Em conversa com a ACN – Ajuda à Igreja que Sofre, realizada no marco da Conferência Regional de 2017, a Irmã Annie Demerjian, da ordem das Irmãs de Jesus e Maria, conta que a crise na Síria continua apesar do cessar-fogo: “Na Síria, nenhuma casa saiu imune à guerra”. Continua: “Em Alepo há uma grande carência de eletricidade, não é raro só haver luz durante uma ou duas horas por dia e, às vezes, nem mesmo isso, de modo que recorremos a velas. Combustível é um problema porque o governo não é capaz de distribuí-lo”. E prosseguiu: “Em Alepo também passamos por falta d’água, moramos em uma cidade sem água e, às vezes, ficamos por um dia e meio sem água”.

A ACN continua prestando uma ajuda vital às pessoas necessitadas através de projetos à Igreja local desde o início do conflito. Neste mês, a Fundação anunciou ajuda médica à 2.200 famílias de Alepo. Irmã Annie e sua equipe de voluntários estão ajudando às famílias cristãs de Damasco com recursos de primeira necessidade e também com a distribuição das cestas de alimentos. A religiosa também descreveu a ajuda aos deslocados que fugiram da violência no norte da Síria para a capital do país: “Em Damasco (…) trabalhamos com dois supermercados, para que as famílias possam ir receber o que necessitam”.

A religiosa também demonstrou seu desejo pela paz para o Oriente Médio: “Durante a Missa da terça de carnaval, eu pensava que na Síria temos vivido 5 anos de Quaresma; gostaria que tivéssemos um dia de ressurreição da Síria, Iraque e Oriente Médio”. Apesar disso, “a mão de Deus está em tudo, até mesmo nos tempos mais difíceis”. Ela continuou: “Queremos pessoas que possam ser pontes de paz, gostaríamos de ter promotores da paz, todos os nossos partidos políticos deveriam trabalhar juntos”.

Disse Irmã Annie: “Para mim é um orgulho estar com vocês e dizer: ‘Obrigada’ benfeitores da ACN por todo o apoio, por todo a ajuda que temos recebido de vocês”. Ela confirmou que o apoio da ACN tem de fato ajudado às famílias cristãs: “Vocês não podem imaginar o quanto estão ajudando as famílias e o quanto estão aliviando o sofrimento delas… Vocês estão apoiando as nossas famílias a permanecerem aqui, em suas terras, e a manterem sua dignidade e vida”. A irmã Annie acrescentou: “Louvado seja Deus por tudo o que fazem por nós, ajudando às famílias (…) Rezamos pelos benfeitores da ACN com todo o nosso coração (…) Eu rezei para que a ACN aceitasse os nossos pedidos de auxílio e, não poucas vezes, meus olhos se encheram de lágrimas quando soube da aprovação”.