Caro leitor, se prepare. A presente obra não é apenas um livro, é algo bem mais próximo e que, no entanto, infelizmente está caindo em desuso: é uma carta.

Uma carta de agradecimento a alguém que doou sua vida e seguiu sua história mendigando doações, confortando os pobres da terra, ao mesmo tempo em que se preocupava com a salvação dos mais abastados. Sim, é uma carta para o Pe. Werenfried, o Mendigo de Deus, o Pe. Toucinho.

Com tantos nomes criativos, Pe. Werenfried também tocou e mudou a vida de muitos: foi um dos primeiros a escrever sobre Madre Teresa de Calcutá, mostrando seu trabalho para o mundo; ajudou o Papa João Paulo II quando este ainda era bispo na Polônia e não tinha meios para construir uma Igreja no coração de uma cidade comunista; tocou a vida de Frei Hans – fundador da Fazenda da Esperança – quando este ainda era criança e o fez perceber que “só o que nos empobrece aqui na terra é que nos enriquece para a vida eterna”; e, particularmente, me tocou a tal ponto que eu também quis fazer parte desta obra de amor fundada por ele que é a Ajuda à Igreja que Sofre.

Numa noite eu testemunhei o Pe. Werenfried sozinho na capela, diante do sacrário, falando com Cristo como se estivesse fisicamente frente à frente com um grande amigo. Ele sempre entrava na capela e abria seu coração com Deus, lá ele dizia que havia aprovado projetos de católicos perseguidos na China comunista, de cristãos que corriam risco de vida em diversas regiões da África e de muitos brasileiros que eram privados de sua humanidade nas imensas favelas. E então ele pedia a Deus que suscitasse corações dispostos a doar um pouco do que tinham para que ele pudesse honrar estes compromissos de ajuda e, assim como ele gostava de dizer, “enxugar as lágrimas de Cristo onde quer que Ele chore”.

Eva-Maria Kolmann com esta sua obra sobre “o Padre Toucinho” nos delega uma rica memória detalhada, fiel e viva da pessoa e da vida deste grande homem de Deus e dos homens: Pe. Werenfried. Através de seu livro poderemos melhor conhecer o coração, a alma e a vida do maior mendigo de Deus na Igreja de Cristo que doou sua vida em favor dos mais pequeninos e abandonados do mundo.

O próprio Pe. Toucinho disse que, “se quisermos enviar uma carta para Deus, devemos na verdade escrever uma carta para em quem Deus habita”. Essa obra é endereçada não só à memória do Pe. Werenfried, mas também a você, a mim, a todos que descobriram a maravilha de ter Deus habitando em sua vida. Boa leitura!