//Lenta, mas constante emigração no Iraque

Lenta, mas constante emigração no Iraque

2009-09-28T18:09:08+00:00setembro 28th, 2009|Notícias|

Os cristãos no Iraque estão começando a fugir do único lugar onde eles achavam que estavam seguros.

Relatórios do clero mostram que nos últimos meses, uma lenta, mas constante emigração tem acontecido perto de Mosul. Como era premeditado, isto vem acontecendo ao passo que se aproxima as eleições gerais de 2010.

Ministros do governo esperam publicamente uma onda de violência quando as pessoas forem às urnas. Líderes da igreja temem que uma nova crise de segurança pode provocar outro êxodo em massa dos cristãos, que em algumas áreas pode significar a saída dos últimos fiéis remanescentes.

Em uma entrevista para a associação católica Ajuda à Igreja que Sofre, o líder iraquiano, Padre Bashar Warda, deixou claro que os cristãos na região de Nínive estão começando a se sentir ameaçados pelo tipo de problemas de segurança que tem arruinado a vida de pessoas em tantos outras partes do país.

Falando do norte do Iraque hoje (28 de Setembro), Padre Warda contou à AIS sobre o sofrimento e perseguição dos cristãos: “Eu estou triste em dizer que a emigração das famílias cristãs que temos visto em lugares como Mosul e Bagdá tem começado a afetar a região de Ninive. Nós não estamos vendo – pelo menos ainda – uma grande emigração de lugares como Alqosh e outras vilas, mas definitivamente esta acontecendo”.

Padre Warda disse que não poderia dar números precisos sobre a emigração, mas que em vilas cristãs, 30 a 40 cristãos estão indo embora todos os meses, as vezes mais.

Padre Warda, que é reitor da Basílica de São Pedro em Ankawa, capital da província Kurdish, chegou a dizer que a emigração de Nínive tende a aumentar após o seqüestro de um médico popular, em sua casa em Bartala, uma das cidades mais importantes da região. Dr Mahasin Bashir foi libertado ontem (domingo, 27 de setembro) na cidade de Baashiqa, cerca de 10 quilômetros de sua casa.

Segundo o Padre Bashar, o rapto do ginecologista deixou a região em estado de choque, que até recentemente era livre de seqüestros, explosões e outros incidentes que afetam outras partes do país.

Preocupações de que a violência tenha se espalhado em Nínive será um desafio para muitos observadores iraquianos que relatam que os terroristas ligados a movimentos políticos radicais, deliberadamente, manteve a região segura para incentivar os cristãos a permanecer em uma tentativa de criar o chamado “porto seguro para o fiéis”. Os cristãos no Iraque eram 1,4 milhões no último censo, em 1987, agora são menos de 400.000 de acordo com as estimativas mais recentes.

Padre Warda passou a advertir que uma súbita escalada da violência no período que antecede as eleições gerais pode ser catastrófica para a futura sobrevivência da Igreja. Ele disse: “Seria perigoso especular, mas se a violência piorar, estará seriamente em perigo a nossa situação. Porque, sempre que um problema piora, a primeira solução encontrada pelos cristãos é a emigração.”

One Comment

  1. Davisson Rodrigues dos Santos 29 de novembro de 2009 at 17:48 - Reply

    Coitados, esse povo até hoje está sofrendo, ainda bem que a AIS marca presença por lá!

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!