS).ESTAMOS ORANDO PELA PAPA NO CERCO DE JERICÓ.

  24. Rogério 16 de maio de 2010 at 06:49 - Reply

    Pelo amor de Deus!!!!!!!!!Vamos deixar de ser hipócritas e tentar abafar oque é real e verdadeiro. Uma coisa é não julgar, ou atirar a primeira pedra quem nunca pecou; a outra é querer inverter, culpando crianças inocentes por atos pecaminosos, vamos abrir as nossas mentes e corações, para q o Espirito Santo de Deus possa nos mostrar o verdadeiro caminho q é Jesus.

  25. joao brito 19 de maio de 2010 at 18:05 - Reply

    O que necesario é rezar ao espirito santo, e se for pocivel fazer penitencia, não criticar,procurar ser mais cristão emais honilde so asim nós enemiza esta diganos de perseguiçao.

  26. elizabeth tomie nascimento 20 de maio de 2010 at 02:33 - Reply

    PAZ E BEM…A MÍDIA É UMA ARMA PODEROSA TANTO PARA O BEM COMO PARA O MAL..MAIS P/O MAL DOQ P/O BEM..A IGREJA CATÓLICA ,POR MUITOS ANOS TENTARAM DERRUBA-LA..AINDA É PERSEGUIDA…MAS, ELA TEM DEUS,ELA AMA DEUS,ELA ADORA DEUS..JAMAIS ELA CAIRA..SERÁ QUE O JOIO ESTA SENDO SEPARADO DO TRIGO.???? O PAPA É SÁBIO..ELE TEM A SABEDORIA DE DEUS..”QUE DEUS ABENÇÕE O PAPA..”

  27. Maria de Lourdes Freitas Felipe Pitombeira 26 de maio de 2010 at 21:15 - Reply

    Caem muito mais pastores de outras religiões que padres.
    Que a Luz do Espírito Santo nos dê sabedoria para acabarmos com essa perseguição à Igreja Católica.

  28. José Francisco Gomes 30 de maio de 2010 at 23:01 - Reply

    Por mim, continuo convicto que a grande maioria das acusações de pedofilia devem-se ao desejo de familiares dos “abusados” arrancarem dinheiro da Igraja Católica. Nos Estados Unidos isso virou uma indústria sem chaminés. Cada um querendo ganhar alguns milhares de dólares. Muito semekhante à indústria das indenizações que as esquerdas brasileiras vêm movendo contra o Estado. Se êles entraram numa guerra, para implantar uma ditadura comunista no Brasil, por que se acham no direito de receber indenizações PORQUE foram derrotados? É cretinice demais! É uma hipocrisdia semelhante à dos casos de pedofilia. Alguns casos acontecxeram. Mas, não os MILHARES ou os MILHõES que pretendem insinuar com a ajuda de uma imprensa dominada pelos comunistas.

  29. elizabeth tomie nascimento 30 de junho de 2010 at 23:43 - Reply

    PAZ E BEM .SE forem nas boates,nas bocas de fumo,nas casas de prostituição,enfim,onde ronda a perdição,NÃO ENCONTRARÃO OS DEMONIOS.. PORQUE JÁ PERTENCEM A ELES..,ELES(os demonios)ficam nas portas das IGREJAS..SEJAM MISERICORDIOSOS com as pessoas,NÃO JULGUE ,OREM PELOS NOSSOS PADRES..SÓ ‘DEUS’PODE NOS JULGAR…

  30. José Mozart Cirne Diniz 9 de março de 2011 at 12:55 - Reply

    Sou grato as pessoas que me antecedeu, pois eu precisava ler as palavras que foram escritas, certamente nos jornais nós não as encontraremos.
    A máxima de Jesus é não julgar para não ser julgado, e medido com a mesma medida que se mede aos outros.
    Deus não julga nem condena a ninguém, mas perdoa e ama a todos, escreve com linhas certas e não linhas tortas como o homem fala. Porém o mundo que aí está não perdoa a ninguém… O Papa, Padre, Religioso… Julgado e condenado, transformado num bode expiatório de projeções e frustrações alheias.
    Devemos ter mais cuidado com o que mostra as TVs em nossas casas o que vem escrito nas revistas que levamos para casa! Isto sim tem verdadeiro ensinamento de pedofilia que, DEUS continuou abençoando a igreja católica e as famílias que nela encontra paz espiritual que tanto necessitamos José Mozart Cirne Diniz

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!