//China: Política do filho único conduz ao aborto forçado

China: Política do filho único conduz ao aborto forçado

2012-01-05T18:21:22+00:00junho 22nd, 2011|Notícias|

“A política chinesa do filho único provoca mais violência contra as mulheres do que qualquer outra política no mundo; mais do que qualquer outra política oficial na história mundial”.

Esta denúncia é de Reggie Littlejohn, fundadora da Women’s Rights Without Frontiers – uma organização internacional contra o aborto forçado e a escravidão sexual na China.

Esta californiana, que na juventude trabalhou com Madre Teresa nos bairros pobres de Calcutá, começou seu ativismo político representando refugiados chineses que pediam asilo político nos Estados Unidos em 1990. “Primeiro eles foram perseguidos por serem cristãos e depois esterilizados à força”, conta. “Isso abriu dois mundos novos para mim”.

Agora, Littlejohn afirma que a política do filho único é como uma “guerra da China contra as mulheres”. Os abortos obrigatórios para as mulheres que violam a política do filho único são comuns no país e chegam a ser feitos até aos noves meses de gravidez. “Há mulheres que morrem com os bebês”.

A brutalidade do aborto forçado não é a única violação aos direitos humanos da “política de planejamento familiar”. Acontece um “genocídio” devido à preferência tradicional chinesa pelos meninos, sendo as meninas objeto de aborto, abandono e infanticídio.

Uma das consequências é a escravidão sexual: a eliminação das meninas levou a um aumento do tráfico de mulheres dos países vizinhos, já que há 37 milhões de homens a mais que as mulheres na China.

Esta política também pode ser a causa do alto índice de suicídios femininos na China, denuncia Littlejohn à agência Zenit. A Organização Mundial da Saúde informa que a China é o país com a percentagem de suicídios femininos mais alta do mundo, com aproximadamente 500 mulheres por dia a terminarem com a própria vida.

De acordo com muitas histórias filtradas fora da China, o governo também aplica uma variedade de métodos impiedosos contra os membros da família para forçá-los a obedecer à política de controle de nascimentos.

“As tácticas usadas são absolutamente aterradoras”, disse Littlejohn. As estatísticas relacionadas com a política do filho único são assombrosas. Desde que começou, em 1979, já provocou a perda de cerca de 400 milhões de vidas.

7 Comments

  1. elizabeth tomie nascimento 24 de junho de 2011 at 17:11 - Reply

    AO INVÉS DE CRITICA-LOS.., AGRADEÇO A ‘DEUS’ POR TER NASCIDO NUM PAÍS LIVRE..,ONDE POSSO DIZER QUE SOU CATÓLICA ‘GRAÇAS A DEUS’..,MAS TAMBÉM DEVEMOS USAR A NOSSA LIBERDADE E LUTAR….DIZER NÃO A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO……VOCÊ PODE GERAR UMA CRIANÇA, MAS NÃO TEM O PODER DE DAR A VIDA…..SÓ ‘DEUS’ TEM ESSE PODER…..

  2. MARIAPANOGUEIRA 24 de julho de 2011 at 21:39 - Reply

    AGRADEÇO TODOS OS DIAS PELA MINHA VIDA. SOU MÃE E AVÓ E ADORO MINHA FAMILIA E JAMAIS FARIA UM ABORTO. ACREDITO QUE O O QUE A CHINA FAZ É FALTA DE DEUS,POIS OBRIGAR AS PESSOAS A FAZEREM UM ABORTO É MESMO MUITO MAU. DIGO NÃO AO ABORTO. ACREDITO QUE PARA TUDO HÁ UMA SOLUÇÃO. TIRAR UMA VIDA É MESMO CRIME!!!!

  3. jose 11 de agosto de 2011 at 16:32 - Reply

    eu acho que isto e pior que o ritiler

  4. ALINE 23 de setembro de 2011 at 17:18 - Reply

    E HORRIVEL VIVER ASSIM EM UM PAIS CHEIO DE LIMÍTES E REGRAS.

  5. Antonio FernandesAlves 20 de fevereiro de 2013 at 08:21 - Reply

    ELES NÃO ACREDITAM NA RESSURREIÇÃO DOS MORTOS, NÃO ACREDITAM EM CRISTO,NAO ACREDITAM NO INFERNO (Mc 9,43-44).
    DEUS NOS PREPARA PARA SEU ENCONTRO, ESTEJAMOS PREPARADOS, POIS PODEMOS IR MESMO ANTES QUE ELE VOLTE. SÓ O PAI SABE O DIA E HORA DA VOLTA DE JESUS (Ez 43-44) O QUE ANUNCIAR ESTA TUDO EM http://www.abraabra43-44.com.br
    QUE DEUS NOS FAÇA MISERICORDIA POR ESTARMOS VIVENDO NO MEIO DE TANTOS INCREDULOS E OS QUE REJEITAM A JESUS CRISTO. , ASSIM COMO ESTA EM Gn 43-44.

  6. Ana Maria Carvalho Freitas 26 de fevereiro de 2013 at 19:46 - Reply

    Eu sou contra o aborto, como católica que sou. Tenho pensado muito sobre se essa lei for aprovada no Brasil, quantas criancinhas irão morrer… Mas temos que entrar em oração e pedir ao nosso Pai que não permita tamanha maldade!!!

  7. Antonio Fernandes 29 de maio de 2014 at 23:03 - Reply

    O Senhor nos aponta para José (Gn 43-44), o escolhido para reinar sobe um povo, porem seus irmãos o rejeitaram, vendo-o como escravo ao Egito. Um dos seus irmãos, Benjamim o mais novo, o qual não fez parte de sua venda, sofreu as conseqüências da fome e seca, e mais tarde foi conduzido a ser escravo por estar vivendo no meio deles.
    Isto tem haver com os dias de hoje, e que conseqüências poderão por rejeitar os mandamentos do Rei Nosso Senhor Jesus Cristo, o escolhido por Deus para reinar sobre nós..
    O Senhor orienta-nos a formar autênticas comunidades cristãs, com fundamento nos versículos 43 e 44 em Atos dos Apóstolos, para que haja conversão, caridade, fé, onde não haja más companhias (1 Cor 15,33-34), autoritarismo (Mc 10,43-44), agregando todas as pastorais, ministérios e outros, num movimento que não comprometa o crescimento da missão de Jesus Cristo, e Ele possa ajuntar outros que estão a caminho da salvação pois é o que Ele que deseja, e que ninguém volte ao mau caminho e se torne pior do que antes (Mt 12,43-44).

Leave A Comment